facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Trabalhar para quê?

LoadingFavorito

Por que você trabalha? O que te motiva a trabalhar todos os dias e que tipo de legado você quer deixar?

É fato que a forma como nos relacionamos com o trabalho tem sofrido muitas e significativas mudanças com o passar do tempo. 

Diante desse fato, eu pergunto: qual o seu conceito de trabalho?

Essa é uma fascinante pergunta que precisamos saber responder, antes de qualquer coisa, para nós mesmos. Quando não paramos para refletir sobre o que “trabalhar” realmente significa para nós, enfrentamos imensa dificuldade em reconhecer valor no que fazemos, em alcançar satisfação pessoal por meio do que fazemos.

Sabemos que a construção da nossa trajetória profissional está cada vez mais sob nossa responsabilidade e que a busca e a escolha dos sucessivos passos que a compõem são decisões que devemos tomar, diante de um cenário de negócios complexo, dinâmico e diverso.

As inúmeras alternativas de profissões, ocupações, vínculos trabalhistas, formas de reconhecimento e recompensa, meios para execução das atividades, etc. nos remetem à necessidade de repensar nosso conceito de trabalho, mas, também, aumentam a dificuldade de fazê-lo.

Para as pessoas que já entenderam as novas regras desse jogo, esse é um “instigante” problema. Para as que ainda acreditam que não devem começar a jogá-lo, representa um problema “insolúvel”. Para essas, os outros vão ser sempre os culpados por não serem reconhecidos e por não estarem satisfeitos por trabalharem com algo de que não se orgulham.

Começando a jogar, o primeiro passo é construir suas respostas para perguntas como: Por que você trabalha? Que tipos de atividade o motivam? Quais papéis você gostaria de desempenhar? Que quantidade de horas você desejaria dedicar ao trabalho remunerado? E ao não remunerado? Que legado a continuidade dessa atuação vai te permitir deixar? Como o faz sentir? Que obstáculos você identifica?

Lógico que é muito difícil gerenciarmos nossa relação com o trabalho, principalmente porque são muitas as variáveis envolvidas e, muitas delas, não estão sob nosso controle. Porém, tomarmos as rédeas desse processo é o caminho menos doloroso para endereçar a questão.

Para nós, empreendedores, o trabalho de casa é dobrado. Ter funcionários que se posicionam como o principal responsável por suas carreiras representa para nós a exigência de uma postura diferente como empregador.

Uma postura que depende da demonstração clara do nosso interesse em compreender o que significa realização para o outro, que demanda uma maior capacidade de resposta às reflexões que os funcionários trazem. Uma postura que pede maior habilidade e dedicação de tempo para explicarmos nossos sonhos grandes e de que forma esses sonhos se tornam interessantes para os que dele decidirem compartilhar.

As respostas não têm que ser sempre positivas. Sabemos que o “NÃO” faz parte do jogo e nos ajuda a desenvolver alternativas, e isso é algo que empregadores e empregados devem aprender já para viabilizar esse jogo.

Acredito, sinceramente, que o sentido que atribuímos ao ato de trabalhar e como o colocamos em prática, como empregados ou empregadores, impacta significativamente nas nossas realizações, na qualidade das nossas vidas.

Bom trabalho!

 

Cláudia Klein é sócia da Argumentare, atua como Coach, palestrante e consultora de gestão. 

 

Leia mais:
Preciso mudar! Mas por onde começar?
O CNPJ já existe, mas e o escritório?

 

 

 

 

, Argumentare, Sócia
Claudia Klein está à frente da consultoria Argumentare, conectando empresas e indivíduos aos seus propósitos, ampliando resultados e impactando positivamente ambientes e relações; desenha soluções interdisciplinares que combinam programas de Coaching, Mentoria, Treinamento e Consultoria. Claudia é Mentora e Conselheira de Empreendedores Endeavor desde 2009, é membro do Conselho de Pequenas e Médias Empresas (CoPeMe) pela Associação Comercial do Rio de Janeiro e atuou como Diretora da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-RJ). Seu portfólio de trabalho contempla também a atuação como palestrante e professora convidada do COPPEAD, do Ibmec/Rio e da FGV/RJ. No ambiente corporativo, desempenhou funções executivas na área de RH em empresas multinacionais e nacionais; possui formação em Coaching pela Columbia University e pelo Erickson College, MBA em Marketing Estratégico pela USP com ênfase em Branding, MBA Executivo pelo COPPEAD, com Bacharelado em Estatística pela UERJ. Casada, é carioca de berço e paulistana de coração; Apaixonada pelos processos de transformação busca inspiração nas pessoas, no empreendedorismo, no design, na gastronomia, na corrida de rua para construir algumas das suas referências e conexões que compartilha com aqueles que desejam propósito, ação e mudança.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: