facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Esqueça a Descrição de Cargo

LoadingFavorito

Os funcionários de uma empresa possuem habilidades que vão além da descrição de sua função. Descubra-as e as incentive.

Descrições de cargo são importantes para mostrar aos funcionários o que é esperado deles, é um guia que dá a referência de desempenho e cumprimento da função. No entanto, quando a pessoa já sabe o que ela deve fazer, a descrição passa a ser um limitador do potencial que ela pode trazer e, neste momento, a descrição deve ser ignorada.

PreviewCerta vez, eu passei pela desagradável experiência de ser obrigado a demitir 15% da minha equipe por questões de corte de despesas da empresa como um todo. Depois do processo, as pessoas ficaram muito deprimidas com os colegas que perderam e o astral estava baixíssimo. Resolvi, então, organizar um churrasco para melhorar os ânimos e passar o recado que o pior já passou e temos que nos reerguer e seguir em frente.

As pessoas compareceram, o evento foi ótimo, mas o clima ainda era horrível – todos cabisbaixos, sem conversar, estavam lá somente por obrigação. Eu não sabia o que fazer. Até que chegou a Marina, uma jovem analista de sistemas que estava há apenas quatro meses na equipe. Ela trouxe um violão. E aquele violão fez toda a diferença naquele dia. Marina se sentou e começou a tocar e cantarolar. Logo, as pessoas iam se aproximando e ouvindo, e não demorou para começarem a pedir músicas. Duas horas depois, estavam todos bebendo, cantando alto e se abraçando. Meu objetivo foi atingido. Graças à Marina!

Pergunte-me se a descrição de cargo de uma analista de sistemas prevê saber tocar violão. Pergunte-me se Marina tinha no seu plano de metas individuais melhorar o ânimo da equipe e acabar com a depressão. Claro que não! Ela fez o que fez de forma espontânea, porque gosta e porque faz bem. As pessoas não são um cargo, você pode ter 20 analistas de sistemas na sua equipe e, ao mesmo tempo, 20 pessoas diferentes, com competências distintas, com conhecimentos variados, com habilidades específicas, que podem, de uma forma ou de outra, ser úteis para a empresa. Nós só valorizamos o que está na descrição de cargo e só recompensamos metas atingidas que foram previamente estabelecidas. Nosso sistema de gestão de pessoas não prevê respeitar a contribuição individual que cada funcionário pode trazer.

Por isso, quando o seu funcionário já tiver incorporado o mínimo que é esperado no cargo dele, jogue fora a descrição de cargo e veja com ele o que mais ele pode trazer para a empresa. O que só ele tem que pode contribuir e agregar para a equipe. Você se surpreenderá com o que as pessoas podem fazer quando você dá a elas confiança, liberdade e autonomia.

Marcos Hashimoto é doutor em Administração pela EAESP-FGV, é professor da graduação e MBA da ESPM, e pesquisador do Mestrado Profissional da Faccamp.

 
Leia mais:

Qual o significado do trabalho para você?
Ouça o chamado do empreendedorismo

 

Doutor em Administração de Empresas pela EAESP/FGV, Professor pesquisador do Mestrado Profissional em Administração da Faculdade Campo Limpo Paulista. Associado-fundador e tesoureiro da Associação Nacional de Estudos em Empreendedorismo e Pequenas Empresas. Consultor e palestrante em negócios e empreendedorismo corporativo. Foi Coordenador do Centro de Empreendedorismo da FAAP e professor da Escola São Paulo. Criou e coordenou o Centro de Empreendedorismo do Insper. Exerceu cargos executivos em multinacionais como Citibank e Cargill Agrícola.
www.marcoshashimoto.com

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: