facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Qual o melhor tipo de investimento para minha empresa?

LoadingFavorito

Já está certo que precisa de investidor? Avalie qual fonte de capital de risco é a mais adequada para o momento da sua empresa.

A escolha do tipo de capital de risco vai depender não só do estágio de maturidade da sua empresa, mas também se esse investimento faz sentido nesse momento. Cada tipo de investidor tem uma forma diferente de contribuir para o sucesso do negócio, porém, cada um deles vai exigir diferentes contrapartidas do empreendedor e da empresa. Por isso você precisa, antes de tudo, refletir e saber se está preparado para isso. Se já está com a cabeça feita, então saiba que nesse processo há investidores que apoiam não só financeiramente, mas também com networking e conhecimentos de gestão e de mercado.

A tabela a seguir detalha algumas características de cada tipo de capital de risco:

tabela

Fonte: Endeavor Brasil

Rafael Duton e Marcelo Sales, fundadores da Movile e da aceleradora de negócios 21212, que passaram por muitas fases de investimento ao longo da vida de sua empresa, contam neste vídeo Quais são as diferentes fases de aporte a capital de uma empresa.

Daniel Ibri, sócio diretor da Grid Investments, ajuda a entender melhor cada um desses tipos de investimento:

Aceleradora

São fundos que trabalham com startups no momento da identificação da oportunidade de negócio. Elas apoiam os empreendedores com capital inicial e também com gestão, para que o negócio saia do papel. Para conseguir isso, as aceleradoras trabalham muito com programas intensivos, que costumam durar em média 6 meses, ajudando a estruturar, testar e acelerar o crescimento do seu negócio.

A Carreira Beauty é um marketplace de produtos de beleza. Ela participou do programa da Endeavor, InovAtiva, e está sendo acelerada pela 500 Startups. Para ela, esse tipo de investimento fez muito sentido, pois, apesar de ter muito conhecimento do seu mercado, ainda não tinha claro o modelo de negócios que queria seguir e a aceleradora pôde oferecer esse tipo de orientação.

Apesar de, em geral, a faixa de investimento ser a mais baixa entre os capitais de risco, as empresas buscam as aceleradoras principalmente pela vantagem de se estar em um ambiente que possibilita a troca de conhecimento através do contato com outras empresas que também estão começando. Se a sua empresa está neste estágio, buscar uma aceleradora pode ser uma boa opção.

Investidor Anjo

São indivíduos ou grupos que investem como pessoa física em startups numa fase inicial de operação. Geralmente, o anjo tem experiência profissional e possui conhecimento sobre determinado mercado, por isso busca apoiar empresas em setores que conhece.

Caso você precise conhecer melhor o seu mercado e busque orientações de alguém que já percorreu o caminho das pedras, busque um investidor anjo. Esse tipo de investidor em geral gosta de estar presente e ter uma participação na gestão negócio, buscando flexibilidade e rapidez na tomada de decisão. Lembre-se de que é algo temporário, durando em média de 3 a 6 anos, por isso aproveite para absorver todo o conhecimento que ele tem a oferecer.

Duton e Sales explicam neste vídeo as características do anjo e o comparam com o próximo tipo de capital de risco, o Venture Capital.

Venture Capital

Os venture capitals (ou VCs) apoiam empresas de pequeno e médio porte já estabelecidas e com potencial de crescimento. Com duração média de 5 a 7 anos, os recursos investidos financiam as primeiras expansões, levando o negócio a novos patamares no mercado.

Há dois tipos de VCs: O VC early stage e VC later stage. O primeiro apoia empresas com até 4 anos de operação e faturamento não superior a R$9 milhões. Já o VC later stage entra quando a empresa já atingiu a fase de comercialização plena do produto e a sua rápida expansão requer mais recursos. Além disso, esses dois tipos também trazem, em geral, diferentes valores de capital investido, bem como buscam uma porcentagem de participação média de diferentes faixas, como mostra a tabela no começo do artigo.

A Resultados Digitais, empresa criadora de um software para gestão de marketing digital para empresas, recebeu esse tipo de investimento em 2013. Foi um momento em que eles precisavam fazer um upgrade no seu produto, mas principalmente, o financiamento foi destinado ao processo de expansão da empresa e ampliação de suas parcerias.

Assim como para a Resultados Digitais, empresas investidas por VCs buscam principalmenteapoio para ampliar networking e conhecimento nos desafios de crescimento do negócio, comoplanejamento de expansão (local e internacional), fusões e aquisições, etc.

Private Equity

O investidor de private equity entra em cena mais tarde na vida de uma empresa. Geralmente quando ela já está no mercado há mais de 5 anos e consegue alcançar faturamentos anuais na casa das dezenas ou centenas de milhões de reais. Por se tratar de investimentos altos – em média, superior a R$30 milhões – o fundo também costuma tornar-se sócio majoritário do empreendimento e até a indicar alguns diretores.

Há dois tipos de segmentos de private equity: o tradicional e o private equity growth. No primeiro, o capital é destinado a alterações financeiras, operacionais ou estratégicas, visando a um novo posicionamento da empresa no mercado aberto. Já no private equity growth, o investimento é destinado à expansão da planta e/ou rede de distribuição, capital de giro ou ainda para ser investido em comunicação, marketing, etc.

Beleza Natural, empresa apoiada pela Endeavor, recebeu ano passado um investimento de private equity de R$70 milhões.  Esse tipo de capital de risco fez sentido para ela, pois seu modelo já era bem estruturado, porém, precisava de um grande aporte de capital para expandir a marca pelo Brasil. Assim como o Beleza Natural, muitas empresas geralmente chegam ao estágio do private equity buscando realizar fusões e aquisições e até se preparar para abrir capital na bolsa de valores, por exemplo.

A partir das explicações acima, reflita qual o tipo de capital de risco mais adequado para sua empresa nesse momento. Não se esqueça de ponderar as contrapartidas que cada investidor espera de você e que tipo de apoio ele pode oferecer. Se isso já está claro, veja agora os links abaixo para orientar seus próximos passos para conseguir o investimento que irá impulsionar o seu negócio.

Por Manuela Malheiros da equipe de Educação Empreendedora da Endeavor Brasil.

Saiba mais:

Como encontrar e chamar a atenção de bons investidores?

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: