facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Investimento: o que não te contam sobre levantar capital

LoadingFavorito
investimento

Assista à websérie e veja alguns conselhos pouco compartilhados sobre a busca por investidores

Então você abriu sua empresa há algumas semanas e está buscando capital externo para começar. O investimento ideal que você gostaria de receber está em torno de R$ 400 mil. Um investidor se interessa pelo negócio e faz uma oferta: R$ 100 mil por 50% do negócio. Não é lá o valuation que você calculou pelas projeções de crescimento, mas você aceita.

Vocês formalizam o acordo de acionistas e você verifica o que para você é mais relevante: os números. E, claro, sua a camisa para gastar o dinheiro no que você planejou, para fazer a empresa decolar. A cada período de tempo, chega o momento de fazer uma nova rodada de investimentos — cada fundo pedindo seu devido percentual de participação.

De repente, a empresa está diluída e sua fatia é desproporcional ao seu esforço como empreendedor. Tem mais: com a entrada de novos sócios, seu conselho administrativo agora é formado por uma maioria que tem mais poder de decisão que você.

E você se pergunta: “Onde foi que eu errei?”

Bom, há mais de um erro nessa história. Investidores não são vilões, pelo contrário: eles estão aí para ajudar empreendedores como você a fazerem a diferença. Mas é bom também saber como o mercado funciona para não terminar perdendo o controle!

Florian Hagenbuch é empreendedor Endeavor, fundador da Printi e sócio do fundo Canary. Nesta websérie sobre investimento correalizada pela Endeavor e pelo Sebrae, ele dá algumas dicas de quem está ativamente dos dois lados do balcão.

1. Investidor ou empréstimo: o que é melhor para financiar meu negócio?

Há muitas opções de financiamento para o seu negócio, inclusive para quem está começando — capital próprio ou de amigos, investidores anjo e até empréstimo de banco podem ser boas opções. Mas quais as vantagens e desvantagens de cada um?

2. Que fatia da empresa ceder ao investidor?

Para cada estágio de investimento — love money, aceleradora, anjo, seed, series A, B, C… — há valores comuns a serem investidos e acordos comuns a serem feitos. Será que dar 50% da sua empresa em troca de R$ 100 mil é mesmo um bom negócio? Entenda o que é mais recomendado quando falamos da participação societária da sua empresa.

3. Valuation: como sei o valor da minha empresa?

Você já pensou no valuation da sua empresa como uma consequência, em vez de um ponto de partida da negociação com um investidor? Pois é, levantar capital com um valuation alto não é o que determina um bom acordo. Veja como dedicar um olhar diferente a determinar o valor do seu negócio.

4. De quanto investimento preciso?

Quando você começa a levantar capital, é bem provável que você continue participando de rodadas investimento. A cada uma delas, sua empresa estará mais madura — logo, os montantes a serem pedidos também serão diferentes. Mas como saber quanto?

5. Quais os pontos de atenção ao buscar investimento?

O que acontece se você abrir mão de um pedaço maior que o recomendado do seu negócio? O que fazem seus investidores tomarem o controle das decisões? E quando a negociação fecha, como se desenrola o contrato? O mercado de venture capital às vezes reserva algumas pegadinhas. Veja em quais ficar de olho!

E claro, não se esqueça de se inscrever no canal da Endeavor no YouTube!

CTA desktop 740x120

Este artigo é uma parceria de produção entre Endeavor e Sebrae

Correalização:

Logo Sebrae SITE

, Endeavor Brasil, Time de Conteúdo

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: