facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Just-in-time: otimize sua produção e corte custos

LoadingFavorito
Just-in-time: otimize sua produção e corte custos

O Just-in-time é um modelo de gestão desenvolvido para cortar custos e otimizar o processo produtivo. Sua operação é complexa? Então você precisa saber mais sobre isso. 

Cortar custos sem perder qualidade. Ou melhor: cortar custos e ganhar, cada vez mais, em qualidade. Esse é o grande objetivo de todo empreendedor, principalmente daqueles cujo negócio envolve complexidade no processo produtivo. É o seu caso? Então você precisa conhecer o conceito de just-in-time, que pode ser a ferramenta que faltava para sua empresa dar esse passo qualitativo na produção.

Um dos pilares que fará a sua empresa se diferenciar no mercado é a sua operação logística. Quanto melhor você se sair na missão de desenvolver essa operação, menos custos terá, menor serão as suas taxas de desperdício, maior será a sua margem de lucro e, consequentemente, mais lucrativo será o seu negócio. O just-in-time é uma metodologia pensada e desenvolvida exatamente com esse objetivo: melhorar processos e cortar custos.

O Just-in-time, ou JIT, como o sistema é conhecido, assim como o conceito de Qualidade Total, é uma forma de gerir a produção focada em resultados e melhorias de processos. Trata-se de um método de gestão e controle de produção cujo objetivo é minimizar erros e assegurar as qualidade do produto final durante o processo de produção. Apostando num modelo Just-in-time, a empresa ganha em velocidade, qualidade e preço de seus produtos.

Afinal, o que é o modelo just-in-time?

O modelo de gestão JIT propõe que a produção seja feita de acordo com a demanda, então, a empresa vai produzir naquele momento somente os produtos necessários, nas quantidades necessárias. E esse processo se repete em cada etapa da produção.

Com isso, em primeiro lugar, na medida em que se produz apenas aquilo que é demandado, ganha-se diminuindo a necessidade de espaço para estoque de insumos e mercadorias. Em seguida, ganha-se com economia em transportadoras e sistemas de distribuição. E em terceiro, diminui-se o desperdício de insumos.

O nome, “just-in-time” vem da característica do modelo: produzir e entregar os produtos a tempo (ou, em inglês, just in time) de serem vendidos.  Materiais sendo transformados a tempo se se tornarem peças e peças sendo montadas a tempo de se tornarem produtos finais.

E tudo começou lá na terra do sol nascente…

O just-in-time, assim como o Kanban,  foi desenvolvido e aplicado pela primeira vez nos anos 50, mais especificamente na fábrica da Toyota, no Japão. Os japoneses são notoriamente conhecidos pelos seus métodos de organização, o 5S e o Poka Yoke são outros exemplos de ferramentas muito úteis desenvolvidas por eles, e o JIT não deixa a desejar em nenhum aspecto.

Voltando à Toyota, a empresa buscava formas para, com baixo investimento, poder coordenar de forma eficiente sua produção. Mais do que isso, era uma questão de sobrevivência: a indústria automobilística dos EUA crescia em grande velocidade e estava ganhando o mercado.

A Toyota buscava uma forma de ganhar agilidade na produção, para poder alterar o modelo a ser fabricado e produzir em menores quantidades – tudo, praticamente, sob medida para atender à demanda do mercado. O resultado dessa tentativa foi o JIT.

E bota resultado nisso: nessa corrida por cortar custos e melhorar a produção, a Toyota, que demorava 1 hora para preparar uma prensa de 800 toneladas que era usada para moldar capôs e pára-choques, conseguiu reduzir esse tempo para apenas 12 minutos. Ainda hoje a empresa aposta no modelo. Aqui você vê um exemplo e como eles organizam a produção.

Muito mais do que um modelo de gestão de produção

O modelo deu tão certo, que passou a ser considerado muito mais do que uma técnica de gestão de produção, ampliando-se para diversas áreas da empresa, como a gestão de materiais, qualidade, organização física dos meios produtivos, engenharia de produto, organização do trabalho e gestão de recursos humanos.

O objetivo do JIT é promover a otimização de todo o sistema de manufatura, desenvolvendo políticas, procedimentos e atitudes requeridos para ser um fabricante responsável e competitivo.  O Just in Time tem também como objetivo principal a busca contínua pela melhoria do processo produtivo

Hoje muitas empresas aplicam a metodologia, como Votorantim, Embraer, Avon, Unilever, Fiat, etc.

Como fazer para implementar um modelo de gestão Just-in-time?

Em primeiro lugar, é preciso que a empresa esteja realmente comprometida com isso, pois será preciso reavaliar e mudar toda o processo de produção. E isso demanda tempo, e investimentos em melhorias técnicas e em treinamento da equipe. Assim, o trabalho deve ser organizado de forma a favorecer a comunicação fácil entre os setores produtivos e o trabalho em equipe. Além disso, é importante estabelecer metas e procedimentos de avaliação de desempenho.

O passo a passo para preparar sua empresa para aplicar o modelo pode ser encontrado nesse link, mas resumimos para você aqui:

  • Simplificar e otimizar: Antes de tudo, é necessário repensar toda a produção de modo a responder eficazmente aos pedidos dos clientes. A fábrica deve seguir um layout flexível, responder a altos padrões de qualidade, evitar tempos de espera e responder rapidamente a alterações na produção.
  • Formar a equipe de produção: Este ponto é essencial para que a implementação do Just-in-time na empresa funcione. O objetivo é treinar o pessoal a funcionar segundo novos moldes, com novos objetivos e segundo novas regras.
  • Colaborar com os fornecedores: Os fornecedores são peça crítica na metodologia do Just-in-time. É preciso estabelecer novas relações com eles para que possam ofertar as quantidades necessárias de matérias-primas ou produtos semi-acabados, com elevada qualidade, no tempo certo. A relação com os fornecedores passará a ser muito mais uma parceria do que uma simples compra e venda uma vez que os processos produtivos devem estar integrados. É essencial para a empresa alinhar o seu processo e os seus objetivos aos fornecedores para que estes possam colaborar. É também mais fácil tratar com um número mais restrito de fornecedores.
  • Colaborar com os clientes: Também é útil que os clientes possam colaborar com a empresa para que a relação com eles funcione no regime de Just-in-time. A empresa pode pedir-lhes, por exemplo, ajuda de forma a estabilizar a carga da produção, combinando com eles um programa de entregas. Além disso, é sempre vantajoso vender a mensagem aos clientes do aumento de qualidade conseguido.
  • Alterar o sistema de produção para os novos moldes:  Toda a organização da empresa deve ser modificada para funcionar no JIT. A disposição funcional das atividades deve ser substituída por linhas de produtos, todo o trabalho de gestão de estoques de produtos finais ou intermediários deixa de fazer sentido, podendo a empresa realocar estes funcionários para fazer outras tarefas, etc.  Resumindo, os  aspectos essenciais do modelo são:
    • O planejamento deixa de ser feita em função de projeções de vendas e passa a ser efetuada com base em encomendas concretas.
    • Passam a ser desnecessárias várias funções: controlo de estoques, as ordens de produção, controle da produção, cálculo dos custos.

Kanban: se você quer implementar o JIT, precisa conhecer essa ferramenta

Kanban é um termo de origem japonesa que significa, literalmente, “cartão” ou “sinalização”. O sistema foi criado simultâneamente ao JIT, muito como ferramenta de apoio à implementação da metodologia. O kanban propõe a utilização de cartões (ou os famosos post-its) para indicar e acompanhar e maneira visual, prática e utilizando poucos recursos, o andamento dos fluxos de produção nas empresas.

Então, imagine um grande quadro com dois eixos: um com as tarefas que precisam ser executadas, o outro as etapas de execução (“para executar”, “em andamento”, e “Finalizado”, por exemplo). Conforme as tarefas são desempenhadas, o post-it é colocado no campo correspondente ao status da tarefa. Rápido, fácil e indolor.

Para você aplicar o kanban nos processos da sua empresa é preciso, antes de mais nada,  engajar toda a sua equipe. Ora, se é um sistema que funciona justamente por ser simples de manejar e alterar informações, todos devem saber como operar ele e participar ativamente desse fluxo. É responsabilidade de cada um manter o painel escolhido sempre atualizado e completo.

O Just-in-time é um modelo de gestão muito eficiente em linhas de produção, e muito utilizado na indústria. Sua operação é complexa? Então talvez seja o que você precisa para colocar tudo nos eixos e elevar ao máximo sua capacidade de produção, sem elevar os custos, claro.

Leia mais: 

Logística empresarial de A a Z

PCP: do chão da fábrica para o centro das decisões da empresa

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: