facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Estratégias e segredos de um gerente de produtos eficiente

LoadingFavorito
shutterstock_414132880

intel-final

Quando a empresa não consegue manter a o ritmo por muito tempo, a tática é passar o pente fino e entender qual é o time que não está fazendo um bom jogo. Veja as dicas para alinhar a equipe de maneira eficiente.

Chegar a métricas saudáveis é realmente difícil, afinal, alinhar a qualidade do produto com o mercado certeiro exige muito conhecimento. Muitas vezes, o problema não está no produto em si, mas na apresentação dele, ou até no público. Para te ajudar a identificar o problema, bolamos alguns passos que auxiliarão nesse processo, principalmente na diferenciação de um product owner e um product manager.

Quando o assunto é produto, é importante que você saiba que tem muita gente por aí que cai nessa área sem saber exatamente onde está se metendo. Definir o que é produto divide muitas opiniões, por isso procure mostrar à equipe que a visão mais completa é sempre a de fora para dentro. O profissional do produto é aquele que consegue entender, contribuir e, depois, alinhar todos os pontos para levar a empresa para frente.

O head de produto é quem vai tocar a orquestra, fazendo com que todos os envolvidos consigam entregar o seu trabalho com o máximo de aproveitamento possível. Claro, é um desafio, mas existem estratégias que vão te ajudar.

  • Receita de bolo

Manter o ritmo é decisivo, esse é o primeiro ponto. Às vezes buscamos outras prioridades e deixamos o ritmo de lado, perdendo oportunidades para os concorrentes que conseguem manter.  Você pode estar se perguntando: o que é um bom ritmo para a equipe de produtos? Uma boa rotina de entregas é a semanal. Essa é a máquina de respiração do time de produtos; ele precisa estar pronto para apresentar uma entrega técnica. Você pode divir o projeto em fatias e cobrar a entrega delas diariamente. Assim, é possível finalizar o produto em uma semana, e, de quebra, com mais organização.

Esse ritmo é chamado de sprint de produto, e os sprints são renovados semanalmente, sendo que é o próprio time que vai definir como executá-lo. Outra dica é manter o ritmo mensal – que acontece concomitantemente – para traçar o tema do mês, e a trimestral, que faz o programa estratégico da equipe. Depois disso tudo vem o backlog de produto, aquela fase em que você vai fazer a lista de todas as funcionalidades que são almejadas para o produto.

O primeiro ponto a tomar cuidado neste momento é cuidar para que o backlog não seja recheado de coisas táticas que não conversem diretamente com o objetivo maior da empresa, que é sempre a estratégia. Metade dos recursos deve ser focada para o lado estratégico, a outra metade pode ser dividida entre manutenção, resolução de problemas, customização etc.

  • Definindo urgências

O grande desafio é saber priorizar os esforços de acordo com o que está apresentando mais problemas no momento. Dentro do time, um dos primeiros passos é trazer ritmo. Entenda que existe uma grande diferença entre o product manager e o product owner; um não substitui o outro!

Enquanto o manager é aquela pessoa que vai ficar focada em um ou dois – no máximo – produtos em específicos, o owner é quem vai coordenar os times e dar ritmo, trazendo controles e métricas. É o owner quem interage com o developer, resolve as dúvidas e apresenta o roadmap, por isso, invista em formação para esse profissional! Cursos são fundamentais para toda a equipe, mas para o owner principalmente.

Nem tudo é só ciência. O sucesso do produto também está cinquenta por cento relacionado ao processo criativo. Um designer dentro da área é perfeito para aumentar o campo de visão. Mesclar o time, normalmente, ajuda a impulsionar a criação, mas, quando a conta chega, o ritmo é mais importante do que aquela sacada genial. Ritmo é tudo! Você nem sempre precisa revolucionar tanto, só a velocidade na execução pode garantir a diferenciação do concorrente. Isso pode ser decisivo, acredite!

  • Medindo o sucesso

Sempre bata um papo com o vendedor quando ele voltar do contato com o cliente. A vivência dele é essencial para entender os pontos fortes e fracos do seu produto. Levante pontos cruciais, como: o que ele mais gostou, quais foram os pontos mais desafiadores na reunião. Aproveitar esse aprendizado é muito mais legal do que ficar eternamente na busca por insights, a vivência de quem está envolvido no tête-à-tête é essencial.

Mesmo seguindo os passos rigidamente, não é sempre que você vai conseguir identificar os erros. Pondere sempre se é o produto ou o mercado direcionado que está errado, mas sempre tenha calma antes de modificar o produto. Tenha paciência, reveja cada processo interno, movimente a equipe e, depois de ter certeza, pense ponderadamente em como adequar o produto às necessidades do mercado a ser atingido, sem precipitação!

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: