facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Engajar pela visão e inspirar pela ação: como traduzir a estratégia no dia a dia

LoadingFavorito
Engajar pela visão e inspirar pela ação: como traduzir a estratégia no dia a dia

Time alinhado, engajado e com objetivos bem definidos. Mesmo que você já tenha feito essa lição de casa, o desafio agora é outro: proteger a estratégia do ano da implacável rotina.

Não tem segredo: para traduzir o seu Sonho Grande em visão compartilhada do time, aposte na transparência. Minha experiência empreendendo a Contabilizei tem me mostrado isso todos os dias.

Desde fevereiro, estou contando em um artigo dividido em 3 partes, a estratégia que usamos na Contabilizei para definir metas e engajar o time. Na primeira parte desta série, eu falei sobre como a metodologia do Google nos ajuda a traçar objetivos e alcançá-los por meio da metodologia de OKR. Na segunda parte, abordei os desafios de colocar todo o time no mesmo barco, especialmente quando se tem uma empresa com crescimento acelerado como a Contabilizei, o que implica um ritmo intenso de novas contratações, ou seja, novos tripulantes que precisam aprender a remar com o barco andando.

Hoje, chegamos à última parte desta série onde vou mostrar como traduzimos a visão da Contabilizei no dia a dia, especialmente quando escolhemos ser transparentes quanto às informações da companhia. Vou falar sobre o importante papel da liderança na condução e inspiração do time e como as frustrações devem ser usadas como aprendizados para ir mais longe.

Conheça a metodologia OKR clicando aqui.

Inspiração para a ação

Nós construímos uma companhia com base na transparência, mas também em um formato mais horizontal.

Isso significa dizer que na Contabilizei nós não temos muitos degraus na escada de comando: é Conselho > Líderes de Área >  Líder do Time > Time.  Simples assim.

Isso faz com que as decisões sejam tomadas mais rapidamente e estimula a autonomia das equipes e todo o drive de cultura que temos falado.

Então, o papel do líder é essencial porque, além de garantir as rotinas básicas e o alcance dos objetivos, ele precisa servir a equipe, engajando e desenvolvendo as pessoas do time –e, por que não, estimulando que pessoas com espírito de liderança possam usar este dom para apoiar umas às outras. E para tudo isso acontecer, o líder é o primeiro a ser o guardião da cultura da empresa e obrigatoriamente deve ter a visão da companhia na ponta da língua e também no coração.

Participar ativamente da operação, junto com a equipe, é fundamental para sentir os desafios do dia a dia e mostrar que, no final das contas, o que faz a diferença em uma empresa com ritmo de crescimento forte é a execução, a mão na massa. Esta visão também é valiosa no que diz respeito aos desafios individuais da equipe já que, atuando junto na rotina operacional, o líder consegue identificar com mais precisão o potencial de cada um e os pontos que podem ser melhorados.

Leia também: Traduzindo a estratégia em execução

Eu mesmo ainda participo ativamente da rotina operacional e gosto de ajudar no desenvolvimento de cada um. Por isso, sempre gosto de explicar o racional por trás de cada ideia ou decisão para estimular a equipe a entender a linha de raciocínio e ligar os pontos. As coisas precisam fazer sentido para todo mundo, porque não há nada mais frustrante do que se trabalhar numa ideia ou projeto no qual você não acredita, e às vezes isso é apenas uma questão de comunicação que pode ser crucial no sucesso do que está sendo feito, em outras palavras, no empenho da equipe em atingir os objetivos.

Dentro dos nossos desafios de colocar todo time no mesmo barco, mencionei no artigo anterior que temos um processo de integração dos novos contratados à companhia e aqui eu faço questão de, pessoalmente, transmitir a história da companhia, como chegamos até aqui e tudo o que ainda podemos conquistar com o esforço de cada um. Esta integração, somada à minha visão, mostra a força do propósito na conquista dos objetivos e me coloca mais próximo das pessoas que nos ajudarão nos próximos passos da Contabilizei.

Outro ponto fundamental que inspira à ação é compartilhar conhecimento e aprendizados.

Sempre que tenho oportunidade de aprender eu preparo um compilado dos aprendizados e divido com a equipe. Recentemente, por exemplo, estive no Vale do Silício e fiz uma imersão em Inovação e Liderança em Stanford e tive a chance de conhecer líderes inspiradores e sua estratégia dentro de companhias como Facebook, Waze e Google, além de, in loco, participar de uma mentoria dentro do próprio Google. Uma experiência muito rica e que não poderia guardar apenas para mim.

