Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

A tirania do preço mais baixo

LoadingFavorito
A tirania do preço mais baixo

O risco de participar da corrida pelo preço mais baixo é que você pode ganhar e sair perdendo.

Abaixar o preço é uma escolha unidirecional. Ou é mais barato, ou não é.

No início, o processo de abaixar seu preço envolve uma eficiência bem inteligente. Ele força decisões difíceis que geram resultados melhores.

Com o tempo, no entanto, em um mercado competitivo, a busca pelo menor preço leva a brutalidade. A brutalidade de prejudicar seus fornecedores, de comprometer sua moral e sua missão. Outra pessoa está sempre disposta a ir um centavo menos e, para competir, suas possibilidades ficam mais limitadas ainda.

O problema com a corrida para ficar na posição mais baixa é que você pode ganhar. Ou, ainda pior, você pode ficar em segundo.

Para cortar um real daqueles ebooks ou dez reais daquela passagem de avião (descontos que poucos iriam notar, quando sem base de comparação), você precisa mudar a forma como as coisas são editadas, como pessoas são treinadas ou como a segurança é garantida. Você precisa mexer na cultura ou em como as pessoas são tratadas. Você precisa estar disposto a ligar menos para certos pontos, ou ser mais severo que aquele outro cara daquela outra empresa.

Toda ótima marca (mesmo aquelas com preços baixos) é conhecida por algo que não seja apenas quão baratos são seus produtos ou serviços.

Henry Ford conquistou seu sucesso cedo usando ideias de negócio para produção em massa e peças intercambiáveis, em uma corrida magnífica pelo sistema manufatureiro de carros mais eficiente da história. Ele e seu time descobriram que as pessoas na verdade não queriam o carro mais barato. Elas queriam o carro que lhes daria orgulho, que fosse um pouco mais seguro, um pouco mais estiloso, que fosse construído por pessoas que ganhavam salários que os fizessem contribuir para a comunidade.

No longo prazo, ser o mais barato é um refúgio para aqueles que não têm o faro para desenhar algo que valha pagar um pouco a mais. Que não têm a coragem de apontar para seu produto ou serviço e falar “não é o mais barato, mas vale o preço“.

Artigo originalmente publicado no blog do Seth Godin

, Autor, Marketing de Permissão
Seth Godin é especialista em marketing, mundialmente conhecido, fundador da Squidoo.com, autor best-seller e palestrante.

Deixe seu comentário

6 Comentários

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
  1. evandro correa - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Muito inspirador as informações. Costumo encontrar também promoção no http://webpromocoes.com.br/

    Vale a pena ver ! Obrigado!

  2. Messias Cavalcante - says:

    2 curtidas
     
    Curtir

    O que muitas vezes não é visto nessa guerra por preço baixo, é que a medida que ele cai, a manutenção do próprio negocio entra em jogo! Por isso a ultima frase do artigo deveria ser o mantra de todo e qualquer varejo – “não é o mais barato, mas vale o preço“, ai sim começaríamos a pensar em quais serviços oferecer para valer mais!

  3. William Mantovani - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    Em nossa empresa, trabalhamos com produtos com preço de mercado, porém nosso foco a cada dia é estar posicionado no mercado da qualidade, devido às melhores condições que podemos ter na negociação. Melhor preço na qualidade. Muitos tipos de mercado tem esta concorrência desleal do preço menor porém, quando você dá a solução para o cliente, mostrando custo-benefício, ele logo muda a opinião

  4. Douglas Landiva Turatti - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    A frase do início do artigo resumiu o que aconteceu comigo, ‘ganhei e saí perdendo’. Hoje me concentro na frase do final do artigo, “não é o mais barato, mas vale o preço”.

    Parabéns pelo artigo, me ajudou a me lembrar de manter o foco.

  5. JEFERSON SPAGIARI - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    Oferecer preço baixo e conseguir produtos com qualidade no Brasil é uma antítese, Quem procura preço não procura qualidade ou “valor” no produto e o consumidor que leiloa até o ultimo centavo está preocupado no menor preço, nunca pensa a longo prazo. O ponto ou fato crucial é cultural, de um pais que poucos buscam a informação ou que pensem tão somente em se dar bem, mesmo que seja por pouco.

  6. Renata M. Guimarães - says:

    3 curtidas
     
    Curtir

    A luta por redução de preço é desleal e tem queda significativa na qualidade dos serviços e produtos.

Parceiros
Criação e desenvolvimento: