facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Mentoria Online | Processos e Ferramentas de Governança Corporativa

LoadingFavorito

Você sente que a sua empresa perde muito tempo refazendo tarefas? Falta alinhamento interno? Que os sócios tenham grandes dificuldades em chegar a um acordo sobre decisões estratégicas? Ou até que regras, inclusive leis, são descumpridas pelos funcionários? Você pode ter problemas de governança corporativa: não se assuste com o termo: ele não está ligado apenas a corporações enormes — empresas que ainda estão em seu início também precisam se preocupar com o tema.

Na semana passada, participei de uma mentoria online promovida pela Endeavor e pelo Sebrae sobre o tema. Aqui, eu reuni algumas das perguntas feitas pelos empreendedores durante a conversa, que você pode assistir na íntegra no vídeo acima.

O que é governança corporativa?

Governança é o meio como olhamos a gestão de um negócio considerando diversos aspectos: administrativo, financeiro, de controles internos, mercado e até a responsabilidade social. Na prática, ela tem quatro pilares essenciais:

Equidade: igualdade entre os sócios e entre os funcionários da organização
Transparência: em relação aos sócios, aos funcionários, parceiros, clientes etc.
Controle (compliance): as regras do jogo que determinam como a organização funciona
Responsabilidade social e ambiental: a consciência ética do impacto da organização na sociedade.

Como aplicar a governança corporativa no seu negócio?

Primeiro você precisa ter clareza sobre os objetivos da companhia e os papéis de cada um (sócios, administradores e funcionários) para alcançá-los. Qual será a contribuição de cada um para que a empresa seja bem-sucedida.

Depois, é essencial fazer um Acordo de Acionistas/Sócios, que determina as responsabilidades e a relação formal entre os sócios. Outro aspecto muito importante é criar um Conselho (Consultivo ou de Administração) com Conselheiros Independentes: um ou mais pessoas externas mais experientes que ajudem a oxigenar as ideias dos empreendedores e garantir a aplicação das quatro regras básicas de governança descritas acima, bem como atuarem ativamente no pensamento estratégico da empresa.

Na mentoria online, o empreendedor Alexandre Trevisan que participou da conversa comigo, conta que, no momento de montar um Conselho Consultivo para a uMov.me, procurou pessoas que tinham alinhamento de propósito, valores e crenças semelhantes às dele para que o processo transcorresse de forma mais natural.

Além disso, a rotina de ter uma reunião mensal de Conselho envolve todas as áreas da empresa. Cada líder é responsável por criar um resumo das ações, indicadores e status dos projetos da área e, por outro lado, o empreendedor traz feedbacks, orientações e direcionamentos vindos do Conselho que podem tanto validar o que já está sendo feito como também gerar ritmo para a organização.

Assim, em vez de tornar a empresa mais lenta, o Conselho ajuda a criar ritmo nas transformações feitas.

Como tornar a governança um processo simples para ajudar o empreendedor?

Se você vai criar uma empresa e tiver sócios, tem que ter em casa todas as regras funcionando. Se você tem essa convicção, mas está envolvido no dia a dia da empresa e não tem tempo de organizar isso de forma sistemática, esta é a melhor oportunidade de criar seu Conselho (Consultivo ou de Administração). Dá para começar de um jeito simples, com um conselho de 3 a 5 pessoas, para ajudá-lo a fazer as regras funcionarem e serem levadas a sério.

Alexandre contou que a simplicidade no processo de governança passa pelo alinhamento de valores e propósito. O objetivo é aumentar o potencial da companhia, e não apenas gerenciar divergências.

Como a governança ajuda a empresa?

Alexandre conta que o principal ponto foi a clareza de papéis. Saber dentro da companhia qual é a estrutura hierárquica, quais são os objetivos esperados de cada um e qual é o papel dos sócios ali dentro, facilita a criação de uma dinâmica mais equilibrada.

“A chave é ter uma clareza de objetivos, um alinhamento de médio prazo e uma hierarquia muito clara para saber quem é responsável por cada papel.”

Quais são os sinais que indicam na empresa o momento certo de implementar a Governança Corporativa?

Quando você começa uma empresa, quando ainda são duas ou três pessoas, o foco principal é fazer o projeto virar realidade. Nesse primeiro momento, não é possível criar um conselho ou uma estrutura pesada. Mas os princípios de equidade, transparência, compliance e responsabilidade social podem ser definidos desde o início. Os valores éticos e o propósito entre os sócios devem estar bem alinhados.

Assim, quando a empresa começa a navegar e a crescer, ela está pronta para receber a visão de pessoas de fora, trazendo a experiência sobre os caminhos que funcionam melhor, falando sobre o futuro e debatendo as decisões que estão sendo tomadas. Também faz parte da governança o aspecto estratégico. A estratégia tem que ser elaborada pelo corpo executivo, claro, mas muito discutida pelo Conselho.

Existe algum investimento necessário para implementar esse processo?

O primeiro investimento é o mental. Se você consegue pensar nesses 4 princípios que mencionamos, não custa nada. É só pensar. Mas, quando você cria um conselho consultivo ou de administração, tem o custo das horas gastas por você e também pelos membros do conselho.

A governança é fator de credibilidade para o negócio, tanto preparando para futuros investimentos, quanto para garantir transparência e seriedade na gestão. Por isso, o empreendedor tem condições de enxergá-lo como investimento e não só um custo.

Alexandre inclusive fez a provocação durante o nosso bate-papo online que eu acredito ser bastante pertinente:

“Como você mensura o ganho do empreendedor que evita fracassos e erros por conta dos conselhos que recebeu? O tempo que você economizou com decisões que teria que tomar sozinho? É impossível mensurar esse valor.”

Qual o passo a passo da governança para os empreendedores pequenos?

Você pode se aprofundar com o guia de boas práticas de governança corporativa para empresas de capital fechado ou, se tiver à frente de uma empresa familiar, pode ainda ler o guia de governança da família empresária. Os dois documentos foram produzidos pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) e são guias de como proceder para seguir os 4 princípios da governança dentro do seu negócio.

Qual é a diferença entre Conselho Consultivo e Administrativo?

O melhor conselheiro é o travesseiro. Ao deitar, é que você tem as maiores inspirações. Brincadeiras à parte, existem três tipos de conselhos: administrativo, consultivo e fiscal.

O conselho consultivo sob o aspecto jurídico é menos atrelado à empresa. Serve, quando instalado, como o próprio nome diz, para consultas dos sócios. Desse modo, seus membros não têm poder de decisão, apenas de orientação.

Já os membros do conselho de administração dividem a mesma responsabilidade perante terceiros, como os executivos e/ou sócios que exercem funções de gestão na empresa. Por exemplo, se a empresa tiver problemas de inadimplência, esses conselheiros responderão pela empresa perante as autoridades e ou credores, mesmo que a companhia seja de capital fechado. Quando alguém faz parte oficialmente da administração de uma empresa, sua responsabilidade é a mesma.

É por isso que muitas empresas criam conselhos consultivos que acabam exercendo a mesma função de discussão e orientação como se fosse o administrativo, porém sem o mesmo poder formal de decisão e comprometimento jurídico de seus participantes. O cuidado nesse caso está nas atas de registro das reuniões, para que não exista nenhuma formalização de “decisão tomada” pelo conselho consultivo, apenas “recomendações” e “orientações”, mantendo a decisão final e formal na mão dos empreendedores/executivos da empresa.

Por fim, o conselho fiscal é um conselho que tem a finalidade específica de examinar as contas patrimoniais e demonstrações financeiras das empresas e será instalado nas empresas por decisão dos acionistas normalmente quando acionistas ou sócios minoritários questionam os controladores.

Qual é a diferença entre o Conselho Administrativo e Familiar?

No caso das empresas familiares, algumas famílias controladoras de seus negócios, querendo preservar o legado familiar, criam seus Conselhos de Família cujo princípio básico é o de regular e acompanhar para que os valores e princípios básicos dos fundadores sejam preservados visando a longevidade e união familiar. Esse grupo não participa do conselho de administração – pode, eventualmente, até ter alguns membros participando, mas não muitos. O que ele define é que regras do jogo a administração precisa obedecer para respeitar a vontade da família que é a acionista controladora.

Como remunerar os membros do Conselho?

Existem diversas formas. A mais comum é de jeton mensal, uma espécie de honorário fixo pago todo mês para quem participa do conselho. Outra forma, para empresas iniciantes ou sem recursos para remunerar adequadamente, é oferecer participação societária. Dependendo das circunstâncias, o custo não costuma ser excessivo. O maior esforço, que realmente exige “investimento” é o processo mental de criar e implementar essas práticas de modo mais efetivo.

Onde encontrar um Conselheiro Externo independente para ter ao seu lado?

No site do IBGC, existe um banco de conselheiros formados com perfis específicos. Analisem quais são suas necessidades dentro da empresa e descubra quem mais atende a elas, com mais experiência na área desejada. Se você selecionar cinco pessoas, por exemplo, pode entrevistar cada uma para entender qual tem mais alinhamento com seu negócio, tanto em experiência quanto em propósito e valores. Outra alternativa seria através de empresas especializadas em Executives Search

Qual é o melhor perfil de conselheiro para fazer parte do board?

Na visão de Alexandre, o melhor é buscar um conselheiro independente. Alguém com quem você não esteja fazendo negócio, que não seja um acionista relevante nem que tenha um grau de parentesco com os sócios. Assim, ele contribui de forma mais livre, buscando corrigir ou alertar para os riscos, ver o que está acontecendo com a visão de fora e ajudar a desenhar o plano de crescimento para o futuro. Normalmente, é um profissional de confiança dos empreendedores que contribui de forma isenta e neutra e tem larga experiência no setor ou nos desafios pelos quais a empresa passa.

Porém, o que o empreendedor explica nessa mentoria, é que o trabalho deles não acaba quando se encerra a reunião. Esses conselheiros precisam estar antenados nas reuniões e também no que tange a gestão da empresa, os números do balanço, o orçamento e, principalmente, ter essas informações em mente antes da reunião para chegar e contribuir com sua visão.

O que é compliance?

Em uma startup, começa essencialmente com o cuidado com o caixa, um acompanhamento constante. Mas, de maneira geral, significa funcionar dentro das regras e fazer com que as regras funcionem. Para entender melhor sobre esse conceito, veja esse artigo.

De que forma a governança corporativa ajuda a definir os papéis dos sócios?

Eu posso assegurar que a grande responsabilidade pela destruição nas empresas não é o câmbio, as finanças, nem o mercado, mas sim o desalinhamento entre os sócios. Esse é o pior dos males para a organização. Se eles não enxergam um objetivo comum de crescimento da empresa, se não se perguntam: “’Eu sou a melhor pessoa para tocar isso? Se eu fosse contratar alguém para realizar essa função, eu me contrataria?”, a probabilidade de a empresa desaparecer é grande. Se os sócios não se entendem, como é que queremos que os funcionários vão se guiar?

As regras do jogo são definidas a partir dos princípios de equidade, transparência, compliance e responsabilidade social. É preciso definir as regras do jogo, para a convivência atual e futura substituição. O que vai acontecer com os sucessores? Eu escolhi meus sócios, mas nossos filhos não nos escolheram, e nem se escolheram entre si.

Para se aprofundar, veja também:

Governança Corporativa: 3 práticas que não podem faltar na sua empresa

Conselho Consultivo: 4 dicas primordiais para ter seu próprio Oráculo de Delfos

Acordo societário: a porta de saída de um casamento ruim

115 ferramentas e eBooks - CTA do Porta - 740x120 copiar 2

, IBCG, Cofundador
Roberto é empreendedor, palestrante e consultor em Governança Corporativa, Sucessão familiar e Fusões e Aquisições (M&A). Foi acionista, diretor executivo e membro do Conselho de Administração da Metal Leve e Presidente da CVM. É cofundador do IBGC e Coordenador da Comissão do Congresso 2014. É formado em Administração de Empresas pela EAESP-FGV, com especialização em Gestão Avançada (Dom Cabral e INSEAD - Fontainebleau - França), em Empreendedorismo (Babson College - Boston - USA) e em Governança Corporativa – Training of Trainers (IFC - International Finance Corporation – IBGC).

Deixe seu comentário

18 Comentários

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
ordernar por: mais votados mais recentes
  1. Camilla Alves - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Mais alguns materiais complementares:
    Quiz Check-up: http://bit.ly/checkup-endeavor-sebrae

    Ferramenta – Avaliação de Sócios 4D| http://info.endeavor.org.br/avaliacao-socios

    Mentoria Online| Planejamento Estratégico: https://youtu.be/NuInMWsVsUw

    Mini curso por e-mail | http://info.endeavor.org.br/trilha-planejamento-estrategico

    Abraços,
    Time Endeavor

  2. Luís Augusto De Jesus Jordão - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Excelente mentoria ! ! !

  3. Adriano Casartelli - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    #Mentoria On Line -E as ferramentas?

    1. George Nelzo - says:

      0 curtidas
       
      Curtir

      #Mentoria On Line -E as ferramentas?
      TBM estou esperando… acho que o titulo foi apenas um chamariz… :(

  4. 0 curtidas
     
    Curtir

    É possível implementar governança corporativa na empresa de 10 funcionários?

  5. NÉDIO CERCHI - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    a Endeavor ou algum dos participantes tem e podem disponibilizar um exemplo de acordo de acionistas? Para que possamos usar como exemplo e ponto de partida.

  6. Marcos Almada - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    #mentoriaonline Gustavo, como o Alexandre vê o desafio de transmitir ao time operacional as decisões tomadas pelos diversos Conselhos? E mais, para que esse time se engaje a partir da compreensão desses conselhos dados…

  7. George Nelzo - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    E quais ferramentas usar para auxiliar neste processo?

  8. daniela@dinamicabrasil.com - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Como uma pessoa pode se tornar um conselheiro?

  9. Jessica Paulo - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    Qual o momento de criar o conselho?

  10. Ros Scariot Zatta Zatta - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    #a emprsa tm 13 anos. No 10 ano ocorrera abertura da sociedade e assim fo desenvolvido toaa prte de planejamento, a próxima etapa é Governança…com é uma editoraem ma cidade pequena de SC. como buscar novos caminhos quando temos grandes editoras no Brasil???

  11. Wilson L A Guedes - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Abri a Corpus Fit Pilates em 2015, hoje estamos com 30 colaboradores, será que já é o momento? Outro ponto, hoje temos 6 unidades próprias, mas optamos o modelo de franquias para ganhar escala e expansão. Acha de devemos tentar fazer isso sozinho por enquanto, por nós mesmo ou acha que devemos abrir para um sócio? Ir atrás de um sócio que nos ajude a acelerar esse processo de expansão.. Obrigado

  12. Alexandre Sá - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Bom dia a todos !

    Hoje nos estamos implantando ainda os processo de qualidade. Apeas de 04 anos.

    Como iniciar os processos de governaça ?

    Atenciosamente,

    ALexandre Sá

  13. Ricardo Oliveira - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Como aplicar o conceito de governança em pequenas empresas, ou startups? Quais os principais passos?

  14. Paulo Oliveira - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Tive um imprevisto e não conseguirei participar da mentoria agora, às 9h… Paulo

  15. Edilson Batista da Trindade Trindade - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    Muito bom conteúdo, e mentorias de temas atuais e relevantes. Parabéns pelo excelente prestação de serviço .edilson@leiteclan.com.br

Criação e desenvolvimento: