Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Como Pelotas melhorou a saúde pública por meio do empreendedorismo e da inovação

LoadingFavorito
pelotas-inovacao

Somos um povo batalhador e extremamente criativo, com vontade de abrir o próprio negócio, certo? Mas apenas criatividade, vontade e força não bastam.

Entre os fatores que mais influenciam na criação de novos negócios, destaca-se a existência de um ecossistema empreendedor favorável. Taxas de juros mais baixas, para facilitar o financiamento, impostos menores e que onerem menos o empreendedor, mão de obra mais qualificada, infraestrutura, internet de alta qualidade, entre outras coisas. Todos esses fatores contam quando se trata da abertura de novos negócios ou de fazer um negócio já existente crescer.

Nas palavras de Patrícia Loyola, Diretora de Gestão e Comunicação da Comunitas: “O funcionalismo público é o grande interessado em promover uma gestão pública de qualidade, pois a melhoria da gestão e dos serviços prestados à população é a missão permanente da classe”. Entre os projetos da Comunitas está o Juntos Pelo Desenvolvimento Sustentável, um programa de melhoria da gestão e dos serviços públicos que aposta na união entre sociedade civil, iniciativa privada e setor público.

Nós tratamos desse assunto em outro texto aqui na Endeavor, sobre os novos caminhos para o empreendedor que quer inovar junto ao setor público, quando comentamos sobre o Brazil Lab, o hub de inovação criado pelo Centro de Liderança Pública para auxiliar a promover inovação e empreendedorismo junto ao setor público.

Assim como o Brazil Lab, o programa Juntos auxilia a conexão entre setor público e iniciativas inovadoras capazes de causar grande impacto na sociedade, porém sem o processo de mentoria e aceleração oferecidos pelo Brazil Lab. Para se ter uma ideia de como é possível empreender no setor público por meio de parcerias entre terceiro setor, governo e setor privado, foi o programa Juntos o responsável por levar o Colab à Pelotas-RS.

Se você ainda não conhece, o Colab é uma plataforma definida por Gustavo Maia, um de seus criadores, como “uma rede social para a cidadania” que permite à população fiscalizar, acompanhar e avaliar os serviços públicos, assim como propor soluções para melhorar a cidade.

Além de apresentar a plataforma à Prefeitura de Pelotas-RS, Patrícia Loyola conta que o Programa Juntos foi responsável por melhorar a área da saúde. Ela destaca a criação do Clique Saúde Pelotas, um portal repleto de informações sobre o sistema de saúde público da cidade. O sistema foi criado pela Saútil, uma empresa de tecnologia que se propõe a criar soluções para facilitar o acesso à informações sobre saúde pública, além de educar o cidadão sobre prevenção e direitos em saúde.

E de onde surgiu essa ideia? Edgard Morato, Diretor de Operações da Saútil, conta que um dos maiores problemas que ele pode identificar foi a falta de informação que as pessoas tinham sobre o funcionamento do SUS, quais são seus direitos, o que precisam fazer para conseguir medicamento, consulta, exames, equipamento, etc. Exatamente por isso, muitas pessoas acabavam indo para lugares errados em busca de serviços que não eram oferecidos ali. Para facilitar a vida dessas pessoas, Edgard e seu sócio, o médico Fernando Fernandes, resolveram criar um buscador da saúde.

E se você perguntar se o empreendedor acredita que é possível inovar no setor público, você receberá uma resposta simples, porém verdadeira: depende muito do servidor que está na ponta fazendo acontecer. No caso da Saútil, a recepção do projeto e a implementação em Pelotas-RS foram tranquilas. Em grande parte, isso aconteceu porque o prefeito, o secretário de saúde e os gestores queriam mesmo melhorar a transparência e a gestão da saúde. Ou seja, estavam todos empenhados em um mesmo objetivo.

A Diretora Executiva da Secretaria de Saúde de Pelotas, Ana Costa, explica que a inovação pode ser utilizada para potencializar as ações, facilitar comunicação e dar agilidade a processos em qualquer espaço, seja ele público ou provado. Ana ainda ressalta que a inovação precisa ser vista como possibilidade e evolução natural e necessária.

Mas nem tudo é tão simples como parece. Ana explica que, para que inovação possa florescer, algumas atitudes, como quebras de paradigmas junto aos serviços e uma equipe que ouça seus pares, são necessárias.  Em relação ao mesmo assunto, Patrícia Loyola, da Comunitas, conta que o Juntos promove uma articulação inovadora e, como tudo que é novo, pode haver algumas resistências em um primeiro momento. Porém, o engajamento de todos é fundamental para o sucesso do programa.

No fim das contas, os empreendedores podem buscar a inovação nos mais diversos locais. Pode ser junto ao setor publico, mas isso também acontece na troca de experiências com outros municípios, conhecendo inovações de outros locais e trazendo para a realidade do negócio, o famoso benchmarking. Seja como for, a inovação parece estar um passo mais perto da realidade empreendedor e, como já sabemos, quanto mais perto melhor.

, Centro de Liderança Pública, Analista de Comunicação
Washington Ricardo é analista de Comunicação no Centro de Liderança Pública. Gaduado em Publicidade e Propaganda pela UFG, já atuou em diversos movimentos de incentivo à participação política. Foi Diretor Nacional na AIESEC Brasil e Comunicação no GIFE. Tem interesse por desenvolvimento de projetos sociais e iniciativas de educação política.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: