facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Como 3 mil sócios me ajudaram a sonhar maior – Guibert Englebienne, Globant

LoadingFavorito

Alcançar um sonho é mais fácil quando 3.000 pessoas sonham grande com você. A Globant é prova disso.

Em 2007, Martin apontou para uma matéria no jornal e disse a Guibert: “é isso que devemos fazer”. A manchete anunciava o IPO do Mercado Livre, empresa argentina como a Globant, e dá a dica da cultura que crescimento desses empreendedores. O sonho começou em 2003, em meio a uma grande crise argentina. Desde cedo, queriam ser líder em tecnologia na América Latina, representá-la perante o mundo e conectar oportunidades que ficavam em mercados mais desenvolvidos com os talentos locais.

O processo durou 7 anos desde aquele momento de inspiração, mas a Globant enfim abriu capital na bolsa de NY, ano passado. “Crises são muito ricas em oportunidades, você só tem que prestar atenção”, disse Guibert. É normal querer ser pequeno e passar por debaixo da onda da crise quando o mar está agitado, mas com um time com a cultura de foco em solução, é possível surfá-la: “No nosso caso, ela nos tirou do conforto e nos empurrou para mercados globais”.

Para Guibert, o papel do empreendedor está em encontrar as forças da equipe e dar um norte; cada vez que começa a chegar perto da visão, colocar a visão mais além. Hoje, são cerca de 3.000 funcionários – ou melhor, 3.000 sócios – que tocam sonhos cada vez maiores para a empresa:

“Na Globant nós dizemos que os empreendedores são supervalorizados, porque é nossa gente que torna tudo realidade”.

Veja as principais lições desse painel:

1. Não faça tudo pela crise, pense em como será depois que ela passar: “Quando veio a crise na Argentina, podíamos ir ao mercado por um custo atrativo e dizer ‘aqui estamos’, mas sabíamos que, a longo prazo, não seria sustentável ter uma empresa com preços mais baixos. Já tínhamos construído alta credibilidade e desenvolvíamos para o Vale do Silício, então em vez disso, optamos por ser ultra premium – a número 1 do mundo”.

2. Recebeu uma proposta tentadora? Repense seus objetivos. Um mês depois da história do IPO do Mercado Livre, a Globant recebeu uma oferta de compra: “Para nós foi tentador, todo o foco passa a ser em tomar o dinheiro da mesa e sair correndo. À noite, contamos a um professor de Harvard, que nos disse: ‘vocês não vão parar de crescer. A demanda só vai aumentar. Por mim, eu não venderia’. E não vendemos. A Globant é um estilo de vida”.

3. Seu time é o que você tem de mais valioso. “É precisa fazer nossa gente feliz, ao mesmo tempo que fazemos nossos clientes felizes. Eles se motivam quando damos autonomia, reconhecimento, um ambiente de desenvolvimento e valorizamos um propósito, um objetivo comum que nos faz ir trabalhar todo dia”.

Conheça um pouco mais da trajetória desse negócio e seus 3.000 sócios, na conversa com Guibert Englebienne, co-fundador da Globant, e Diego Martins, empreendedor da Acesso Digital, no palco do CEO Summit 2015.

Leia mais:

Qual é o (melhor) próximo passo? – Guilherme Leal, Natura

Chief Detail Officer: cada experiência conta – Edgard Corona, Bioritmo, e Constantino Jr., Gol

Da porta pra dentro: você já fez tudo o que podia? – Julia Hartz, Eventbrite

Correalização:

Logo Sebrae SITE
, Endeavor Brasil, Time de Conteúdo

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: