Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Estatísticas de Empreendedorismo

LoadingFavorito

Relatório é oportunidade de entender a importância das empresas de alto crescimento para a economia brasileira.

No último mês de agosto, a Endeavor apresentou o primeiro relatório sobre empreendedorismo no Brasil, em conjunto com o IBGE. É a primeira oportunidade para entender melhor as empresas de alto crescimento (EACs) e sua importância para a economia do país. A EAC é aquela empresa que tem crescimento médio dos empregos de ao menos 20% ao ano, por um período de 3 anos, e têm pelo menos 10 empregados no ano inicial de observação.

As empresas de alto crescimento são muito importantes para a economia e geraram mais da metade dos empregos criados no país entre 2005 e 2008. Por isto, se tornou essencial saber mais sobre elas: quantas delas temos no país, os setores em que atuam, onde ficam, etc.

Existem apenas 30.000 empresas de alto crescimento e um terço delas são gazelas – EACs com até 5 anos de idade no início do período. As EACs representam 1,7% do total de empresas empregadoras no país. 

 

 

 

As EACs empregaram 27 milhões de pessoas e pagaram R$ 434,4 bilhões em salários e outras remunerações.

A EAC média cresceu 172,4% em número de empregos entre 2005 e 2008 (100 pontos percentuais acima do mínimo estabelecido para ser considerada uma EAC). Com todo este crescimento, elas têm um impacto importante na geração de empregos e renda no país, criando 57,4% dos novos empregos e 18,3% das receitas em geral. 

 

 

 

As EACs fazem uma diferencia grande para o Valor Adicionado no país considerando a quanitdade delas. O Valor Adicionado é um indicador que podemos usar para identificar inovação e a contribuição que a empresa traz para o PIB nacional.

As EACs realmente crescem. Estas empresas iniciam seus negócios como micro e continuam a crescer tornando-se cada vez maiores, sempre aumentando o número de seus funcionários. 

O crescimento em número de funcionários das EACs é muito rápido. 50% das EACs em 2005 eram pequenas, ou seja, empregavam entre 10 e 49 pessoas. Destas, após 3 anos, 37,8% se tornaram médias (entre 50 e 249 funcionários) ou grandes (250 ou mais funcionários).

Empresas de alto crescimento aparecem em todos os setores, ainda que sua distribuição se faça de maneira não uniforme para todas as atividades estudadas.

Para a economia, os setores importantes são os grandes. Estes estão criando um número alto de empregos e valor adicionado.

Para investidores, os setores importantes são os que estão crescendo mais rápido em termos de número de empregados e também têm valor adicionado.

Como esperado, a maioria das EACs e gazelas estão no Sudeste e também é nesta região que se cria a maioria dos empregos das EACs. O Sul e o Nordeste também são importantes nesse sentido; o Sul tem muitas EACs e o Nordeste tem muito mais gazelas do que o esperado quando olhamos o tamanho da economia da região (números de EACs e empresas em geral). 

Em geral, as EACs criam muitos empregos nas áreas onde estão. Nos estados com economias menores, as EACs têm um efeito grande sobre empregos, sendo que elas criaram 19,9% dos empregos no Norte e 18,4% dos empregos no Nordeste, índice maior do que a média nacional de 16,7%.

Tudo indica que a proliferação de EACs possui um efeito grande e positivo na criação de empregos. Isso é muito óbvio no Nordeste, onde a economia está se fortalecendo e as EACs e gazelas estão criando um número enorme de empregos.

Para ver o relatório completo, acesse:

www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/empreendedorismo/empreendedorismo.pdf

FONTES DOS DADOS

Alguns resultados aqui apresentados já foram disseminados em outras pesquisas do IBGE. É o caso, por exemplo, do número de empresas de alto crescimento e gazelas em 2008 e seu impacto na geração de ocupações entre 2005 e 2008 apresentados na Demografia de Empresas 2008, ou o valor adicionado total das atividades da indústria, comércio, serviço e construção, explorados na Pesquisa Industrial Anual, Pesquisa do Comércio, Pesquisa de Serviços e Pesquisa Anual da Indústria da Construção, divulgadas em 2010.

A autora Amisha Miller é gerente de pesquisa na Endeavor Brasil.

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: