facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Para Sir Richard Branson, a lua é o limite (ao menos por enquanto)

LoadingFavorito

Criador de oito empresas bem sucedidas em setores totamente diferentes, o inglês Richard Branson agora mira as viagens espaciais. Conheça aqui a trajetória e as lições deste empreendedor serial. 

Estou sempre correndo riscos para conseguir o que quero, tanto na minha vida pessoal, como na profissional. Não acho que trabalho é trabalho e diversão é diversão. Para mim, tudo é vida. – Richard Branson

Nada melhor do que começar um artigo sobre um dos bilionários mais singulares que existem com uma afirmação do próprio. E uma afirmação que, conforme veremos a seguir, define com precisão o perfil inquieto e inconformado de Richard Branson, fundador do Grupo Virgin (que reúne 400 empresas) e que é, com mais de quatro bilhões de dólares no bolso, o quarto homem mais rico da Inglaterra.

Pois se trata de um homem cuja distinção vai muito além da fortuna. Tanto nos negócios como na vida pessoal, Richard Branson sonha grande e é um formidável colecionador de façanhas: durante o “lazer”, já empreendeu a volta ao mundo em um balão (caindo no mar duas vezes) e atravessou o Atlântico em um barco (em tempo recorde). Já no “expediente”, montou um verdadeiro império da indústria da música, depois passou à aviação, à telefonia celular, à moda, ao turismo ambiental… a lista é longa. Legítimo provocador, Branson responde por de um conjunto de investidas e aventuras que podem inspirar os mais diversos tipos de empreendedores. Se não pelo teor idealista ou sonhador, ao menos pela impressionante capacidade de realização. E aqui vamos relembrar as mais significativas delas.

Empreendedor precoce

Nascido em 1950 em Londres, o hoje sir Richard Branson é o mais velho dos três filhos de um advogado e uma bailarina e aeromoça. E logo cedo viu limitadas suas chances de seguir a carreira do pai. Por ser portador de dislexia – que implica uma séria dificuldade para ler e aprender –, foi obrigado a abandonar os estudos ainda adolescente.

Por outro lado, o espírito ativo e empreendedor já se pronunciava. Aos 16 anos, lançou uma revista em sociedade com um amigo, mas a publicação não prosperou porque os dois não conseguiram vender páginas de publicidade.

Porém, quatro anos depois, Richard Branson montou um negócio de venda de discos: comprava LPs no outro lado do Canal da Mancha e os vendia na Inglaterra. De forma muito clandestina, é verdade. Tanto que, em 1971, acabou preso por desviar discos destinados à exportação e por sonegação de impostos. Teve de hipotecar a casa da família para quitar as dívidas.

Virgin: das lojinhas ao conglomerado

Em todo caso, tinha início aí a trajetória da Virgin Records – que pouco depois se tornou uma gigante do ramo. Pouco depois mesmo. Em 1972, as lojas Virgin já se espalhavam pelo Reino Unido, e prosperaram imensamente durante os anos 80. De simples lojas de discos, passaram a megastores; e Richard Branson, já milionário, pode desbravar novos horizontes.

Horizontes que foram atravessados pelos aviões Virgin Atlantic Airways, hoje uma das maiores companhias aéreas do Reino Unido. Em seu livro mais recente, “Screw business as usual”, Branson resume a ideia por trás do empreendimento, que era incomodar a British Airways:

Odiava voar com eles. Então, resolvi criar minha própria empresa aérea.

Incomodar as grandes, aliás, é praticamente um esporte para Richard Branson. Foi por isso que criou a Virgin Cola e a Virgin Vodka, por exemplo, o que obrigou as concorrentes a pressionarem comerciantes a não exporem os produtos Virgin.

As tentativas não prosperaram tanto, mas inúmeras outras, sim. Formou-se o Grupo Virgin, e os negócios se estenderam aos mais diversos setores: Virgin Trains (empresa ferroviária), Virgin Mobile (operadora móvel que atua em vários países, como Reino Unido, Austrália, Canadá, África do Sul e Estados Unidos), Virgin Media (operadora de televisão por cabo e internet); há também agências de viagens, operadora de cartão de crédito etc.

Lua na mira

Um desses negócios – talvez o mais espetacular – é a Virgin Galactic, “a primeira linha aérea espacial comercial”. Pois, para Richard Branson, os horizontes terrenos não são o bastante; assim como outro bilionário, Elon Musk, o inglês tem pendores interplanetários. E é por meio da Virgin Galactic que os concretiza: desde 2013, por cerca de 20 mil dólares, as pessoas podem reservar assentos nos voos espaciais operados pela companhia, usufruindo assim de um ambiente sem gravidade por seis minutos. A nave é batizada White Knight Two, e é lançada a uma altura de 18 quilômetros.

E a viagem à lua também está nos planos de Branson. E isso tem a ver com a questão da sustentabilidade, da qual ele se tornou uma espécie de embaixador, porque o empreendedor acredita que a viagem lunar vai recuperar o nosso planeta.

“Na lua”, afirma Richard Branson, “há muitos elementos importantes, como o hélio, que tem potencial energético para abastecer o mundo. A lua vai salvar o planeta, vai impedir o aquecimento global”.

Ouvindo assim, de orelhada, a frase pode parecer apenas um um desatino. Mas não podemos nos esquecer de que quem a disse é uma pessoa que responde por um feito tremendo: construir, do zero, oito companhias muito bem sucedidas, em setores completamente diferentes.

As dicas para você, empreendedor

Felizmente, Richard Branson também não hesita em compartilhar suas experiências e aprendizados por meio de livros – é, além de tudo, um reconhecido autor de best-sellers. E também sempre participa de publicações.

Em uma delas, o site da revista Enterpreneur, ele deu uma verdadeira aula de empreendedorismo a um estudante australiano do ensino médio. Abaixo reproduzimos, a partir dessa matéria da PEGN, os trechos mais importantes:

1) Precisa de dinheiro? Se vira! – Sem capital, não dá para abrir o negócio. Simples assim. Branson conta que, quando começou a empreender, fazia de tudo para ganhar dinheiro – entregar jornais, lavar carros e aparar a grama do jardim dos vizinhos estavam entre suas atividades.

2) Arranje um ótimo nome – Provavelmente, não é novidade para ninguém que o nome de uma empresa é muito importante para o sucesso. Segundo Branson, o nome precisa ser “pegajoso” o suficiente para fazer as pessoas relacionarem a marca ao produto.

No entanto, há exceções. Um exemplo? A própria Virgin. Este é um nome que não tem nenhuma relação com nenhum dos produtos e serviços oferecidos pelo conglomerado. Mesmo assim, chama a atenção – as pessoas se perguntam sobre o porquê do nome e não se esquecem da marca.

3) Atenda bem – Outra forma de se destacar é por meio do bom atendimento. A experiência da compra não se baseia apenas na qualidade dos produtos, mas no comportamento de quem vende e na postura da empresa no pós-venda.

4) Venda produtos únicos – Este é um dos diferenciais de negócios bem-sucedidos. Se uma empresa vende produtos únicos, menor a possibilidade de a concorrência vender as mesmas coisas. Na loja de discos, Branson vendia discos raros, dificilmente encontrados em outras lojas.

5) Não se esqueça da regras de ouro – Por fim, Branson pede que os empreendedores não deixem de lado o que, para ele, são a principal regra para quem quer ter sucesso: faça o que você gosta de fazer.

E não poderíamos encerrar este texto sobre Richard Branson sem reproduzir, aqui, a máxima dita por ele que melhor sintetiza todo esse espírito realizador. A frase que já viralizou, percorrendo os quatro cantos do planeta para fazer muita gente levantar e colocar a mão na massa:

Os corajosos podem não viver para sempre, mas os covardes não vivem nunca.

Mais informações sobre Richard Branson:

Nesta entrevista, Branson conta sobre como um voo cancelado resultou em uma ideia bilionária.

Esta matéria da InfoMoney traz 14 lições do bilionário para se obter sucesso nos negócios.

E este texto da Exame apresenta os inusitados métodos de liderança de Richard Branson.

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: