Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Remuneração em governança

LoadingFavorito

É muito fácil diminuir o valor de uma organização: basta desenhar um sistema de remuneração equivocado.

O sistema de remuneração e incentivos é uma das mais potentes armas do arsenal de governança corporativa de uma organização. Entretanto, ele tanto pode catapultar os resultados quanto destruir valor caso seja desenhado de forma equivocada.

Importante lembrar que um dos propósitos da governança corporativa é facilitar e estimular o desempenho das organizações, criando e mantendo incentivos que motivem os dirigentes e colaboradores (corporate insiders) das empresas a maximizar a sua eficiência operacional, o retorno sobre ativos e o crescimento da produtividade no longo prazo. Portanto, não é nenhum exagero afirmar que o sistema de remuneração e incentivos determina o padrão de comportamento, e por conseqüência, dos resultados de uma organização.

Jack Welch, o célebre ex-CEO da gigantesca GE, costuma destacar esse fator como um dos mais importantes em sua experiência de gestão. Certa vez, em uma entrevista, perguntado sobre suas práticas de liderança, declarou que liderar é, antes de tudo, remunerar de acordo com o comportamento esperado.

No entanto, uma parcela importante das organizações enfrenta muita dificuldade em desenhar um bom sistema desse tipo. Muitas vezes cometem equívocos que produzem péssimos resultados.

Lembro-me de uma organização que incentivava sua equipe comercial a vender volumes cada vez maiores. A equipe sempre batia as metas de volume. Porém, concentravam seus esforços nos produtos mais fáceis de vender e menos rentáveis. Os novos produtos, com margens mais favoráveis e mais difíceis de vender, simplesmente não decolavam e a rentabilidade da empresa despencava. Ao mesmo tempo a equipe comercial embolsava polpudos bônus.

Portanto, é simples destruir valor em uma organização: basta desenhar um sistema de remuneração e incentivos equivocado. Um bom sistema de incentivos deve estar perfeitamente alinhado com o sistema de gestão da estratégia empresarial e este, por sua vez, deve permear todos os níveis da organização e permitir o estabelecimento de objetivos, metas e indicadores departamentais e individuais, coerentes, consistentes e alinhados com os objetivos e estratégias de negócios da organização.

As empresas que gerenciam de forma adequada sua estratégia de negócios promovem esse alinhamento, estabelecem metas, definem indicadores e acompanham sistematicamente o desempenho e, finalmente, remuneram de forma coerente com a contribuição efetiva de cada departamento ou indivíduo para os resultados.

Carlos Airton Pestana Rodrigues é Diretor Presidente da Governance Solutions

Leia mais:
Gestão de riscos na governança corporativa
Governança corporativa em empresas familiares
A transparência pode criar valor?
O código de conduta corporativa
Princípios e valores: a base da boa governança
A importância de conselhos em governança corporativa
Governança corporativa atrai grandes clientes

, Governance Solutions

Prof. Carlos Airton é Diretor-Presidente da Governance Solutions, empresa de consultoria e treinamento em Governança, Conselheiro de Empresas e Professor de programas de MBA da BSP- Business School de São Paulo, onde leciona disciplinas de Governança Corporativa e Governança de Tecnologia da Informação. Por mais de 2 décadas atuou como CIO de organizações internacionais e nacionais como Laboratórios Wyeth, ABB- Asea Brown Boveri e Braskem.  É bacharel de Administração de Empresas pela USP e possui MBA pelo IMD - Institute of Management Development em Lausanne- Suiça. É mentor da Endeavor desde  2003.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: