Os segredos de Buenos Aires, a Cidade do Empreendedorismo de 2015

Endeavor Brasil
Endeavor Brasil

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 30 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Há 15 anos, empreendedorismo não fazia nem parte do dicionários deles: conheça as iniciativas da Buenos Aires Empreende

Durante o Congresso Global do Empreendedorismo, em março passado, a capital argentina foi eleita a cidade do empreendedorismo global. Quinze anos atrás, isso não era nem um sonho. Para entender melhor tudo o que mudou em Buenos Aires nesses anos e, principalmente, o que o governo local fez para alcançar esse resultado, entrevistamos Mariano Mayer, diretor-geral da agência governamental Buenos Aires Empreende.

Mariano destacou a importância de encarar o empreendedor como agente de mudança e de se articular com outras oganizações do setor público e privado. Hoje, o apoio aos empreendedores é uma das prioridades do governo de Buenos Aires e dezenas de milhares de pessoas já foram impactadas. Exemplos de como melhorar o ambiente empreendedor das cidades brasileiras não faltam, agora podemos começar a transformá-las!

Por que o Governo de Buenos Aires decidiu investir esforços na promoção do empreendedorismo?

Estamos convencidos que o empreendedorsimo tem um papel central na geração de riqueza e emprego para a cidade e o país. As políticas que criamos têm uma visão ampla do empreendedor como agente de mudanças e criador de valor econônomico, social e ambiental em qualquer lugar. É com esse foco que criamos nosso Plano de Apoio a Empreendedores.

E quais são as principais iniciativas da cidade nesse sentido? No que elas se diferenciam dos programas de outros governos?

Mesmo antes da administração atual, a Prefeitura de Buenos Aires tinha diversos programas para empreendedores. Parte do Plano de Apoio, lançado no final de 2013, uniu essas iniciativas e as que criamos na nova gestão em três principais eixos de gestão: capital humano, desenvolvimento da comunidade empreendedora e acesso a financiamento [Você pode conhecer mais sobre elas clicando aqui].

Já é possível colher resultados das iniciativas?

Em menos de um ano, conseguimos dar sentido estratégico às políticas de promoção ao empreendedorismo, consolidando e alinhando a comunidade empreendedora e o governo local nesse sentido. Hoje, o apoio aos empreendedores é uma das prioridades do nosso governo. E a colaboração de todo o ecossistema local explica, em grande parte, o prêmio que Buenos Aires ganhou no Global Cities Challenge, em março passado.

Também podemos citar, entre os resultados mais importantes, que:

O que você sugeriria para os governos das cidades brasileiras que queiram impulsionar o empreendedorismo?

Em primeiro lugar, vale destacar a iniciativa do Governo de Buenos Aires como catalizador do ecossistema local e promotor da coordenação dos distintos setores e atores que fazem parte desse ecossistema. Tudo isso só foi possível por termos feito um trabalho em colaboração com organizações da sociedade civil, universidades, empresas e organizações internacionais.

Depois, ressalto a articulação da nossa agência, a Buenos Aires Empreende, com outras áreas do Governo da cidade que impactam diretamente as ações de apoio aos empreendedores: as Secretarias de Educação, Fazenda, Emprego e Trabalho, Juventude e Cultura, entre outras.

A Academia Buenos Aires Empreende também colocou a cidade na vanguarda dos programas de capacitação e educação empreendedora. A inovação do programa está na seleção dos professores (todos são empreendedores) e o enfoque pedagógico, que prioriza a experiência teórica ao conhecimento técnico.

Foi importante também ter ampliado o enfoque do empreendedor como agente de mudança e gerador de valor econômico, social e/ou ambiental, que expande as ações da iniciativa pública e impacta muito mais gente, especialmente aqueles que tradicionalmente não estão acostumados a processos criativos e inovadores e os bairros mais vulneráveis da cidade.

Por fim, temos uma preocupação forte com a sustentabilidade das iniciativas públicas a longo prazo, complementando e envolvendo diversas organizações que não só governamentais, criando processos para cada uma delas e métricas que monstrassem os impactos das iniciativas.

Quais os novos objetivos do projeto e os desafios que esperan?

Queremos consolidar as iniciativas, medindo seu impacto e buscando uma escala ainda maior. As nossas métricas são extremamente importantes e são um insumo vital para o desenho de novas políticas púbicas, e por isso criamos o Observatório Empreendedor da cidade, que concentra todas as informações e pesquisas sobre o assunto. Além disso, queremos que todas as mudanças que estão acontecendo em Buenos Aires se espalhem por toda a Argentina.

Isso está acontecendo? Você vê que outras cidades, ou até o Governo Federal, estão se inspirando em Buenos Aires? Como?

Estamos trabalhando ativamente para criar pontes com outras cidades do país, da América do Sul e de todo o mundo. As cidades se consolidaram definitivamente como plataformas de apoio aos empreendedores, e a troca de experiência entre as cidades é a chave. Temos muito o que aprender com os outros, e também muito para mostrar.