facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Princípios e Valores: Base da Boa Governança

LoadingFavorito

Transparência, equidade, prestação de contas, conformidade e responsabilidade corporativa são essenciais.

Quer assegurar um bom nível de Governança na sua empresa? Comece definindo o conjunto de princípios e valores que deverá nortear os negócios e assegure-se que as pessoas que trabalham com você compartilhem verdadeiramente desses princípios.

Devemos lembrar que um bom sistema de Governança Corporativa começa pelo homem. Um empresário que conheço costuma dizer para seus executivos, quando esses estão em dúvida sobre a prontidão de um profissional a ser promovido: “Escolha o homem pelo que ele é e acredita. O resto pode vir depois”. De fato, profissionais que têm sua conduta baseada em um bom conjunto de princípios e valores constituem um importante fator de criação de valor para as organizações.

O contrário também é verdadeiro. Condutas profissionais que não são baseadas em bons princípios e valores podem até destruir completamente o negócio, como vemos constantemente através da mídia. Mas quais princípios e valores são esses? Na verdade, cada empresa deve definir seu próprio conjunto, mas existem alguns que são considerados essenciais para um bom sistema de Governança Corporativa e integram, inclusive, as recomendações do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. São eles:

1.Transparência: A boa comunicação interna e externa gera o clima de confiança essencial para a criação de valor. A boa comunicação deve ter como características: franqueza, espontaneidade e tempestividade, entre outras. Deve ser resultado não apenas da obrigação, mas sim do desejo sincero de informar tudo o que possa ser relevante para as partes interessadas.

2. Equidade: Tratar de forma justa e igual todas as partes interessadas, sobretudo grupos minoritários como colaboradores, clientes, fornecedores, investidores, é de fundamental importância. Assim, atitudes ou políticas discriminatórias, sob qualquer pretexto, são inaceitáveis, como define o IBGC.

3. Prestação de Contas: Os administradores e outros agentes da governança devem prestar contas de sua atuação a quem os elegeu e devem responder integralmente por todos os atos e fatos sob sua responsabilidade.

4. Conformidade: A organização deve respeitar integralmente as leis, normas e regulamentações aplicáveis aos seus negócios.

5. Responsabilidade Corporativa: Os negócios devem ser conduzidos com o objetivo de perenizar a organização. Assim, considerações de ordem socioambiental devem orientar a definição dos negócios e operações e, portanto, decisões que possam causar impacto negativo na sociedade ou no meio ambiente devem ser evitadas.

 

Carlos Airton Pestana Rodrigues é Diretor Presidente da Governance Solutions

Leia mais:
A Importância de Conselhos em Governança Corporativa
Governança Corporativa Atrai Grandes Clientes

, Governance Solutions

Prof. Carlos Airton é Diretor-Presidente da Governance Solutions, empresa de consultoria e treinamento em Governança, Conselheiro de Empresas e Professor de programas de MBA da BSP- Business School de São Paulo, onde leciona disciplinas de Governança Corporativa e Governança de Tecnologia da Informação. Por mais de 2 décadas atuou como CIO de organizações internacionais e nacionais como Laboratórios Wyeth, ABB- Asea Brown Boveri e Braskem.  É bacharel de Administração de Empresas pela USP e possui MBA pelo IMD - Institute of Management Development em Lausanne- Suiça. É mentor da Endeavor desde  2003.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: