facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Traduzindo estratégia em execução

LoadingFavorito
Traduzindo estratégia em execução

Como usar arquitetura de negócios para conduzir transformações mais ágeis?

Nosso ecossistema empreendedor – sempre em mudança e complexo – premia as empresas que são capazes de perceber novas oportunidades e lidar com desafios. No entanto, alinhar a organização, para que todos estejam na mesma página, continua sendo uma realidade distante.

Umas das 10 oportunidades identificadas pelos CEOs, no nosso estudo Business Pulse, estava relacionada a: “aperfeiçoar a execução das estratégias, por meio das funções da empresa”, e também “inovação nos produtos, serviços e operações”.

A disposição dos negócios disponibiliza uma série de técnicas para que possamos gerenciar nossa empresa ativamente, para que ela consiga ter uma boa vantagem competitiva em relação às oportunidades que surgem pela tecnologia, parcerias, mudanças regulatórias ou qualquer outro fator mercadológico.

Ao providenciar transparência no meio de negócios tradicionais, COOs, CFOs e CIOs podem melhorar a sua performance em todas as funções da empresa, otimizar o uso dos recursos que estão disponíveis e focar atenção onde é mais preciso. Além disso, essa visão estratégica possibilita que as organizações explorem tecnologias de modo mais eficiente e, assim, superem os marcos históricos de TI sobre agilidade nos negócios.

  1. Qual é o problema?

Os negócios que abrem seus braços para as mudanças podem obter uma vantagem competitiva ao serem pioneiros no mercado, enquanto mantêm operações sustentáveis e com bom custo benefício. Mas, para ser bem sucedido nesse ambiente, as empresas devem saber identificar qual o melhor direcionamento da estratégia, preparar uma resposta sustentável e executar isso de forma integrada por toda a organização.

Essa abordagem se faz necessária pelos resultados conflitantes que acontecem na empresa, devido ao fato de existirem diferentes direcionamentos estratégicos, seja no setor público ou privado. Os executivos precisam acompanhar o rápido ritmo das mudanças, pois ainda existem muitos desafios nas empresas que precisam de atenção imediata e não podem ser adiados.

  1. Por que agora?

As tecnologias digitais estão alterando a maneira como as organizações lidam com as suas mudanças estratégicas. A mudança das atividades, atualmente, envolve bem mais tecnologia, além de ser integrada. E tudo isso está acontecendo mais rápido do que nunca:

  • Os clientes do mundo digital estão se mostrando cada vez mais capazes de terem acesso direto sobre o que costumava ser sistemas de BackOffice e processos.
  • A tecnologia em nuvem criou um ambiente no qual soluções podem ser entregues em semanas ao invés de meses ou anos.
  • A informação integrada tornou-se vital para a tomada de decisões operacionais e para possibilitar um serviço ao cliente mais eficiente.
  • O ERP - a coluna vertebral dos negócios eletrônicos – está evoluindo para criar um sistema financeiro mais eficiente, integrado e atualizado, além de também ajudar na cadeia de processos da empresa.
  1. Como isso te afeta

Sem as ferramentas e técnicas para transformar todas essas mudanças em uma estratégia integrada, as organizações perdem a sua habilidade de, efetivamente, executar novas estratégias.

Elas acabam fazendo investimentos em soluções desalinhadas que não cumprem os benefícios esperados para o negócio, gerando mais risco e complexidade para a empresa.

  1. Qual a solução?

Para entender o modelo de negócio e construir modelos de operações que sejam atuais e desejados, as organizações devem considerar utilizar um modelo de referência para identificar áreas de oportunidade e foco. As empresas podem usar esse modelo para gerar outras iniciativas de negócios digitais altamente ágeis, para impulsionar essa transformação [Clique aqui para ver um modelo - em inglês].

A arquitetura de negócios oferece às organizações uma gama de ferramentas e técnicas para descrever como fatores externos e estratégias impactam a empresa. Isso proporciona uma clara perspectiva de “o que é” e “o que poderia ser”. As empresas podem avaliar as opções estratégicas que têm à sua disposição e, enfim, concordar sobre qual é a direção devem seguir para que a mudança ocorra.

As empresas precisam desenvolver novos modelos de cultura, governança e execução de estratégia:

      • Cultura

Organizações precisam desenvolver uma cultura e ideologia para identificar problemas de estratégia em toda a empresa, ao invés de fazerem isso em unidades individuais. Os negócios devem enfrentar os desafios com a mesma intenção de qualquer atividade – não importando o seu tamanho.

      • Governança

Organizações precisam se esforçar mais na governança em como atingir os objetivos estratégicos, ao invés de saber apenas o que eles devem atingir. Objetivos estratégicos têm dependências inter-organizacionais que exigem a colaboração de todas as áreas da empresa na execução, aém de um entendimento mais profundo do resultado compartilhado que deve ser atingido.

      • Execução estratégica

Em um mundo no qual as prioridades estão sempre mudando, os negócios devem construir e manter sempre em vista o estado dos seus modelos de operação. Essas visões permitem que o impacto das mudanças seja rapidamente avaliado, permitindo que quem toma as decisões avalie as opções e priorize as oportunidades de investimento.

  1. Qual é a conclusão?

Dentro desse ambiente, estão disponibilizadas as ferramentas para otimizar e alinhar as mudanças de investimento para o bem de toda a organização e não apenas para unidades específicas.

Essa arquitetura do negócio pode ajudar empresas a:

  • Traduzir a estratégica em execução, ao descrever como isso irá impactar o negócio, de uma maneira que seja entendida por todos.
  • Possibilitar opções de transparência, impactos e mudar iniciativas para fornecer informações importantes para que os gestores tomem decisões.
  • Formalizar a colaboração, em toda organização, para entender e gerenciar da melhor maneira as oportunidades, dependências e riscos.
  • Responder rapidamente a novas oportunidades e desafios, maximizando os recursos que estão disponíveis.

Confira aqui o artigo original

Leia também:

Os 9 princípios da inovação ágil

Times inovadores: a melhor ferramenta da sua empresa

Não esperemos um século: 3 maneiras de reduzir a desigualdade de gênero

A EY é uma das quatro maiores empresas de serviços profissionais do mundo (as big four), presente em 150 países, em 728 escritórios, e com mais de 190 mil funcionários. Com sede em Londres, a EY presta serviços de auditoria, elisão fiscal, consultoria e transações corporativas.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: