Produtividade na construção civil: como a cultura da inovação pode acelerar a transformação no setor

Esse é um conteúdo oferecido por:   Duratex

Endeavor Brasil
Endeavor Brasil Endeavor Brasil - Time de Conteúdo

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 30 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Ineficiência e desperdício de materiais estão entre os principais gargalos. Para Bruno Antonaccio, Head de Inovação da Duratex, o contato com scale-ups vai transformar esses desafios em oportunidades acelerar transformações

Existem alguns segmentos de mercado em que a inovação já está mais difundida. Setores em que organizações consolidadas perceberam a importância de apoiar startups orientadas para a disrupção, pelo bem de suas próprias operações, de seus clientes e de todo o sistema em que atuam. Um exemplo é o segmento financeiro, onde encontramos um número crescente das empresas chamadas Fintechs (neologismo em inglês para Finance and Technology).

Em outros setores, porém, esta relação ainda é tímida. É o caso da construção civil, área que enfrenta uma série de desafios, sobretudo em relação à produtividade. Neste artigo, Bruno Balbinot, fundador e CEO da AMBAR, lembra que “o jeito de construir casas e apartamentos no mundo permaneceu praticamente o mesmo, com algumas inovações incrementais, mas sem um movimento de modernização dos processos e o uso de tecnologias disruptivas na cadeia de produção”. Por outro lado, vale lembrar que é um dos setores de maior impacto na economia e no uso de recursos naturais.

1% = U$S 100 bilhões economizados

Em pesquisa realizada há alguns anos, o Boston Consulting Group verificou que, com o aumento de apenas 1% na produtividade da construção civil, seria possível economizar cerca de U$S 100 bilhões em escala global.

Para Bruno Antonaccio, Head do Núcleo de Inovação da Duratex, “o mercado de construção civil ainda apresenta altos níveis de ineficiência, com grande desperdício de materiais e de tempo”.

De acordo com Bruno, esses gargalos relacionam-se a processos construtivos que precisam ser modificados, atualizados e enxugados — uma transformação na qual novas empresas, orientadas para a inovação e a tecnologia, exercem papel fundamental. São elas que veem oportunidades no lugar de obstáculos, e que utilizam a inovação para explorarem novos oceanos azuis.

AMBAR e Viva Decora mostram o caminho

Um exemplo é a própria AMBAR, que produz e instala componentes elétricos em casas populares. Com uma estrutura baseada em Engenharia de Processos e Inovação de Produtos, a empresa surgiu para solucionar gargalos do segmento.

Outro caso é o do Viva Decora, uma “startup que nasceu dentro de uma startup” – no caso, a imobiliária online VivaReal. O Viva Decora transforma o imóvel que as pessoas decidiram morar na casa dos sonhos. E, tanto no modelo quanto nas metodologias, a empresa tem uma abordagem inovadora de atuação na construção civil — a ponto de receber um investimento de R$ 6,2 milhões da Duratex, em novembro do ano passado.

“Troca muito rica”

Quando empresas já consolidadas entendem a importância dessas ideias disruptivas, todos os envolvidos saem ganhando. “Entendo que esse contato com o ecossistema de startups vai ajudar as empresas tradicionais a refletirem e aprenderem com novos modelos”, afirma Bruno. “É uma troca de experiências muito rica”.

Esse intercâmbio já está na pauta da Duratex há algum tempo. “A inovação sempre foi tratada e priorizada na Duratex, nos últimos 5 anos intensificamos as ações em relação à cultura de inovação.” No entanto, o movimento ficou mais consistente há dois anos, quando foi montado o Núcleo de Inovação. “A missão é a de propagar e fomentar a cultura inovadora dentro da empresa”, conta o responsável pela área.

O próximo passo da Duratex foi estabelecer pontos de contato com empresas de culturas diferentes, “com uma pegada de agilidade”. “Como estamos buscando construir uma organização mais aberta e mais colaborativa, entendemos que o meio empreendedor proporciona uma vivência real desse mundo”, conta Bruno. Para ele, mais importante do que mostrar metodologias é “colocar o time em contato com empresas que já trabalham dessa forma”.

Benefícios para todos

Esse contato, que foi se tornando mais frequente, vem trazendo vários benefícios para as startups. Mas Bruno não tem dúvidas de qual seja o mais importante: “o acesso a uma rede de contatos já estabelecida. A conexão das scale-ups com nossos clientes e fornecedores sem dúvida ajuda a gerar negócios”. Além disso, o head de Inovação considera que a empresa pode contribuir para suas parceiras com “metodologias de gestão e práticas de compliance”.

Para a Duratex, os avanços também têm feito a diferença. Desde quando “a empresa começou a olhar para fora de maneira diferente”, buscando maior contato com startups, muita coisa tem mudado internamente. Um exemplo é a plataforma de gestão interna de novas ideias, que será implementada no dia 6 de junho desse ano. “Antes, existia um projeto para cada divisão (Madeira e Deca). Hoje, o sistema é único, colaborativo, repleto de tecnologias embutidas”, revela Bruno Antonaccio.

Diante desse cenário, já é possível dizer que surgem as construtechs — startups e scale-ups que, nos mesmos moldes das fintechs e edutechs, são orientadas para a inovação tecnológica. “Tenho visto muitos empreendedores dispostos a atuar neste mercado, que é tão importante para o país”, afirma Bruno.

Garagem Duratex

Para consolidar a cultura da inovação na empresa e no mercado, a Duratex acaba de lançar o Garagem Duratex. Criado em parceria com a Endeavor, o programa vai selecionar, apoiar e acelerar sete scale-ups que tenham produtos, serviços e tecnologia aplicados ao setor de material de construção e decoração e à cadeia operacional e industrial da companhia.

As selecionadas terão acesso a mentorias de alto nível com a rede Endeavor, além de conexões entre empreendedores em estágios semelhantes. As scale-ups também poderão alavancar seus negócios ao ter contato com colaboradores da Duratex e acesso à rede de relacionamento da companhia — a rede de contatos a que se referiu Bruno Antonaccio.

Para saber mais sobre o programa e realizar a sua inscrição, acesse o site do programa. E faça parte da modernização de um dos setores que mais geram empregos no país.

duratex - campanha