A tese de inovação aberta da Arezzo&Co para revolucionar o mercado da moda no Brasil

Endeavor Brasil
Endeavor Brasil

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 30 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

A Arezzo&Co está vivendo um ponto de inflexão.

Em 2020, ao entender a importância da inovação aberta para revolucionar o mercado da moda brasileiro, o grupo: 

Veja a tese de inovação da Arezzo&Co aqui

O ZZ Ventures fechou uma parceria com a Endeavor de patrocínio de dois programas de aceleração: o Scale-up Endeavor Retail Tech & Operations, que está com inscrições abertas, e o Scale-up Endeavor Varejo – que será lançado em abril.

Convidamos Aline Penna, Diretora de Estratégia, M&A e R.I. da Arezzo&Co, para uma conversa com a nossa Coordenadora de Open Innovation, Giovanna Fiorini. A executiva nos contou um pouco mais sobre a tese de inovação da Arezzo&Co e o porquê de investir em inovação aberta com scale-ups.

Nessas conexões [com scale-ups], pretendemos ganhar tempo, velocidade e otimizar processos para atingir nossos objetivos.” 

Aline Penna, Diretora de Estratégia, M&A e R.I. da Arezzo&Co

Você pode assistir ao vídeo com os grandes insights do bate-papo ou ler o bate-papo, na íntegra, abaixo. 

1) Aline, conta pra gente um pouco desse momento da Arezzo&Co.

AP: “2020 foi um ano de transformação para a Arezzo&Co. Nós agimos rápido, principalmente no ciclo produtivo. A Arezzo&Co sempre foi reconhecida pela velocidade no lançamento das coleções, que ocorriam mensalmente. Agora, passamos a fazer lançamentos quinzenais, duplicando a velocidade. Nos tornamos mais digitais do que éramos em 2019. Nossos franqueados conseguiram vender uma quantidade muito relevante, mesmo no pior momento da crise e com as lojas fechadas.

Depois que sentimos confiança por termos conseguido transitar pelas águas difíceis da pandemia, logo no final de julho, olhamos para a inovação de forma estratégica e alinhada. 

Nós decidimos que, além de líder em bolsas e calçados femininos, queremos estar no mercado masculino, de vestuário e calçados. Por isso, licenciamos a marca Vans e incorporamos o grupo Reserva. Vimos, também, a necessidade de atuarmos com economia circular, por isso investimos na TROC, através do ZZ Ventures. Essa startup é uma peça importante no que queremos construir. 

Estar com a Endeavor nos dá confiança, pelo reconhecimento que vocês têm no ecossistema.

Somos uma empresa formada por empreendedores e queremos ajudar e alavancar outros empreendedores.” 

2) Por que a Arezzo&Co está investindo em inovação aberta? 

AP: “A gente vê muita importância na conexão com startups e scale-ups. Em 2019, conversamos com algumas startups, focando em marcas insurgentes, porém optamos pelo caminho do M&A. 

Quando optamos pela inovação de aberta, criamos um veículo específico para isso: o ZZ Ventures. Assim, temos mais flexibilidade na conexão com as startups e scale-ups. Entendemos que, em muitos casos, esta conexão pode ser uma parceria, um contrato ou uma prestação de serviço. Por isso, queremos nos aproximar, pensando em agregar valor para as nossas marcas e para o grupo como um todo. Temos certeza que várias startups e scale-ups têm soluções para dores da nossa empresa. 

No caso da TROC, fizemos vários projetos internos tentando solucionar nossas necessidades em economia circular e vimos que levaríamos tempo e recursos com a criação do zero. Com a TROC, ganhamos eficiência e velocidade. 

Nessas conexões, então, pretendemos ganhar tempo, velocidade e otimizar processos para atingir nossos objetivos.” 

3) Como você enxerga o impacto da conexão entre corporações e scale-ups para o desenvolvimento do varejo & indústria? Por que vocês apostam nesse modelo?

AP: “O varejo é um setor tradicional e ancorado no físico. Somos uma cadeia de lojas com mais de 800 unidades. Por mais que nosso e-commerce esteja crescendo, com mais de R$500 milhões de faturamento, ainda temos muitas lojas físicas para operar. Então, estar próximo de startups e scale-ups é estar próximo de tecnologia e soluções inovadoras. Acreditamos que temos muito o que aprender e também temos muito o que ensinar. Essa troca vai ser muito interessante.  

Sabemos, também, que não só empresas tecnológicas com soluções voltadas para o varejo vão nos ajudar. Existem outras soluções que podem endereçar todos os tipos de desafios.” 

4) Vocês são nossos parceiros no Scale-up Endeavor Retail Tech & Operations e Varejo. Por que patrocinar esses programas? Quais os maiores benefícios?

AP: “Esse é o nosso primeiro ano fazendo inovação aberta. Por isso, um dos principais motivos de nos aproximarmos da Endeavor é o reconhecimento a nível global da organização. Esse selo de qualidade vai nos ajudar, também, a compreender melhor o ecossistema. 

Estamos apenas começando.

Vemos muito valor em ter um parceiro reconhecido pela sociedade e pelos empreendedores. Queremos que as scale-ups estejam confortáveis em se conectar com a gente. A Endeavor vai trazer cases para o nosso radar que não conseguiríamos nos aproximar tão facilmente nesse começo. 

Em relação aos programas, um vai ajudar nas dores de negócios, e o outro vai nos ajudar a trazer cases e marcas insurgentes. Já que somos uma empresa multimarca e multicanal – agora são 14 marcas e em vários canais, franquia, e-commerce, marketplace -, precisamos pensar na logística, nas embalagens, e em diversos outros aspectos. Não faltam oportunidades. 

Queremos criar um ecossistema, oferecer uma ferramenta de learning, um wallet digital… Tem muita coisa que queremos trazer e que a rede Endeavor pode nos ajudar.” 

5) Qual o impacto que vocês querem causar no ecossistema patrocinando esses programas de aceleração? O que vocês esperam do futuro?

AP: Somos uma empresa de empreendedores que quer incentivar o ecossistema empreendedor. Inclusive, quando lançamos o ZZ Ventures, esse foi o nosso slogan. É muito verdade aqui dentro. O Alexandre Birman, nosso CEO, sempre fala que não quer fazer parceria com CNPJs, e sim com CPFs. Quando trouxemos a Reserva, também trouxemos o Rony e os outros sócios. O mesmo aconteceu com a TROC e com a Luana. A ideia é continuar assim com as startups e scale-ups, o fundador é muito importante e queremos ajudá-los naquilo que eles fazem de melhor. 

A Arezzo&Co, como grupo, se preocupa muito com o ESG. O S, do social, é muito importante pra gente. Somos preocupados com pessoas. Somos uma empresa de CPFs que procura novos CPFs para agregar valor.” 


Impulsione sua estratégia de inovação com scale-ups

Seja uma empresa parceira