solubio solubio

Solubio: a scale-up que tem como visão preservar o planeta para gerações futuras

Endeavor Brasil
Endeavor Brasil

A Endeavor é a rede formada pelas empreendedoras e empreendedores à frente das scale-ups que mais crescem no mundo e que são grandes exemplos para o país.

De universos completamente diferentes, Alber Guedes e Maurício Schneider sempre quiseram mudar o mundo. Porém, somente depois que suas jornadas se cruzaram, o sonho grande se tornou realidade. Conheça a história da Solubio, a scale-up que está revolucionando a sustentabilidade no Brasil e garantindo a preservação do planeta e das futuras gerações. 

No dia em que Alber e Maurício se encontraram, a máxima “o que te trouxe até aqui não é o que vai te levar adiante” nunca foi tão verdadeira. 

Os dois são filhos de agricultores, mas de realidades completamente diferentes. Um sempre teve o olho apurado para a inovação. O outro sempre teve um propósito bem claro de ajudar pequenos agricultores a ter mais rentabilidade. Um deu a volta ao mundo para aprender sobre desenvolvimento de negócios. O outro viajou de fazenda em fazenda buscando alternativas para alcançar o seu propósito. 

Para entender o desenrolar dessa história, nós temos que voltar alguns anos e ir para o Rio Grande do Sul, mais especificamente para Caçapava do Sul, um município predominantemente agrícola de 30 mil habitantes. 

A trajetória do Alber

Alber é filho de micro agricultores de Caçapava do Sul. Ele cresceu vendo seus pais trabalhando duro e quase não tendo rentabilidade em apenas 14 hectares.

Motivado em melhorar as condições de trabalho e aumentar a rentabilidade dos micro agricultores, ele foi para o curso Técnico Agrícola em São Vicente do Sul aos 14 anos. Aos 21, saiu de lá com a pulga atrás da orelha para encontrar uma solução inovadora, que mudasse a realidade de seus pais, mas que não fosse caro. 

Porém, precisava ter condições financeiras para começar a sua busca pela solução inovadora. Então, começou a trabalhar como comercial e desenvolvimento de mercado em uma empresa de fertilizantes agrícolas. Descobriu ser um vendedor nato. Em apenas seis meses foi de trainee a gerente. Três anos depois, mudou-se para uma empresa de defensivos agrícolas. Mesma história: foi o maior vendedor do ano. 

O Alber sempre teve uma mentalidade de inovação. Na empresa de defensivos, ele bateu o recorde de vendas porque percebeu que o produto não servia apenas para solucionar o problema A, como também ajudava na solução dos problemas B e C. Essas duas experiências nas empresas foram decisivas para o empreendedor que ele se tornaria no futuro.” — Maurício Schneider, Empreendedor Endeavor e co-fundador da Solubio 

Mesmo com todo seu sucesso em vendas, Alber nunca esqueceu da sua missão de vida. Em 2007, depois de todo o aprendizado que adquiriu nas empresas, decidiu traçar um novo caminho.

Ele se mudou para Panambi, RS, um dos polos de pós colheita do Brasil, e fundou a Agroplan, uma consultoria para ajudar agricultores a ter mais rentabilidade através de uma assessoria financeira e agricultura de precisão*. 

Sem um pila no bolso. 

Vendeu um carro e financiou outro para ajudar na operação da consultoria. 

Por cinco anos, ajudou centenas de agricultores locais a acessarem crédito, lidar com burocracias e tomarem melhores decisões de plantio. 

Só que, em 2012, foi para o Mato Grosso conhecer um agricultor que produzia um biodefensivo em sua fazenda. A pulga atrás da orelha voltou a coçar. Seria aquela a inovação que poderia mudar de vez a realidade de microprodutores? 

Alber voltou para o Sul e encontrou uma produtora de meio de cultura biológico*. Tornou-se representante de vendas desse material e passou a levar para os agricultores clientes da Agroplan. 

Porém, a empresa que representava tinha um processo bem rudimentar de produção: comprava os meios de cultura, jogava em uma caixa d’água, misturava com uma pá. Alber pensou que dava para fazer melhor e chamou alguns engenheiros de Panambi para criarem uma forma de produção própria, mais segura e eficiente. 

Então, eles desenharam um modelo de biofábrica. Nos testes, nunca chegou a funcionar direito. Ora vazava água, ora o produto não saia correto.

Mas Alber assumiu o risco e, em 2015, levou o protótipo para uma feira na Bahia. Saiu de lá com três vendas. O modelo não funcionava, mas fizeram funcionar. 

Iniciava, ali, o MVP do que se tornaria a Solubio.

A trajetória do Maurício

O pai de Maurício era veterinário e agricultor. Sua mãe, musicista e dona de uma escola de música em Santa Maria, também no Rio Grande do Sul.

Por influências da família, foi cursar Música na faculdade. E, como músico, acabou se tornando um ótimo administrador da Escola de Música. Ficou lá por 10 anos, tempo suficiente para descobrir sua paixão e vocação pelo mundo dos negócios.

Foi para a faculdade de Administração e fez um intercâmbio profissionalizante pela AIESEC – maior movimento de liderança jovem do mundo. Ficou cinco anos em seu intercâmbio, se tornou Presidente na AIESEC no Brasil e, logo depois, Vice Presidente Internacional. 

Nessa experiência, eu desenvolvi muitas habilidades de liderança, senso empresarial e de gestão. Tive contatos com grandes referências executivas no mundo inteiro. Foi uma fase muito importante na minha vida.” — Maurício Schneider

Porém, em 2008, ele passou pelo que chama de trade-off na vida: recusou uma oportunidade global de ser executivo em uma grande empresa e resolveu voltar para o Brasil para empreender. Queria ser o executivo em sua própria empresa. 

Todo mundo ficou enlouquecido quando eu falei que recusei grandes oportunidades de ter uma carreira global para voltar para o Brasil e empreender.” — Maurício Schneider

Decidiu abrir uma empresa de importação de instrumentos musicais. Porém, em menos de 2 anos de existência, encerrou a operação já que não conseguia lidar com a burocracia – e corrupção – do processo. Saiu da experiência quebrado, mas não desistiu.

A partir de 2010, virou investidor anjo de startups. Ele investiu na Imgnation, uma empresa global pioneira em realidade virtual no Brasil; na Qiron Robotics, uma empresa de robótica; e na Auster Tecnologia, uma empresa agro.

Na paralela, abriu uma consultoria de negócios, focando na parte estratégica, financeira e operacional, para negócios agro. Isso deu uma visão 360 para os negócios do setor. 

Até que, em 2015, recebeu uma ligação que mudaria a sua trajetória de vez. 

O encontro

Era Alber no telefone. 

Ele passava por desafios de estratégia e financeiros na Agroplan e tinha recebido uma indicação do trabalho do Maurício. 

Na época, eu estava bombando. Dava palestras, tinha fila de espera na consultoria. Lembro que pensei em não dar bola para o Alber, já que era uma microempresa.” — Maurício Schneider

No dia seguinte, Maurício saiu de Cruz Alta, RS, cidade em que mora até hoje, e foi até Panambi. Uma viagem de 60km, aproximadamente. Ele lembra que a conversa com o Alber foi mais ou menos assim: 

— Como eu posso te ajudar?

— Preciso organizar meus negócios, ter uma visão financeira melhor de cada coisa, melhorar a parte comercial… Estou com alguns problemas financeiros aqui na empresa e estou precisando de ajuda para crescer. 

— Ok. Posso ajudar. Quando você quer começar?

— Pode ser amanhã? 

Maurício começou como um prestador de serviços financeiros para a Agroplan em 2015. Depois, focou na estratégia. Percebeu que, dos oito serviços que a empresa oferecia, seis davam pouco dinheiro e a maioria poderia não vingar. Porém, o que daria certo era exatamente a pulga atrás da orelha de Alber: a produção de bioinsumo na fazenda e as vendas do meio de cultura. 

Decidiram, então, que focariam toda a energia naquele produto. Seria ele que mudaria a vida dos micro agricultores do Brasil. 

Foram para a garagem de Alber, junto com mais quatro futuros co-founders, numa sexta-feira e saíram de lá no domingo à tarde com um plano de negócios pronto, nome, missão, visão e uma meta de cinco anos bem audaciosa: teriam que faturar R$ 50 milhões. Além disso, estruturaram captable e o Maurício passou a fazer parte do corpo de fundadores da empresa. 

Naquele momento, acontecia o Day1 da Solubio. 

A Solubio

A Solubio nasce oficialmente em 2016 com o propósito de garantir a preservação do planeta e das futuras gerações. Alber e Maurício fazem isso através de um sistema de manejo biológico onfarm: uma tecnologia integrada para que agricultores possam produzir seu próprio bioinsumo na fazenda.

O sistema é composto por quatro pilares:

Essa solução de bioinsumos produzidos em uma fábrica montada na própria fazenda empodera os agricultores e ajuda a acabar com o extenso uso de agrotóxicos, contribuindo para o aumento da produção de alimentos no mundo e para a redução do impacto ambiental da atividade agrícola. Além disso, permite que produtores reduzam seus custos em até 40% nos cultivos de soja, milho, trigo, algodão, cana, café e horti-fruti.

A Endeavor entra na história da Solubio

Ao longo dos anos, Alber e Maurício fizeram as adaptações necessárias para o negócio crescer com consistência: adquiriram uma fábrica para a produção dos meios de cultura e microrganismos, reeducaram o mercado para que os agricultores pudessem entender os benefícios de ter o manejo onfarm e ajudaram na criação de leis e regulamentações para beneficiar os produtores, além de incentivarem a criação da ABBINS – Associação Brasileira de Bioinsumos produzidos na propriedade, da qual Maurício é o presidente.

Também contaram com o apoio da Endeavor durante o crescimento. Participaram de três turmas do Programa Scale-Up Endeavor de 2017 até 2020 e as mentorias foram decisivas para o futuro da scale-up.

O processo de aceleração foi um divisor de águas para mim como empreendedor. Sempre fui um cara muito focado em vendas e em inovação no agro. Tinha pouca relação com temas do empreendedorismo, e participar do Programa Scale-Up Endeavor aumentou muito meu repertório.” — Alber Guedes, Empreendedor Endeavor e co-fundador da Solubio

A revolução das plantas 

As plantas são um modelo de modernidade. Dos materiais à autonomia energética, da resistência às estratégias adaptativas, as plantas encontraram, desde os tempos imemoriais, as melhores soluções para a maioria dos problemas que afligem a humanidade. 

Precisamos das plantas para projetar nosso futuro. Alber e Maurício sabem disso e fazem parte dessa revolução. 

Hoje, já são mais de 1 milhão de hectares de lavouras com o sistema integrado de manejo onfarm, mais de 150 biofábricas em pleno funcionamento e mais de 100 grandes produtores pelo Brasil afora. 

A gente quer democratizar a produção agrícola onfarm. Nós precisamos que isso aconteça, já que estamos chegando a 10 bilhões de pessoas no mundo, precisamos aumentar em 70% a produção de alimentos globalmente. Queremos, também, que os agricultores sintam orgulho do que fazem. Hoje, o setor agrícola é visto com maus olhos por causa da quantidade de químicos utilizados. Ninguém tem orgulho em dizer que produz alimento contaminado. Mas vamos mudar isso.” — Maurício Schneider

Agora, o próximo passo é a conquista de territórios globais e, como Empreendedores Endeavor, podem contar com a nossa rede de apoio para essa jornada de crescimento e internacionalização. Também podem contribuir com o ecossistema através de giveback, oferecendo mentorias que aceleram o crescimento de uma nova geração de scale-ups, com desafios semelhantes aos que já enfrentaram antes.

Eu acredito que a maior forma de gerar riqueza para o país é através do empreendedorismo. E, pra gente e para a Solubio, ser parte da Endeavor, é um baita privilégio, uma oportunidade para crescer e também para contribuir para o crescimento de outras empresas.” — Maurício Schneider


Glossário e referências

Livro utilizado ao longo do conteúdo: A Revolução das Plantas, de Stefan Mancuso. 

Agricultura de precisão – uso de tecnologia para avaliar as condições das áreas agrícolas através do solo e clima.

Meio de cultura biológico – preparação química que possui nutrientes necessários para que microrganismos se multipliquem. Nas palavras do Maurício: comida da bactéria.