facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Metadados: conheça os principais agentes da mais recente revolução da web

LoadingFavorito

“Dados sobre outros dados”, os metadados servem para catalogar e recuperar informações, e são fundamentais ao desenvolvimento do importante conceito de web semântica. Saiba mais sobre tudo isso aqui. 

E lá vamos nós para mais um conteúdo que, embora um tanto técnico, é muito importante. Agora, falaremos sobre um assunto que é imprescindível para um novo momento da internet, em que a catalogação de informações vai ditar as regras. E que por isso você precisa conhecer: os metadados.

O que são metadados?

De acordo com este texto do site Metadados, os metadados são marcos – ou pontos de referência – que permitem catalogar e classificar uma informação sob todas as formas. Pode se dizer que são resumos de informações sobre a forma ou conteúdo de uma fonte.

O prefixo “meta” vem do grego, e significa “além de”. Assim, os metadados são informações que são acrescentadas aos dados, e que têm como objetivo nos informar sobre estes dados para que sua organização se torne mais fácil.

Em suma, são dados sobre outros dados. Um item de um metadado pode dizer do que se trata aquele dado, geralmente uma informação inteligível por um computador.

Assim, metadados são costumeiramente vistos como separados do núcleo duro da informação. Ou seja, aquela informação que está relacionada com as transações de negócio – mas isso não quer dizer que não sejam importantes. Definições e regras de negócio, detalhes de segurança, informação de domínios, tags XML – tudo isso é metadado.

Não é de hoje que esse tipo de informação é usado para classificar, organizar e pesquisar. Na verdade, podemos encontrar metadados já na antiga Suméria, onde placas de argila eram identificadas por fios coloridos conforme o tipo, e arrumadas em prateleiras com indicações escritas ao lado. Os escribas romanos também os utilizavam, já que amarravam maços de documentos relacionados, etiquetavam-nos e penduravam-nos no teto.

O que agora é diferente é que a informação tornou-se predominantemente eletrônica e dispersa. E, claro, cresce a uma velocidade exponencial.

Como e para que se usa metadados?

Os metadados são utilizados sobretudo na gestão de arquivos e informações. No caso de dados físicos, por exemplo, servem para fornecer a localização, o número de caixa, etiqueta de pasta e sistema de classificação. No mundo da imagem documental, podem incluir o tipo de documento, a data e as entidades com que se relaciona.

Entretanto, a utilização de metadados se estende a outros campos além da gestão documental. Como, por exemplo, a tecnologia conhecida por data warehouse, que consiste em extrair e consolidar dados de múltiplas fontes numa base que possa ser consultada de várias maneiras pelos gestores.

Neste contexto, os metadados são um instrumento essencial para a gestão do estoque, e incluem informações como lista de conteúdo, origem dos dados, transformações (como filtragens ou cálculos efetuados na transferência para a localização atual), versão, modelos de dados etc.

Ouvi dizer que tem a ver com o web semântica, mas não sei o que é isso…

Ouviu bem, os metadados são fundamentais para este novo conceito denominado web semântica. O termo é recente, e se refere ao processo de interligação que permitirá que computadores e humanos trabalhem em cooperação. É a chamada web do futuro, já que se trata de aplicar conceitos inteligentes na internet atual.

De acordo com esta matéria do portal TecMundo, na web semântica, cada informação vem com um significado bem definido, e não se encontra mais solta no mar de conteúdo, o que permite uma melhor interação com o usuário. E essa definição só ocorre graças aos metadados.

Assim, você não vai mais precisar minerar a internet em busca daquilo que procura; a web vai passar a se comportar como um todo, e não mais como um monte de informação empilhada.

Algum exemplo de como isso funciona?

Ainda de acordo com o texto do TecMundo, o implemento da nova tecnologia é muito recente, e ainda vai levar mais alguns anos até que entre completamente em vigor.

Mesmo assim, já podemos conferir os primeiros resultados dos metadados em ação na web semântica.

Por exemplo: no site do Google, digite a palavra “define:” seguida de qualquer outra palavra. Você verá que, ao invés de receber uma séria de páginas com resultados genéricos, o site exibe para você apenas páginas que definem a palavra que você escolheu.

Ou seja, é a utilização dos metadados servindo à inteligência artificial na internet para filtrar o que você procura. É uma revolução silenciosa que está em curso – e, quanto antes você a conhecer e souber utilizá-la a seu favor, melhor.

Onde posso me informar mais?

Esta página do IBGE traz mais informações sobre metadados.

E este texto do IBL também se presta a esclarecer o conceito.

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

1 Comentário

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
  1. José Eugênio Grillo - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    O site do W3C – http://www.w3c.br – tem muito mais informações sobre a web semântica.

Parceiros
Criação e desenvolvimento: