intelipost intelipost

Intelipost: cumplicidade para revolucionar a logística do Brasil

Endeavor Brasil
Endeavor Brasil

A Endeavor é a rede formada pelas empreendedoras e empreendedores à frente das scale-ups que mais crescem no mundo e que são grandes exemplos para o país.

A história da Intelipost é uma história de cumplicidade.

Uma história de complementaridade.

Uma história sobre uma parceria potente. 

Uma história que tinha tudo para não acontecer. 

Gabriel e Stefan vêm de mundos completamente diferentes. De milhares de quilômetros de distância. De temperamentos opostos. Mas, completamente complementares. 

Ao unirem suas diferenças, tornaram-se imbatíveis. E criaram a scale-up que está transformando a logística brasileira e empoderando e-commerce, consumidores e negócios locais. 

Gabriel, o racional 

Gabriel é nascido e criado em Belo Horizonte.

Sonhava em ser cientista. “Cientista, pra mim, era quem descobria as coisas. Quando criança, eu não sabia se era física, química ou biologia, mas era um universo de aprendizado, criação e descobertas”, conta Gabriel. 

Durante a infância, seu raio de vida era de 3km: casa, escola, família e clube. Passava horas na casa do seu avô copiando programas de livro-texto e escrevendo no computador. Era assim que conseguia jogar. Era assim que se sentia um verdadeiro cientista. 

Depois de fazer um intercâmbio na escola, voltou para Belo Horizonte com seus raios ampliados e limites alargados. Foi para a faculdade de Engenharia de Controle e Automação, mas descobriu que não queria ser engenheiro. Aos poucos, foi se afeiçoando ao empreendedorismo. 

Nessa época eu conheci a Endeavor. Consumia muito os conteúdos sobre negócios e ia em todos os eventos que podia para conhecer mais sobre esse universo”, complementa. 

Ao se formar, trabalhou com consultorias. Era a decisão perfeita para um cientista-descobridor: a cada três meses, um novo grande problema a ser resolvido em uma grande empresa, com uma infinidade de possibilidades. 

Ficou lá por cinco anos, até aflorar a vontade de resolver problemas por conta própria. Influenciado pelas histórias que lia na Endeavor, trabalhou lado a lado com Valério Dornelas, Empreendedor Endeavor, na Tecno Logys. “Fiquei um ano ao lado do Valério aprendendo a conduzir uma empresa. Foi uma escola pra mim”, conta Gabriel. 

Esse tempo ao lado do Empreendedor Endeavor foi a faísca que precisava para ir estudar fora. Em 2011, foi para o INSEAD, na França, e voltou no ano seguinte decidido a ficar mais um tempo em Consultoria para resolver problemas que ainda não tinha resolvido, principalmente com foco em crescimento de negócios.

Estava imerso no empreendedorismo. Estava imerso em estratégias de negócios. Queria dar o próximo passo, mas não tinha muita clareza de como faria isso. Até que resolveu se conectar com seus amigos do INSEAD. 

Dessas conexões, apareceu Stefan. A fagulha que precisava para revolucionar sua vida. Um amigo bom de cerveja, que virou o parceiro ideal para construir um negócio. 

Stefan, o emocional

Stefan é nascido na Alemanha, talvez na cidade com o nome mais extenso do mundo – Villingen-Schwenningen. 

A maioria das pessoas que nasce lá, morre lá. Eu tive a sorte de sair para estudar nos Estados Unidos aos 16 anos. Isso abriu meu horizonte para o mundo e mudou minha vida”, conta Stefan.

Voltou decidido a explorar o mundo. E realmente explorou. Fez faculdade de Administração na Holanda e também nos Estados Unidos, em Harvard. Fez Mestrado na França e na Turquia. E um estágio no Google da Irlanda e outro na IBM da Bélgica. 

Ao terminar o Mestrado, retornou para a Alemanha para trabalhar em um fundo de Venture Capital. Amava o trabalho. Amava estar imerso nesse universo de empreendedorismo, inovação e startups. Só que sentia que Berlim não era a sua cidade. Eis que o fundo abriu um escritório no Brasil. 

No primeiro dia que avisaram que teria um escritório no Brasil eu me inscrevi para ir. Durante a entrevista, me perguntaram se já tinha ido para o Brasil. A resposta era não. Se eu falava português. Não. Se eu falava espanhol. Também não. Se eu já tinha ido para a América Latina. Mais uma vez não. Me responderam que eu era o cara certo”, conta Stefan rindo.  

Em 2012 chegava ao Brasil sem conhecer ninguém. Sem falar português. Mas aprendeu. E, com o fundo, fez vários investimentos. Seu papel era, junto com um dos sócios, escolher as empresas, fazer toda parte da due diligencie e no final concluir o investimento.  Depois, ele passou um tempo trabalhando lá dentro das investidas. Nessas experiências, conheceu uma dor comum em todas: a logística.

Na Alemanha, quando trabalhei com e-commerce, eu precisava trabalhar com apenas uma transportadora. No Brasil, uma empresa trabalha com 15 transportadoras. A complexidade é muito grande”, complementa.

Começou a questionar tudo: porque era tão difícil; porque tudo era feito manualmente; porque não existia um sistema que automatizasse tudo? 

Dos seus questionamentos, decidiu resolver os problemas por conta própria. Empreenderia para tornar o Brasil mais eficiente. “Tive duas empresinhas na juventude. Uma de programação de sites, na escola, e outra na faculdade, em que criava aplicativos para o iPad. Não foram para frente mas me deram uma base técnica muito boa”, complementa. 

Era 2014 quando ele começou a conversar com contatos brasileiros em busca de um sócio com habilidades complementares. Gabriel, o amigo dos seus amigos, amigo de cervejas, era o parceiro ideal. 

Gabriel e Stefan, opostos complementares 

Stefan, o extrovertido. O emocional. O agitado. 

Gabriel, o tranquilo. O racional. O resiliente. 

Eu e Gabriel temos uma base técnica parecida, mas nos complementamos. Tem um meme que é uma pessoa super tranquila em frente a um incêndio. Esse é o Gabriel. Eu com certeza estaria correndo de um lado para o outro”, conclui Stefan. 

Foi dessa complementaridade que surgiu a Intelipost, e deu muito certo. 

O começo foi difícil. Em 2014, começaram a construir uma plataforma que integrava todo o processo logístico de um e-commerce. Na teoria, parecia incrível. Na prática, ainda não existia. 

Não dá para vender um MVP de um SaaS para grandes clientes. Nossos clientes dependem da gente. Não dá pra confiar toda a logística de uma empresa em um piloto. Então, no começo, batemos na porta de muitas empresas e fomos ignorados”, conta Stefan. 

Nos primeiros sete meses, a gente fechava o mês com 3 mil reais no caixa. Era difícil, parecia não vingar. Nosso primeiro vendedor não conseguia vender porque não entendia o que a gente fazia. Fui tentar explicar e eu vi que também não entendia muito bem. Recebemos um seed em 2014 e isso nos ajudou a ter condições de seguir em frente”, relembra Gabriel. 

O primeiro cliente veio nessa época. Junto com o Day1 do Gabriel e do Stefan: uma mensagem chegou à caixa de e-mail solicitando a ativação de uma conta de usuário. Um primeiro cliente, desconhecido, Mundo das Massinhas, encontrou a Intelipost na internet e utilizou a documentação disponível para começar a operar. Começava, ali, uma nova era para a Intelipost. 

Em seguida ao primeiro sinal de validação, clientes começaram a chegar. Até que, em julho de 2015, um novo Day1 acontecia: a B2W contratava a solução. E gostou tanto que passou a indicar para todos os grandes e-commerces da época. “Foi nesse momento que eu entendi que a gente poderia ser grande. Era o social proof que a gente precisava”, complementa Stefan. 

Além dos clientes, fundos de investimento passaram a olhar para a solução de logística integrada. “Capital foi muito importante para o nosso crescimento. E para o nosso aprendizado. A primeira rodada foi crucial para conseguirmos vender para grandes empresas. Depois que fizemos o Series A, ficamos um tempo crescendo só com fluxo de caixa, queríamos ver se conseguiríamos ser lucrativos. Crescemos, mas teve um custo. Foi uma época de grande estresse, já que não conseguíamos olhar pra frente. Nossa última rodada de U$32M, liderada pela Riverwood Capital, nos permitiu ter planos de longo prazo para concretizar a visão”, conta Gabriel.

Intelipost, a revolução da cumplicidade 

Hoje, a Intelipost é a maior plataforma do Brasil em gestão de transporte que ajuda mais de quatro mil e-commerces a entregar de maneira mais inteligente

Além da cumplicidade e da complementaridade, o que une Gabriel e Stefan é o sonho grande é de que todas as operações logísticas brasileiras passem pelo ecossistema da Intelipost. 

Não querem ser apenas um agente desse ecossistema, querem ser as principais lideranças. Eles sabem da responsabilidade de serem grandes exemplos para impulsionar o país através da logística.

Por isso, não é só sobre a Intelipost crescer. Também é sobre o e-commerce vendendo mais, consumidores recebendo com mais agilidade, a logística funcionando, negócios locais lucrando e o meio ambiente sendo impactado positivamente. 

Quando falamos que queremos impulsionar o país por meio da logística, estamos falando de melhorar a vida de todo mundo. Assumimos o papel de liderança na pandemia. Criamos ações de impacto local, transformando pequenos comércios com espaços ociosos em retirada de encomendas. Temos a roteirização inteligente de rotas para diminuir a emissão de CO2 no meio ambiente”, conta Stefan. 

Agora, contam com a rede global de empreendedoras e empreendedores da Endeavor para transformar o sonho grande em realidade. Para amplificarem o exemplo. Para crescerem e multiplicarem a nova geração de scale-ups. 

A Endeavor representa muito para a Intelipost. Desde o começo da minha jornada é referência para mim. Desde quando eu lia conteúdos na faculdade. Durante o programa de aceleração, em que fomos mais mentorados do que mentores. Hoje, queremos ser mentores para a próxima geração”, compartilha Gabriel. 

Ser um Empreendedor Endeavor é um reconhecimento. E uma responsabilidade de ser referência para mais empreendedoras e empreendedores”, finaliza Stefan.