facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Sucesso em tempos difíceis

LoadingFavorito
Sucesso em tempos difíceis

Às vezes, o sucesso está na atitude do empreendedor e sua equipe

O que mais tenho escutado ultimamente são discursos enfáticos sobre o quanto o momento político e econômico que o Brasil está enfrentando torna difícil a vida de todos nós. Não vou gastar tinta e ocupar esse espaço escrevendo sobre coisas que já estamos exaustos de escutar, de ler, de falar. A pergunta útil é: ok, o negócio está feio, mas tem solução? Como ter sucesso em tempos bicudos?

Na minha modesta visão, só existe um caminho a seguir: é preciso ser mais competente do que os demais competidores. Com raras exceções, as empresas e suas marcas não possuem uma participação de mercado dominante a tal ponto de já não terem como crescer, a não ser que o mercado continue crescendo. Via de regra, a participação está por volta de 5% a 10% (em casos fora da curva, pode chegar a 30%, quem sabe 40%).

Isso significa que, mesmo em períodos de recessão, ainda existe muito espaço para agregar novos clientes, novas vendas. Essa é uma verdade que se expande quando consideramos que concorrentes hoje não são apenas as outras marcas que oferecem os mesmos produtos e serviços, e sim tudo e todos que disputam o bolso das pessoas.

Quando uma empresa se deixa contaminar pelos fatos negativos, pelas notícias ruins, vai gradativamente perdendo seu ânimo, e aí a coisa fica mesmo complicada. Ânimo é uma condição do espírito, da alma; excesso de determinação diante de uma situação adversa é a ação de manifestar sua própria vontade, seu intento. Uma empresa sem ânimo é uma empresa que perdeu sua força, sua coragem. Uma equipe sem ânimo torna-se triste, medrosa, perde a crença em si e na empresa, perde a fé naquilo que faz.

Se existe uma situação que leva ao desastre, é quando uma empresa se encolhe por falta de crença na sua capacidade e no seu negócio.

Ao nos vermos diante de um momento de dificuldade, não devemos ignorar seus efeitos. Na verdade, é lúcido e necessário avaliar o ambiente, identificar riscos e fragilidades, mas apenas para poder desenhar um plano com o intuito de aumentar a capacidade competitiva da empresa. De um lado, aliviar o orçamento de tudo aquilo que representa peso morto, aquelas práticas e custos que pouco ou nada agregam; de outro lado, investir mais agressivamente no que está diretamente relacionado a conquistar mercado, adicionar novos clientes, expandir possibilidades.

O nome do jogo é foco total, a estratégia é reunir recursos e energia para ter mais apetite e vontade do que o concorrente. Não deixar que a equipe se intimide, se apequene, perca a gana de ocupar mais território. Ainda não conheci nenhuma empresa bem-sucedida cujo lema seja: “Cuidado, a coisa está preta!”. De minha parte, prefiro a divisa do Bope:

“Vá e vença!”

Leia mais:

Um plano para surfar na onda da crise

4 conselhos para crescer durante a crise

, Talent, CEO
Formado em propaganda e marketing, José Eustachio iniciou sua carreira na área de pesquisa e planejamento. Na Talent desde o seu início (1980), é o atual Chief Executive Officer (CEO) da agência. Desenvolveu projetos de comunicação para empresas como Ipiranga, Banco Santander, NET, Alpargatas, entre outras. Foi vencedor do Prêmio Caboré, o mais importante da propaganda brasileira, em 1991, 2004 e 2007 na categoria "Profissional de Atendimento/Planejamento" e eleito “Profissional do Ano” na área de planejamento e atendimento pela Associação dos Profissionais de Propaganda.

Deixe seu comentário

3 Comentários

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
ordernar por: mais votados mais recentes
  1. Fátima Díaz - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    Concordamos plenamente!

  2. JERÔNIMO GONÇALVES TEMOTEO - says:

    3 curtidas
     
    Curtir

    Pensar que não se pode fazer nada a mais para conquistar mercado é o começo de uma decadência para qualquer negócio. Mas dificuldades não são fáceis de ultrapassar, tem que ter determinação e perseverança.
    Certas matérias da endeavor são quase como versículos bíblicos, chegam pra você no momento em que mais precisa…
    Parabéns e obrigado, vocês me inspiraram e me encorajaram a abrir um negócio

  3. Virgínia Zagnoli - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    Muito bacana este texto! Obrigada por compartilhar deste otimismo, que também é o meu! Sucesso para nós! Um abraço Virgínia Zagnoli – 22 Graus Comunicação e Marketing

Parceiros
Criação e desenvolvimento: