Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Por que encarar a saga de obter uma patente

LoadingFavorito
Por que encarar a saga de obter uma patente

Obter uma patente pode demorar até 10 anos, em alguns casos. Conheça como é o processo na prática, pela voz de quem inova diariamente.

A Impacto Protensão começou o processo de patentear suas ideias logo no começo da existência. Atualmente, são três patentes concedidas e mais 17 foram solicitadas e estão em processo de análise. Quando começamos, o processo foi bem trabalhoso e difícil, principalmente por não conhecermos como era feita a solicitação e o que se podia patentear.

Em nossa primeira solicitação, o SEBRAE nos auxiliou, fornecendo consultoria para estruturar o pedido de patente e nos mostrando quais caminhos deveríamos seguir até a entrada do processo no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial). Isso ocorreu em 1996, logo no início de nossas atividades.

Hoje em dia, nossas solicitações e acompanhamento de patentes são realizados pela Impar Marcas e Patentes, facilitando ainda mais o processo de patentear ideias novas. É muito importante o trabalho deles acompanhando o processo, para evitar que outras empresas entrem com o pedido para a mesma ideia e resguardando todo o trabalho desenvolvido pela nossa empresa.

O processo hoje em dia é bem demorado, devido ao grande número de solicitações diárias. Uma solicitação pode demorar até 10 anos para que o direito seja concedido, mas, nesse meio tempo, você estará protegido, já que a prioridade é para quem solicitou primeiro.

Todo esse tempo pode desestimular e parecer inútil, mas, dependendo do ramo de atuação, isso pode salvar a sua empresa.

Todo esse tempo pode desestimular e parecer inútil, mas, dependendo do ramo de atuação, isso pode salvar a sua empresa. Em ramos em que o desenvolvimento de produtos ocorre muito rápido, como na área de eletrônicos, pode se perder o sentido patentear uma ideia que daqui a seis meses estará obsoleta. Já na construção civil, nosso mercado, o cenário é um pouco diferente e mais devagar. Por se tratar de produtos de alto valor agregado, em que não há margem para erros na linha de produção, a inserção de uma ideia nova no mercado é demorada, fazendo a solicitação de patente ser mais eficaz.

A propriedade de patentes pode também gerar lucros diretamente. Às vezes, o empreendedor possui uma ideia fantástica, mas não possui recursos para fazê-la crescer. Com o pedido de patente, a busca por empresas ou parceiros se torna mais fácil e mais segura, já que para captar recursos é necessário abrir diversas informações ao investidor, que pode se aproveitar para copiar a ideia. Além disso, atualmente estamos concedendo o uso de algumas de nossas patentes para empresas que seriam beneficiadas pela nossa ideia. Nós recebemos os royalties por ela e a outra empresa consegue aplicar no mercado uma tecnologia que somente ela e nós possuímos acesso.

No geral, conseguir patente é um processo difícil no início, mas que fica bem mais fácil com o tempo. O que não muda e podia melhorar é a velocidade de análise dos pedidos. Com mais agilidade, o interesse de passar por todo esse processo ficaria mais atraente, incentivando mais o desenvolvimento de novas ideias e gerando mais opções para os consumidores.

, Impacto Protensão, Fundador e CEO
Nascido em 1956 em Guaramiranga, interior do estado do Ceará, Joaquim Antônio Caracas Nogueira teve uma infância com muita fartura junto aos seus sete irmãos. Aos 15 anos ingressou na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), da Aeronáutica em Barbacena, Minas Gerais e teve a chance de conhecer todas as regiões do pais. Ao retornar, tinha 19 anos, entrou na Universidade Federal do Ceará para cursar Engenharia Civil. Na mesma época, uma crise financeira afetou sua família, sendo o mais velho dos homens, se sentiu na obrigação de ajudar a mater a casa. A terra em que vivia era muito fértil, e dali sempre brotava bananas em abundância. Então, com o carro da família, ele e os irmãos saiam em direção a capital para vender as bananas colhidas em suas propriedades. Joaquim começou a aprimorar sua experiência empreendedora e passou a desenvolver suas habilidades de negociação. Ao terminar a faculdade, conciliou seu perfil empreendedor com a capacidade de criar soluções inovadores que mudariam o cenário da construção civil.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: