Um exemplo para acreditar: por que a Nelogica pode se tornar uma das primeiras fintechs brasileiras de impacto global?

Laís Grilletti
Laís Grilletti Endeavor Brasil - Time de Conteúdo

Time de Conteúdo

Fintech nascida em Porto Alegre, a Nelogica é um ótimo exemplo de que as maiores empresas do mundo podem surgir de onde menos se espera. Liderada por Marcos Boschetti e Fabiano Kerber, agora enfrenta um novo desafio: levar sua tecnologia para o mercado global.

“Quem aqui nessa plateia acredita que pode surgir uma grande empresa de tecnologia no Rio Grande do Sul?” O auditório estava lotado. Mais de 1.500 alunos assistiam à palestra durante o Encontro Regional de Estudantes de Computação em Santa Maria. Apenas duas mãos se levantaram. Marcos e Fabiano tinham certeza da resposta. Não era uma ideia que tinha surgido naquele momento. Os dois falavam disso desde a primeira vez que empreenderam, aos 7 anos de idade.

Os adesivos eram a última moda no colégio onde estudavam. Os amigos que se conheciam desde o maternal enxergaram ali a primeira oportunidade de negócio e tornaram-se sócios. Compravam papel contact com o dinheiro da mesada, imprimiam as imagens na impressora de casa e vendiam os adesivos personalizados aos colegas. Liquidez garantida. Dali em diante, sempre pensavam em qual seria o próximo negócio. Durante o Ensino Médio, discutiam diariamente que empresa iriam abrir depois de formados. Marcos até pensava em fazer Engenharia Elétrica, mas foi em uma dessas conversas que mudou de ideia. “Vamos fazer Ciências da Computação porque com dois computadores criamos um software e assim temos nossa empresa.”, Fabiano argumentava.

Durante a faculdade, os dois se apaixonaram pelo mercado financeiro. Guiados pela curiosidade científica, ficavam intrigados com a lógica de funcionamento da Bolsa de Valores. Mas como as melhores ferramentas de análise do mercado custavam, em média, 2 mil dólares, passaram a criar um método próprio de avaliação. Os dois amigos liam artigos científicos que explicavam como grandes fundos operavam e, a partir disso, tomavam as decisões de investimento do próprio capital.

A notícia se espalhou rapidamente pelo mercado. Dois malucos estavam criando algo muito novo e extremamente eficiente, era o que diziam. Quando o Facebook ainda nem existia, os empreendedores recebiam as mensagens pelos fóruns de discussão do Yahoo! de pessoas interessadas no método que usavam. Existia um público faminto por alinhar ciência a investimento de maneira séria. E eles tinham uma tecnologia inédita que respondia a essa demanda.

O ano era 2003. Fabiano tinha acabado de receber uma promoção como Engenheiro de Software na HP. Marcos tinha nas mãos o convite para fazer doutorado na Alemanha com uma bolsa de estudos de 4 mil euros por mês. Imagine a reação dos amigos e colegas quando contaram que recusariam as duas propostas para empreender?

Para as outras pessoas, aquela era uma chance em 1 milhão de dar certo. Mas para os empreendedores era de 999.999. “Não havia dúvidas. Nós sabíamos que se não desse pelo jeito A, iriamos inventar o caminho B…A gente ia dar um jeito.”, lembra Marcos.

A pergunta que guiava os dois empreendedores era: Por que um investidor pequeno não pode ter acesso às mesmas informações de decisão que um grande banco tem? Com isso em mente, antes mesmo do termo fintech ficar conhecido no Brasil, os dois amigos fundaram a Nelogica.

O primeiro produto foi oficialmente lançado em 2005. O método que já tinham desenvolvido evoluiu e se transformou em uma plataforma de trading de alta performance e de informações para o mercado financeiro. A combinação de fluxo de dados em tempo real com uma ferramenta avançada de analytics permite aos investidores executarem suas transações 60 vezes mais rápido que a média do mercado por 20% do custo das plataformas institucionais. A superioridade tecnológica da ferramenta, a baixíssima latência de processamento de dados e a interação consistente com o mercado são os grandes diferenciais.

A ferramenta é tão eficaz que chega a aumentar a rentabilidade do investidor em até 40%

Na prática, ela permite a um investidor individual enxergar o que acontece abaixo da superfície do mercado, encontrando oportunidades não-óbvias de investimento. Os algoritmos de execução aliados à camada de analytics são insumos para a tomada de decisão sobre o momento de compra ou venda das ações e contratos futuros. Seria como extrair o modelo mental dos maiores experts do mercado financeiro e traduzi-lo em um software escalável e acessível ao pequeno investidor.

A grande missão da Nelogica é democratizar a tecnologia de trading unindo dados, analytics e execução

Apesar de terem uma ferramenta poderosa em mãos, Marcos e Fabiano tiveram que começar do zero. Distantes dos grandes centros econômicos mundiais, sem conhecer uma rede de investidores com quem pudessem se conectar e com concorrentes 100 vezes maiores do que eles: assim nasceu a Nelogica.

O primeiro investimento de Marketing foi feito no diretório do Yahoo!. Os empreendedores conseguiram uma lista de e-mails dos fóruns de investidores e enviaram o convite para o trial da ferramenta. Assim que as pessoas começaram a saber, os pedidos de testes foram aumentando…E quando perceberam já tinham 100 clientes ativos.

A partir dali, não pararam de crescer. Em 2006, eram 8 pessoas tocando a operação. No ano seguinte, chegaram a 25. Hoje, são 120 profissionais com a expectativa de terminar o ano com 200 no time. Para acompanhar esse crescimento, a sede da empresa muda, pelo menos, a cada dois anos. E os empreendedores, à frente do negócio, também se transformam na mesma velocidade.

Em 2006, tiveram a primeira conversa sobre a divisão de papéis. Como bons cientistas da computação, faltava também a visão de negócios. Decidiram, então, que Fabiano cuidaria do desenvolvimento do produto e Marcos seria o CEO.

Hoje, a agenda de Marcos já reflete essa mudança de papel. Se, no início, sua rotina era dividida entre suporte, comercial e todo tipo de tarefa, hoje metade do tempo é dedicado à gestão de pessoas.

“Cada ano que passa, nós assumimos um papel diferente. Mudamos de pele a cada seis meses. “

Hoje, com milhares de clientes, a Nelogica é líder em plataformas de trading na América Latina e processa mais de 50% das ordens de varejo do mercado futuro brasileiro. O próximo passo agora é ser global. Para isso, vão contar com uma ajuda extra que chegou de forma inesperada, no final de 2016.

Era um e-mail de Eduardo Afonso, do nosso time do Rio Grande do Sul, um dos responsáveis pela busca e seleção das empresas com maior potencial de crescimento do estado. Para realizar esse trabalho, Eduardo tinha visitado todos os prédios da Avenida Carlos Gomes, um dos principais centros comerciais de Porto Alegre, fotografando o letreiro das empresas que estavam por lá. Sabendo os nomes, ele ia atrás dos empreendedores para encontrar o próximo grande exemplo local. Foi assim que chegou na Nelogica.

Fabiano e Marcos já nos conheciam pelos conteúdos produzidos no site. Mas nem imaginavam que existia também um pilar de apoio a empreendedores. Depois daquela conversa, foram apresentados também à Milena Dalacorte e ao Diogo de Souza do time do Rio Grande do Sul para marcarem a primeira mentoria. Começaram conversando com Guilherme Horn, da Accenture, em seguida com Laércio Cosentino, da TOTVS e Edson Rigonatti, da Astella Investimentos. Em 2017, participando do programa de aceleração Scale-Up Endeavor, foram apadrinhados por Deli Matsuo, ex-diretor de RH do Google América Latina, que os ajudou a lidar com os desafios de gestão de pessoas.

Pela primeira vez, Marcos e Fabiano puderam contar com o suporte de uma rede de mentores para lidar com as dores de crescimento da Nelogica. Até então, do capital à estratégia, tudo dependia 100% dos empreendedores. E foi essa resiliência que cultivaram desde o início, quando não havia investidores, nem mentores para ajudá-los, que comprova o potencial que eles têm de tornarem-se grandes exemplos para o país.

Exemplos de que é possível construir uma fintech de impacto global em um mercado emergente. E de que, quando o empreendedor tem clareza da visão que deseja construir, não há concorrência, obstáculo ou dificuldade que vai fazê-lo parar.

Por essas razões, Fabiano Kerber e Marcos Boschetti são os mais novos Empreendedores Endeavor! Os empreendedores foram aprovados no último dia 9/5, no nosso Painel Internacional de Seleção (ISP), em Louisville, nos EUA. Agora, com a ajuda de uma rede de mentores e empreendedores, têm o suporte para lançar sua estratégia de internacionalização, derrubando fronteiras para levar tecnologia brasileira a outras partes do mundo.

“As pessoas pensam que só é possível dar certo em grandes centros, quando a empresa consegue captar 100 milhões com os fundos ou tem sócios com bons contatos. Mas nós criamos uma tecnologia única sem investidores do nosso lado e longe dos grandes centros financeiros mundiais. O que criamos no Brasil pode inspirar outros mercados emergentes. Isso conta muito para quem precisa de um Exemplo para acreditar.”, conta Marcos.

Nossa aposta é que, muito em breve, com a força do exemplo da Nelogica, quando alguém perguntar a um auditório lotado se é possível construir uma grande empresa de tecnologia em qualquer estado brasileiro, não haja dúvidas. Todas as mãos estarão levantadas.