facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Os novos caminhos para o empreendedor que quer inovar junto ao setor público

LoadingFavorito
empreendedor-setor-publico

Entenda melhor as oportunidades que os empreendedores têm de construir uma boa relação com o e Governo. 

* Este artigo foi escrito em parceria com Washington Ricardo, analista de comunicação no Centro de Liderança Pública,

O sonho de todo empreendedor é ver seu negócio impactando a vida de milhões de pessoas, certo? Agora, imagine ter milhões de clientes atendidos todos os dias com os mais diversos problemas, vindos das mais diversas classes sociais e com necessidades muito diferentes entre si. Esse é o tamanho do desafio do governo em oferecer saúde, educação, transporte, segurança e outros serviços, com qualidade, para a população.

Esse é um desafio enorme e que muitas vezes não consegue ser cumprido da maneira devida. A natureza do setor público é muito diferente do setor privado, a lógica de trabalho, o jeito de se pensar as ações e as relações pessoais se dão de outra forma. Enquanto temos um setor privado muito mais orientado à solução, com foco em inovação e grande capacidade de se adaptar aos desafios, o setor público conta com um alcance bem maior e grande capacidade de impacto.

Agora, imagine o alcance do setor público, com a capacidade de resolução de problemas do setor privado, trabalhando juntos. Essa é a proposta de alguns programas de fomento ao empreendedorismo no setor público que pretendem estabelecer caminhos para conectar empreendedores e gestores públicos abertos à inovação. É exemplo disso o Brazil Lab, lançado pelo Centro de Liderança Pública, iniciativa que busca unir jovens empreendedores com um setor cada vez mais carente de inovação e eficiência: o governo.

Leia também: O desafio de inovar junto ao governo 

“É uma excelente porta de entrada, de ganho de escala e de validação em uma velocidade que seria bem menor no mercado privado”, explica Ricardo Moraes, CEO da Memed, uma startup criada para melhorar as prescrições e receitas médicas que passou pelo Pitch Gov, programa do Governo de São Paulo para conectar o governo aos empreendedores do estado. Moraes conta que “o processo ainda está acontecendo, estamos bem no início e ainda não é possível fazer algum tipo de leitura mais aprofundada. Porém, já é possível dizer que não houve nenhuma restrição ou proibição, mas sim muita colaboração e ajuda por parte de todo o time do Governo”.

Entre as vantagens de se trabalhar com o governo, Emilia Paiva, mentora do Brazil Lab e empreendedora pública do governo de Minas Gerais, destaca duas: “a escala, pois são raros outros players do mercado com esse tamanho. E a capacidade de transformação; governos são instituições que, queira ou não, impactam a vida das pessoas para o bem ou para o mal”.

Essa união entre alta demanda, complexidade e impacto faz com que trabalhar com o governo seja um desafio excepcional, capaz de trazer ótimas experiências, além de colocar um cliente poderoso no seu portfólio.

Leandro Campos, ex-subsecretário no Escritório de Prioridades Estratégicas do Governo de Minas Gerais, participou da criação do SEED e explica que “para o governo é importante participar de uma iniciativa dessas, porque ele passa a conhecer no mundo real os problemas dos novos empreendedores e ver o que eles podem fazer para ajudar”.

Uma parceria que beneficia tanto o setor público, que ganha em inovação, eficiência e aprendizado, quanto os novos empreendedores que buscam testar e escalar seu negócio contando com o apoio e ajuda do Governo. “Se você conhecer o funcionamento do setor público, tiver contatos e estratégias e mostrar que está resolvendo um problema que era pra ser resolvido pelo governo, ele vai te ajudar e te apoiar de alguma forma”, comenta Leandro.

  • Para além da burocracia

Na hora de se envolver com o setor público, surgem diversas dúvidas, pois a burocracia do governo acaba afastando novos empreendedores. “O pequeno empreendedor precisa estar ciente de que para trabalhar com o setor público ele precisa ser formalizado e estar em dia com todas as suas obrigações fiscais”, explica Emilia Paiva. Essa é uma das diversas exigências e requer da empresa uma boa organização e controle, para que as certidões estejam sempre em dia. “Nada de muito complicado, a maioria pode ser obtida na internet, mas é uma prática que precisa ser adquirida”, lembra Paiva.

Apesar de muito criticada, a burocracia no setor público serve como uma proteção ao bem público e evita maiores casos de corrupção.

Quanto à burocracia que se impõe entre empreendedores e gestão pública, a melhor forma de contorná-la é o empreendedor buscar conhecer a máquina pública da melhor maneira possível. “A burocracia não é algo totalmente negativo, ela é necessária para garantir a segurança de quem está se envolvendo nesse tipo de programa”, explica Isabel Opice, Subsecretária de Parcerias e Inovação do Estado de São Paulo, responsável pelo PitchGov.

Leia também: O empreendedor que não tem medo da burocracia

Uma das principais dúvidas que surgem entre os empreendedores que querem trabalhar com o governo é sobre as formas de contratação. Para trabalhar com o governo, toda empresa é obrigada a concorrer em uma licitação conforme a lei 8.666/93. Outra forma comum de relação entre governo e empresas é o convênio. Normalmente esse tipo de parceria acontece quando o poder público quer incentivar a iniciativa privada de interesse público e ao invés de desempenhar, ele mesmo a atividade, opta por incentivar ou auxiliar as empresas. Normalmente esses incentivos se dão por meio de auxílios financeiros, financiamentos e favores fiscais conforme pode ser verificado no artigo 116 da lei 8.666/93.

  • Os novos caminhos para os empreendedores

Em meio à onda de inovação, característica do nosso tempo, o governo não quer, e não pode ficar para trás. Essa noção de que há uma necessidade de inovar, melhorar e aumentar a eficiência no setor público abre espaço para empreendedores inovadores que queiram não só obter lucros, mas causar impacto social junto a um parceiro tão robusto como o governo.

Além disso, há uma compreensão de que o governo não pode resolver os problemas sozinho e que muitas vezes ele não consegue alcançar todas as pessoas. Esse cenário favorável às relações entre governo e empreendedores foi o que fez surgir programas como o SEED, PitchGov e o Brazil Lab, que compreendem bem toda burocracia e trabalham para aproximar empreendedores e Governo.

Essas iniciativas mostram que há espaço para que Governos e empreendedores estabeleçam uma parceria saudável, capaz de unir o melhor dos dois setores em prol da construção de propostas inovadoras capazes e solucionar velhos problemas que emperram a melhoria dos serviços públicos e do desenvolvimento do país.

Atualmente, o Brazil Lab está com inscrições abertas para iniciativas de todo o Brasil. Saiba mais sobre o programa e inscreva a sua proposta até dia 10/06/2016.

, Centro de Liderança Pública
Lucas é graduando em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo e faz parte do time de Comunicação no Centro de Liderança Pública. Trabalhou com assessoria de imprensa para a Câmara dos Vereadores de São Paulo e com transmissão de conteúdo ao vivo na Campus Party Brasil.

Deixe seu comentário

1 Comentário

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
ordernar por: mais votados mais recentes
  1. Nicole Alves - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Galera, eu sei que não tem nada relacionado com a matéria, mas eu faço parte de uma Startup que começou a pouco tempo com a ideia de unir pessoas que querem aprender e pessoas que querem ensinar. Deixo aqui o link para vocês conhecerem mais sobre o site! Cadastrem-se e me falem o que vocês acharam! Dá uma olhadinha vaaai! Não vírus nem Spam! https://www.weeazy.com/?ref=nicole (:

Parceiros
Criação e desenvolvimento: