facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Tire 13 dúvidas sobre gestão financeira na sua empresa

LoadingFavorito

Fluxo de caixa, capital de giro, auditoria, planejamento financeiro…Se você tem dúvidas sobre algum desses temas, confira a mentoria online!

Sua gestão deve ser focada no lucro ou no caixa? Quais indicadores são mais importantes de analisar? Como preparar a saúde financeira da sua empresa para crescer? Essas e outras perguntas foram respondidas pelo empreendedor Paulo Alencastro, da Acesso Digital. Confira o vídeo logo acima e as principais dúvidas aqui embaixo.

Como o plano financeiro conversa com o planejamento estratégico da empresa?

Pensar em planejamento financeiro é pensar no planejamento da empresa: as duas coisas caminham juntas. Você precisa entender primeiro quais são os objetivos da empresa, para então desdobrar.

Quando a empresa é menor, fica mais fácil fazer as duas coisas juntas: o seu plano estratégico com o plano financeiro. Mas, conforme ela vai crescendo, algumas forças vão convergindo uma contra a outra, e aí entra o problema de gestão.

Na Acesso, o que vem primeiro é o Sonho Grande. ‘Onde se quer chegar? Qual é o objetivo e a meta?’ A partir daí, é montado o plano estratégico com os principais pontos de avanço e conquistas que você deseja para a sua empresa. Então, você desdobra seu plano financeiro: tudo que você precisa investir, como fazer a projeção de clientes.

Na prática, como funciona a gestão financeira na Acesso Digital?

Hoje, na Acesso, temos um ciclo trimestral. Existe uma visão de longo prazo, mas a cada três meses revisamos o que ficou definido. Por sermos do mercado de tecnologia, os clientes exigem uma mudança rápida e uma agilidade grande para inovar. O que nós percebemos é que conseguimos trazer essa dinâmica encurtando o prazo de revisão.

Eu preciso ter metas que tenham repercussão no plano financeiro. Por exemplo, quando defino quanto quero crescer, tenho que saber que isso vai trazer aumento de receita e, obviamente, o plano financeiro vai cadenciar os planos da empresa porque se você não tem esse direcionador, pode fazer o que quiser. E aí não dá certo.

O plano estratégico puxa o orçamento, mas o orçamento ajusta o plano estratégico.

E como fazer planejamento financeiro quando não se tem dado histórico?

O começo sempre é difícil. O mais importante quando você está começando numa startup é pensar no próximo mês. Deixa de lado o histórico, até porque não existe, e começa a trabalhar no que você está se propondo a realizar nos próximos períodos. Você vai fazer um plano e um orçamento com base no que você vai construir nos próximos meses, e aí vai acompanhando e ajustando o planejamento de acordo com a realidade. Esse exercício vai ajudar a balancear cada vez mais o plano com a realidade. É importante saber também que, em empresas que estão começando e crescer rápido, o histórico não ajuda muito porque ela muda drasticamente de um mês para o outro. O que aquela empresa fez naquele mês, pode fazer o dobro no próximo, por exemplo.

O que é mais importante na gestão financeira de uma empresa que está começando?

A questão da disciplina. O empreendedor gosta de criar, inovar, desenvolver, vender…E finanças requer disciplina! Eu acredito que é muito importante conseguir trazer essa disciplina para o dia a dia e torná-la parte do seu processo de gestão para acompanhar de perto.

Quando a empresa é menor, toda semana você precisa acompanhar isso de perto. Vai aumentando de tamanho, e esse monitoramento pode ser mensal. Depois trimestral…E assim por diante!

Como separar os gastos pessoais das finanças da empresa?

Se você misturar os dois, fica mais difícil saber se há algo de errado com as finanças da empresa ou se você está gastando além da conta, por exemplo. É muito importante ter essa separação. No início, faça um reconhecimento salarial a você, empreendedor. Tenha uma retirada mensal para que as coisas não se misturem. Se você tem a intenção de fazer a empresa crescer, é importante profissionalizar desde o início.

Se hoje você criasse a área financeira da Acesso do zero, por onde começaria?

Quando a gente pensa em área financeira, existe uma série de atividades envolvidas: pagar, receber, controlar o valor que você tem em caixa, olhar o orçamento…

Eu começaria olhando para o pagamento e recebimento. Uma empresa no estágio inicial só vai quebrar se não tiver dinheiro para honrar com suas obrigações. Eu começaria com essas atividades que são mais seguras e teria alguém olhando exclusivamente para isso.

Conforme a empresa cresce, os volumes aumentam, daí eu faria uma separação: deixaria uma pessoa responsável por faturar e receber dos clientes, deixando a parte de pagamentos separado. Nessa fase, você tem um envolvimento maior com os clientes, aumenta a necessidade de entendê-los para fazer o recebimento bem feito.

Já em um terceiro estágio, eu entraria com o controle financeiro. Os volumes vão aumentando, as responsabilidades também. Por isso, o erro se torna um risco maior. Eu teria alguém fazendo o controle de como as coisas estão acontecendo — pagamento, recebimento, fluxo de caixa.

Depois disso, traria uma pessoa para olhar a gestão financeira como um todo, o futuro da empresa, o longo prazo, o quanto os objetivos maiores da empresa vêm influenciando a parte financeira.

Como fazer a gestão financeira, olhando para fluxo de caixa e o capital de giro da empresa?

Ninguém consegue fazer gestão da empresa com pressão grande de que precisa receber este mês pra pagar as contas. O certo é trabalhar a questão orçamentária para deixar um valor em caixa, criar um lastro para possíveis emergências: algum cliente que deixa de pagar, uma eventualidade que surge, uma oportunidade de investimento e compra que você possa fazer…

Para construir isso, entra a questão da gestão para garantir que você vai receber no tempo certo dos clientes.

Trabalhe também seu prazo de pagamento. Quando sua empresa começa, não tem poder para negociar com fornecedores. Mas, ao longo do tempo, você pode ir alongando seu prazo de pagamento, garantindo que tenha o recebimento dos seus clientes dentro do prazo. Com isso, você vai ter maior controle do seu negócio com menor risco e maior capacidade de investimento. É um trabalho de médio a longo prazo, não é de um dia para o outro porque ninguém consegue começar a empresa com muito dinheiro, mas é um trabalho que precisa ser feito para que a empresa tenha fôlego.

Assim, você tem foco nos objetivos de crescimento sem ter aquela pressão de que não vai conseguir terminar o mês pagando as contas.

O que é melhor: uma gestão mais focada no caixa ou no lucro?

Se seu negócio é novo, você precisa focar no caixa, no resultado da empresa para acumular recursos e investir em mais crescimento e desenvolvimento. Com o passar do tempo, você começa a equilibrar e a fazer uma gestão mais ampla, olhando para a questão do caixa e também para a questão do lucro.

Se a empresa está no início, olhe para o caixa. Se está mais madura, olhe para o caixa e também para o lucro.

Depende muito da estabilidade da empresa. A empresa só vai quebrar se não tiver caixa.

A empresa consegue se sustentar sem lucro por um tempo, mas sem caixa não consegue porque não vai pagar funcionários nem fornecedores.

Quando o empreendedor está olhando para muita coisa no início do negócio, como cuidar da gestão financeira para crescer?

O empreendedor precisa separar um pedaço da agenda dele para isso: entender como a empresa está gerando resultado, cobrando do cliente, pagando as contas…

Se ele não olhar para isso, corre o risco de deixar de lado e daqui a pouco o sonho dele não se torna realidade pela incapacidade de honrar com as responsabilidades da empresa. Eu não vejo outro caminho pra que isso ocorra de uma forma sustentável. Porque mesmo depois que a empresa cresce, o tema finanças é um latente no dia a dia. Seja pra ele fazer um grande investimento, uma grande aquisição de outra empresa, expandir seu negócio para outros mercados, eu não vejo isso como algo que ele possa se distanciar por mais que ele prefira trabalhar com outras coisas.

Como investir para sustentar o crescimento do negócio?

No início, o melhor é investir o dinheiro que você está gerando na empresa. Os primeiros anos de uma empresa deveriam ser dedicados a ela. O dinheiro deveria ser da empresa, ficar na empresa. Para crescer, ela precisa de recursos. E o recurso mais barato é o que você gera e não precisa buscar de terceiros.

Você pode seguir outros caminhos: assumir uma dívida, ter um sócio-investidor… Mas sempre no início é difícil entender os valores: ‘O quanto vale trazer um sócio agora?’ ‘Eu tenho capacidade de ter uma dívida? Não vai ser muito cara?’

