kovi kovi

Kovi: a história da scale-up que está revolucionando a mobilidade no Brasil

Endeavor Brasil
Endeavor Brasil

A Endeavor é a rede formada pelas empreendedoras e empreendedores à frente das scale-ups que mais crescem no mundo e que são grandes exemplos para o país.

De, por e para pessoas. Essa é a premissa básica por trás de todas as revoluções da humanidade. Inclusive, a revolução da mobilidade que acontece agora – e é liderada pela Kovi, scale-up que nasceu para mudar a vida de motoristas de aplicativo. Conheça a história dos novos Empreendedores Endeavor Adhemar Milani e João Costa.

Na história da humanidade, as maiores descobertas, conquistas e revoluções foram feitas de, por e para pessoas. Foi assim com o fogo. Com a linguagem. Com as histórias. Com a Revolução Agrícola e Científica.

É assim até hoje, quando empreendedoras e empreendedores criam soluções para transformar mercados, desenvolver ecossistemas locais, gerar empregos de qualidade e colocar o Brasil no mapa global de inovação e tecnologia. 

E é assim com Adhemar Milani e João Costa, dois empreendedores que fazem aniversário no mesmo dia, que se uniram para construir uma scale-up que muda vidas, aumentando o emprego e a renda de milhares de motoristas de aplicativo pelo Brasil e revolucionando a mobilidade urbana para todas as pessoas brasileiras. 

Essa é a história que você vai conferir a seguir. Uma história sobre pessoas. Mais do que isso: de pessoas, por pessoas e para pessoas. 

De pessoas

Nascido em Jaboticabal, no interior de São Paulo, Adhemar Milani Neto herdou do seu pai, engenheiro civil e professor universitário, a paixão pelos estudos. Da sua mãe, assistente social e gestora de uma ONG para em situação de abandono, o propósito de mudar a vida das pessoas. 

Foram esses bons exemplos que o influenciaram nas decisões que tomaria em sua história.

Ao sair da escola, foi para a UNESP cursar Engenharia Mecânica. Lá, foi um lugar de descobertas: trabalhou na Empresa Júnior da faculdade, começou como estagiário e saiu como Presidente do Conselho. Essa experiência plantou a semente do empreendedorismo em sua vida. 

Com vontade de se aprofundar mais em gestão de negócios, Adhemar foi para São Carlos fazer pós em Administração. Na paralela, trabalhou como trainee na International Paper, onde teve experiências nas áreas comerciais, de logística e compras e gastos da companhia. 

Foram quatro anos incríveis para aumentar a sua noção no mundo dos negócios. Mas ele queria mais. 

Motivado pelo exemplo do Presidente da International Paper, empresa em que trabalhou por quatro anos anos, buscou um MBA no INSEAD para ampliar os seus conhecimentos em gestão e, também, vivenciar riquezas culturais em outros países. 

Desde cedo eu aprendi o poder das diferenças culturais. Aos 12 anos, meu pai encontrou uma oportunidade de fazer um pós doutorado nos Estados Unidos e fomos todos juntos. Nos tempos de escola, fiquei três meses trabalhando na Disney. Na faculdade, fiz intercâmbio para o Chile. A troca cultural é muito rica para ver o mundo e a realidade de uma outra forma. Eu sabia que, de alguma forma, ir para a Europa fazer MBA no INSEAD seria decisivo para mim.” — Adhemar Milani Neto, co-fundador e CEO da Kovi

No INSEAD, Adhemar participou de um bootcamp de empreendedorismo e desenvolveu uma ideia de negócio, o OptiTruck, um marketplace de fretes. Ele e sua equipe venceram a competição, e quando iam dar o próximo passo para desenvolver o negócio, viram que a CargoX escalava com velocidade no Brasil e desistiram de seguir adiante com a startup. 

De volta ao Brasil, em 2015, foi trabalhar com consultoria de negócios na Bain & Company. Por dois anos, passou por varejo, entretenimento e mercado financeiro. Em 2017, seu último projeto foi com a 99. 

Meses depois, partiu em definitivo para a 99 liderar a vertical de táxis. Este foi o ano em que  a Didi Chuxing fez o maior aporte em uma scale-up do Brasil e também foi o ano em que aconteceu o encontro que mudaria a mobilidade no Brasil. 

Por pessoas

Nascido em Florianópolis, formado em Design e especialista em Produto, João Costa trabalhou na Chaordic, Passei Direto e Beleza na Web, também empreendeu, por cerca de 1 ano, a Rudra, uma startup que desenvolve softwares para novos modelos de negócios. 

A missão da Rudra era colocar o discurso da sustentabilidade em prática por meio de produtos e processos inovadores para segmentos considerados estratégicos. Porém, decidimos fechar a empresa por causa do atraso na aprovação da lei de resíduos sólidos pelo governo brasileiro, criando um forte impacto no fluxo de caixa da nossa empresa. Mas aprendi e me diverti muito nessa jornada.”  — João Costa, co-fundador e CPO da Kovi

Em 2017, João chegava na 99 para liderar a área de produto e trabalhar diretamente com Adhemar no desenvolvimento da vertical de táxis. 

Naquela fase da 99, havia muito capital investido no crescimento da empresa. Não faltaram oportunidades para Adhemar e João trabalharem junto com a Didi, visitando a sede na China e vendo de perto como se gerencia uma scale-up de alto crescimento. 

2017 foi o ano em que a 99 mudou completamente. Também foi o ano que mudou minha vida. Foi muito rico para mim estar próximo da Didi, da cultura da 99, de produto e tecnologia. Eu pude ver como motoristas eram impactados positivamente com essa oportunidade de renda.” — Adhemar Milani Neto

Também não faltaram oportunidades para Adhemar e João entenderem as principais dores de motoristas na hora de entrar para o aplicativo. O custo era alto para financiar um carro próprio. O custo era alto na hora de fazer a manutenção do carro próprio. O custo era alto na hora de alugar um carro para fazer uma renda extra. Muitos nem entravam no app porque não conseguiam carro. 

Isso sem contar o impacto ambiental de 1 milhão de pessoas dirigindo carros no país. A conta não fechava. Era 1 milhão de motoristas gastando cerca de R$1500 por mês, o que resultava em R$ 1.5 bilhão por mês gastos em energias poluentes para o meio ambiente. 

Foi, então, que a faísca do empreendedorismo alcançou Adhemar de vez. 

A ideia inicial era fazer carros a gás para motoristas, já que reduz o custo de combustível e energia. Mas, como não era um produto tão acessível no Brasil, essa possibilidade não seguiu adiante. 

Pivotaram. 

Para Adhemar, o acesso ao carro para trabalhar era o problema mais latente que precisava ser resolvido.

Então, funcionaria assim: a Kovi alugaria os carros sedãs completos direto de montadoras para oferecer aos motoristas e ficariam responsáveis por toda a manutenção da frota. Por um preço menor que o das locadoras tradicionais, e ainda oferecendo uma experiência focada nos motoristas, inovadora, com comodidade e segurança.

Dessa forma, tendo a cultura que Paulo, Ariel e Renato construíram na 99 de oferecer uma experiência positiva aos motoristas, a Kovi nasceu para melhorar a vida de motoristas de aplicativo por meio do aluguel de carros.

Eu considero o Day1 da Kovi o dia que o primeiro motorista alugou um carro. Para testar o produto, eu comprei um carro usado e aluguei o carro para o pai de um amigo que queria testar ser motorista de aplicativo. Quando eu fui buscar o carro de volta, ele me deu uma cerveja artesanal e eu vi o impacto daquele aluguel na vida e na renda dele.” — Adhemar Milani Neto

MVP pronto, produto testado, era hora de se aventurar no empreendedorismo. 

Quando Adhemar foi se desligar da 99, ele acabou encontrando investidores anjo e grandes apoiadores do negócio. O Peter Fernandez, CEO, o André Florence, CFO, investiram na empresa para apoiar o crescimento e, também indicaram a Monashees para entrar na rodada.

A Danielle Miyamoto, head de marketing, embarcou na jornada junto com os dois fundadores para liderar o Marketing. O Pedro Giroto, head de finance, sempre quis melhorar a vida de motoristas, se tornou o Finance Manager da Kovi.O Christian Brech também entrou para ser o líder da área de Growth, e o Gustavo Piedade, de Operações. 

Quando a Dani topou entrar na jornada com a gente, ela estava grávida. De primeira, fiquei preocupado, ainda estávamos fechando a rodada de investimento anjo. Mas, ainda bem que ela veio. Inclusive, foi ela quem construiu a política de maternidade e paternidade na Kovi.” — Adhemar Milani Neto

Para pessoas 

Os primeiros seis meses foram dedicados em fechar negócio com as montadoras do Brasil e desenvolver o aplicativo para que motoristas pudessem ter a melhor experiência digital na hora de alugar um carro. 

Depois disso, embarcaram em uma jornada para o Vale do Silício para a aceleração de três meses da YCombinator. 

Nós aprendemos muito com a cultura chinesa. Agora, aprendemos mais com a cultura americana de startups. Foi um momento muito importante para fazermos network e estar em contato com pessoas incríveis. Inclusive, conhecemos o Henrique, Empreendedor Endeavor da Brex.” — Adhemar Milani Neto

No ano seguinte, em 2019, a Kovi passava pelo Programa Scale-Up Endeavor e tiveram a oportunidade de se conectar com a nossa rede de mentoras e mentores para apoiar nas decisões do negócio e com empreendedoras e empreendedores que vivem os mesmos desafios. 

No Programa Scale-Up Endeavor, tivemos uma conexão local muito importante para a gente aqui no Brasil. E conhecer empreendedoras e empreendedores que vivem os mesmos desafios, e mentores e mentoras que nos ajudaram com o desenvolvimento da nossa plataforma, de time e cultura. Na época, nós estávamos lançando Seguros na nossa plataforma e o pessoal da Pier nos ajudou bastante.” — João Costa

Voltando para o Brasil, era hora de escalar o crescimento da Kovi. A cada mês, a missão passava de ajudar motoristas para ajudar as pessoas a se livrarem da possibilidade de ter um carro. 

O carro, em si, é o ativo que a humanidade criou que mais destrói valor e fica 93% do tempo parado em espaços públicos, que poderiam ser praças ou parques. A humanidade tem uma grande transformação para viver nos próximos anos. A gente acredita que a Kovi tem um lugar importante nessa mudança, já que as pessoas deixam de comprar carros e usam o carro por mais tempo, diminuindo esse tempo parado, tornando a mobilidade mais eficiente. Sem contar que cada carro alugado gera um emprego novo.” — Adhemar Milani

Hoje, a Kovi conta com mais de 300 colaboradores e colaboradoras e 9 mil motoristas apoiados e levando renda para suas casas. Além disso, lançou o Programa Direção Segura que utiliza tecnologia e ciência de dados para implementar um acompanhamento de direção e garantir que motoristas dirijam de maneira responsável e segura. E, com isso, reduz os acidentes e tornam nossas cidades mais seguras.

Impacto na vida das pessoas. Impacto na vida de quem trabalha na Kovi. Impacto no mundo. 

É exatamente isso que fazem os Empreendedores Endeavor que, além de assumirem o compromisso de construírem os maiores negócios do mundo, assumem também, a responsabilidade de construírem um grande país.

Nosso pensamento sempre foi que conhecimento e experiência poderia ser compartilhado e nós queremos mudar o mundo pelo empreendedorismo. Agora fazendo parte da Endeavor, nosso poder de impacto está cada vez maior. Seja pela conexão com empreendedoras e empreendedores do mundo inteiro, seja nos desenvolvendo como líderes de alto impacto.” — João Costa

Agora, Adhemar e João contam com a maior rede de empreendedoras e empreendedores do mundo para dar os próximos passos na revolução da mobilidade urbana no Brasil e no mundo. 

Nesses três anos de Kovi, o que mais me surpreende é ver como as coisas se conectam. Antes de empreender, eu tinha muito medo de dar errado. Vai dar errado, muitas vezes, mas existe uma força que faz a gente aprender e continuar. ” — Adhemar Milani Neto

Mais histórias

Como as captações da Loft revolucionam o mercado imobiliário no Brasil

Conheça a história da Gupy, a primeira HRTech apoiada ativamente pela Endeavor

Growth mindset: a mentalidade que levará a Brex adiante