fortbrasil inovação aberta fortbrasil inovação aberta

Juliana Freitas: de Empreendedora Endeavor à parceira de Inovação Aberta

Endeavor Brasil
Endeavor Brasil

A Endeavor é a rede formada pelas empreendedoras e empreendedores à frente das scale-ups que mais crescem no mundo e que são grandes exemplos para o país.

Quem um dia foi apoiado, agora está apoiando. Quem um dia recebeu investimento, agora investe. 

Esse movimento que chamamos de ‘full circle’ chega também às parcerias de Inovação Aberta da Endeavor que aceleram o crescimento das scale-ups. Quando empresas de Empreendedoras e Empreendedores Endeavor passam a participar da comunidade de empresas parceiras, um novo tipo de negócio nasce.

Vemos a FortBrasil vivendo essa nova fase. A scale-up da Empreendedora Endeavor Juliana Freitas e do Empreendedor Endeavor José Neto é a mais nova parceira de Inovação Aberta da Endeavor. 

A Endeavor, sem dúvidas, foi um divisor de águas para mim como empreendedora e para a Fortbrasil. A Endeavor conta com um time incrível para ajudar quem empreende em cada etapa da sua jornada, além de já conhecer muito bem a Fortbrasil e os seus desafios”, Juliana Freitas

Conheça a FortBrasil

A FortBrasil nasceu com o sonho grande de ser a maior e melhor plataforma de serviços financeiros para as classes emergentes. Hoje, é uma das maiores fintechs no setor de cartões de crédito no Brasil.

Toda a nossa estratégia desde a fundação tem sido a de proporcionar acesso a crédito e aumento do poder de compra para a classe C, D e E . Muitas das pessoas que são nossas clientes têm a sua primeira experiência de crédito com a FortBrasil”, Juliana Freitas

O crescimento da FortBrasil, mais do que dobrou o tamanho da sua operação nos últimos dois anos, saindo de 1 bilhão em vendas ao fim de 2019 para R$ 2,3 bilhões de movimentação nos seus cartões em 2021.

fortbrasil inovação aberta

FortBrasil e Inovação Aberta

E para impulsionar ainda mais seu sonho grande, agora a FortBrasil participa da rede de Inovação Aberta da Endeavor. Para entender um pouco mais sobre esse momento da FortBrasil, conversamos com a Juliana Freitas. Confira! 

A FortBrasil já é uma empresa de base tecnológica, por que buscar scale-ups para inovar?

Juliana: Tivemos uma história de sucesso sendo mono produto, porém, nos últimos anos sentimos a necessidade de desenvolver novas soluções para as pessoas que são nossas clientes B2B e B2C. Dessa forma, buscar parcerias com scale-ups é uma maneira de acelerar essa entrega. 

Queremos continuar evoluindo nossa maior vantagem competitiva, que é a capacidade de analisar crédito para a base da pirâmide. As scale-ups podem nos ajudar a melhorar a jornada e experiência do atual produto de cartão de crédito e acelerar o nosso roadmap de produtos futuros, criando um ecossistema que faça sentido para negócio e clientes. 

Com isso, vamos estar mais perto da inovação, acelerar entregas e moldar nossa cultura para ser uma empresa mais conectada com nossos clientes e suas necessidades.

O que as scale-ups têm de diferente quando o assunto é inovação?

Juliana: Inovação é gerar valor para as pessoas que são nossas clientes com um produto ou serviço e, com isso, construir um negócio que seja sustentável para todos os stakeholders. Gosto de trocar experiências com scale-ups porque elas normalmente já conseguiram validar um produto, já possuem market fit, possuem um time com alta capacidade de entrega, que consegue entender o seu mercado e as dores de quem é cliente. Esses são diferenciais incríveis que poucas empresas possuem. Significa que as scales-ups tem a seu favor uma história de inovação validada, experiência de quem passou por diversos desafios e continua crescendo e evoluindo seus produtos.

Quais são os objetivos da FortBrasil com Inovação Aberta?

Juliana: Além de ajudar na oferta de produtos, entendo que vai ajudar o nosso time a compreender melhor e evolução que o mercado das fintechs tem passado ultimamente e que vai continuar passando, além de nos mostrar como tirar melhor proveito de todo o ecossistema. A colaboração externa é fundamental em um mundo que se move tão rápido.  

Como é essa transição de “scale-up acelerada” para ‘“empresa que busca scale-ups para inovar ainda mais”?

Juliana: Foi exatamente através de mentorias da Endeavor que entendemos que buscar parcerias com scale-ups poderia ser um caminho para acelerar alguns dos nossos movimentos. Logo, vemos essa transição como uma evolução natural. A Endeavor nos ensina diariamente a força do ecossistema e esse movimento está acontecendo exatamente por acreditarmos nessa força.                           

Como você enxerga a Endeavor na sua estratégia de Inovação Aberta?

Juliana:  A Endeavor tem todas as competências necessárias para auxiliar na nossa estratégia de Inovação aberta, pois desempenha um papel fundamental no desenvolvimento do ecossistema empreendedor brasileiro, tendo um profundo conhecimento das scale-ups do nosso país.

Pra você, como Inovação Aberta com scale-ups impacta o ecossistema? E o Brasil?

Juliana: Hoje, temos inúmeros exemplos de empresas tradicionais que estão mudando o caminho dos seus negócios com Inovação Aberta, com os mais diversos formatos de negócios e parcerias. Essa troca favorece o mercado como um todo. 

A inovação acontece cada vez mais rápido e de forma cada vez mais colaborativa e as scale-ups têm um papel fundamental nesse ecossistema por já terem nascido com a mentalidade de construir soluções que gerem valor na vida de quem é cliente. 

A construção do ecossistema brasileiro de inovação passa pela scale-ups e a conexão dessas empresas com grandes empresas, startups, aceleradoras, a Endeavor e todas as pessoas que veem no empreendedorismo um caminho de evolução econômica e social para o nosso país.

Quer saber mais sobre nosso trabalho na frente de Inovação Aberta? Clique aqui