Na Acesso, nos primeiros anos, todo o resultado da empresa era dedicado ao próprio negócio. Isso foi um acordo societário que fizemos desde o começo para preservar e pensar na perenidade do negócio. A gente sabe como é suado gerar os primeiros resultados de uma empresa, se dedicar e se empenhar e nada mais justo que esse dinheiro fique na empresa nesse início.

Quais são os principais indicadores de acompanhamento financeiro da empresa?

Quando a empresa está começando, eu acredito que você tem indicadores simples que são medidos semanalmente:

1) O quanto você está gastando: se está dentro do que você planejou, projetou, orçou;
2) O quanto você está recebendo: se você está recebendo o que você faturou dos seus clientes; e
3) O quanto você tem em caixa, que não deixa de ser a combinação das duas coisas.

Ao longo do tempo, você tem novos elementos que vale medir, de acordo com o planejamento para o futuro:

1) Lucro
2) Ebitida
3) Ciclo financeiro

São coisas que você vai inserindo conforme a maturidade do negócio.

Como lidar com altos índices de inadimplência dos meus clientes?

O primeiro passo é criar uma política interna. Defina o que você vai fazer se ele não pagar, quais são os prazos e as formas de cobrança… Mas, a parte mais importante é se perguntar: Por que você tem inadimplência?

Seu produto não é relevante para o seu cliente a ponto de ele não se preocupar em pagar? Você tem uma deficiência na entrega que deixa seu cliente insatisfeito e por isso ele não paga?

O primeiro ponto sobre a inadimplência é entender porque você não está recebendo. E às vezes sua política, por melhor que seja, não vai resolver isso. O melhor é conversar com seus clientes e entender direito o que está acontecendo. O mais importante no processo de cobrança é a comunicação. Fluxo claro e aberto com os clientes para entender o real motivo.

Eu já me deparei com situações nos quais a cobrança chegava num momento em que o cliente tinha outras prioridades e seu pagamento ficava para depois. Era só uma questão de tempo, trazer o momento de cobrança para um tempo anterior e, assim, a inadimplência acabava.”

É importante inserir um processo de auditoria na minha empresa?

Auditar o processo é muito seguro e importante porque vai garantir que o processo amadureça ao longo do tempo. A auditoria não tem por objetivo crucificar porque existe um erro, mas sim apontar um pedaço do processo que pode ser melhorado.

super banner 728x90

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

9 Comentários

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
ordernar por: mais votados mais recentes
  1. marcelo Itu - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Pois é, usam a palavra mentoria, em outras ocasiões coaching, e muitas outras mais… Falar bonito virou fonte de renda….

  2. Rubens Pereira - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    A visão moderna de negócios preconiza que o objetivo principal de uma
    empresa deve ser a sua perpetuação, diferentemente da visão anterior, cujo
    objetivo principal era focar no lucro. Obviamente que, para a empresa se
    perpetuar, precisa dar lucro, mas quando o foco é exclusivamente nesse aspecto
    acaba-se por exigir demais do “preço” do produto ou serviço.

  3. ewerton guimas - says:

    2 curtidas
     
    Curtir

    Bom Dia

    Achei fraco, imaginava ser um case onde ele iria mostrar passo a passo como se faz.

  4. THIAGO DE JESUS SANTOS - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    Bom dia!!

    achei o conteudo muito generico! esperava mais esclarecimentos sobre os temas apontados, principalmente em tempos de crise ,mas, enfim…

    sempre o de sempre ne, gaste menos e invista em ativos!!

  5. Christian Neisse Sudbrack - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Quando você fala empresa pequena, a que faixa de faturamento está se referindo? (fica tranquilo que vou entender esse dado com um dado aproximado)

  6. Luiz André Flores Pereira - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Quando o lucro da empresa está comprometido com empréstimos, não sobrando para investir. Qual a melhor solução?

  7. Luiz André Flores Pereira - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    Qual a melhor estratégia quando a empresa está com o lucro todo comprometido com empréstimos, não sobrando nada para investimento?

    Luiz André

  8. MARCELO HOMEM. - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Vendo com 50% antecipado e o restante na entrega. Penso em aceitar cartão, é realmente uma boa alternativo ao aumento das vendas?
    Att,
    Marcelo Homem.

  9. leonardo neto - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    como lido com a questao de financiamentos de recursos para aumentar a empresa e desenvolver a empresa.