Governança Corporativa em PME’s

Donato Ramos

Esse tipo de prática é fundamental para a ascensão, independentemente do estágio do seu negócio.

Em diversas situações, empreendedores me questionaram se as suas empresas já deveriam implementar práticas de governanças corporativas, dado que ainda estavam em estágios iniciais ou não eram companhias de grande porte. Um grande erro dos empreendedores é pensar que existe um momento para tornar a gestão da empresa mais eficiente ou profissionalizada.

As práticas de governança corporativa são muito importantes para todas as empresas, independente do estágio de desenvolvimento ou do porte das mesmas. Elas propiciarão maior transparência da gestão, profissionalização da estrutura corporativa e, principalmente, melhoras no relacionamento entre acionistas, gestores e os demais stakeholders.

Entre as principais práticas a serem realizadas por pequenas e médias empresas, destaco:

• Acordo de acionistas;

• Formação de Conselho de Administração com membros externos e independentes;

• Planejamento Estratégico com revisão contínua;

• Relatórios e ferramentas de Gestão;

• Plano de remuneração e deveres dos executivos;

• Auditoria independente;

• Gerenciamento de riscos;

Importante ainda destacar que a ausência de governança corporativa é a principal razão pelos conflitos existentes em empresas entre os sócios e entre sócios e executivos, colocando em risco a continuidade do negócio.

Além de evitar conflitos, essas práticas corporativas darão também uma maior confiabilidade e transparência frente ao mercado, tornando o acesso ao crédito mais fácil e preparando a empresa para um futuro IPO, fusões e aquisições, entre outras operações do mercado de capitais.

Nesse processo, é importante que os empreendedores entendam que essas medidas trarão melhorias de gestão e serão de grande importância para o crescimento acelerado, de forma sustentável, do negócio.  Para isso, eles terão que estar flexíveis e abertos para compartilhar as tomadas de decisões e, muitas vezes, serem contrariados ou criticados, tomar decisões que não concordam, mas que serão importantes para a organização, e ter disciplina na realização das rotinas e atividades gerenciais.

Devido a todos os benefícios apresentados, tenho a certeza de que as práticas de governança corporativa são fundamentais para a profissionalização e perenidade da empresa, seja qual for a sua maturidade.

Donato Ramos é sócio-diretor da Mundo Verde, mentor Endeavor desde 2008.

Leia mais:
Muito Além do Capital