O mais bacana é que a equipe, que já tem a batida da companhia, me cobra a compartilhar estes aprendizados. Vale dizer também, que dentro do âmbito da inspiração, artigos como este e aqueles onde falo sobre a minha rotina ajudam a revelar um pouco mais sobre a minha visão pessoal e como fundador e CEO de uma companhia que está transformando a forma de fazer contabilidade no Brasil. Meu objetivo é sempre inspirar, mas também mostrar que para transformar um sonho em realidade é preciso bem mais que uma ideia, é uma combinação de trabalho duro, disciplina, perseverança e consistência.

Motivação

Acreditamos que motivação é um conjunto de fatores como propósito, desafio e coaching. E quando o propósito individual encontra o propósito da companhia, os desafios pessoais tornam-se, na verdade, motivadores que promovem naturalmente um ambiente de alta performance, que é fundamental também para a inspiração.

Se somos a média das 5 pessoas que mais convivemos, nós podemos crescer mais e mais rápido quando estamos num ambiente com pessoas melhores que nós.

Nas contratações que fazemos para a Contabilizei, as entrevistas com os candidatos passam também pela equipe que vai trabalhar diretamente com ele, mesmo que seja a contratação de um líder, por exemplo. É essencial que a equipe converse com o candidato tanto para avaliar capacidade técnica quanto potencial de aprendizado e empatia. Acima disso, encorajamos a equipe a buscar, sem medo, sempre pessoas melhores que elas porque acreditamos que assim conseguiremos atingir nossos objetivos com mais rapidez.

Encontrar as pessoas certas é a chave para criar um ambiente de alta performance. Para nós, as pessoas certas são aquelas que estão dispostas a fazer diferente, pensando fora da caixa, com sede de excelência e que vão além de si, porque acreditam no que estão fazendo, colocando a régua da alta performance no topo. São aquelas que também se deixarão conduzir por uma liderança inspiradora e eficiente capaz de maximizar o potencial de cada um rumo ao seu propósito e aos objetivos da companhia.

Lidando com frustrações

Como eu já compartilhei nos outros artigos, nós queremos, este ano, crescer 3x. Mas, é claro que o caminho para isso não é linear e existem muitos percalços que podem gerar frustração na equipe. E um deles está diretamente relacionado ao alcance dos OKR’s, já que perseguimos um resultado de 100% esperando, na verdade, 70%. E atingir um valor menor pode tanto levar o time a dar 30% menos no dia a dia quanto à frustração de ter dado 120%, por exemplo, mas não conseguir alcançar plenamente o objetivo.

Todos querem bater metas, querem ser melhores, e trabalhar sabendo que você provavelmente não vai conquistar tudo é um exercício de amadurecimento.

Entretanto, a visão traduzida em objetivos deve ser grande, audaciosa e cabeluda, como Jim Collins explica em um livro que recomendo muito: “Feitas para Durar”. Lá, ele conceitualiza o termo BHAG (“Bi-Reg” em inglês), dizendo que os objetivos devem ser audaciosos a ponto de dar frio na barriga, cabeludos de tão difíceis de resolver mas, acima de tudo, possíveis de conquistar com esforço. A questão do scoring de OKR diz respeito, justamente, a audácia das metas e é por isso que preferimos nos desafiar em metas ousadas e dar tudo para chegar lá (mesmo que não consigamos 100%) do que ficar na zona de conforto com objetivos que nos farão caminhar a passos curtos no dia a dia.

Conclusão

Engajar pela transparência e liderança exige coragem e inspiração. Perseguir grandes objetivos demandam uma equipe em sintonia com a cultura da companhia e que tomem para si, o propósito de impactar. Fazer diferente não é uma tarefa fácil, mas certamente nos torna pessoas melhores e com legado.

Este artigo encerra uma série que escrevi especialmente para a Endeavor contando como nós, na Contabilizei, definimos objetivos e engajamos nosso time. Os artigos anteriores você encontra nos links abaixo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser saber de mais algum detalhe, deixe o seu comentário e ficarei feliz em responder.

A Contabilizei tem oportunidades abertas para intraempreendedores interessados em trabalhar em uma empresa de alto crescimento. Conheça as oportunidades, compartilhe com seus amigos e candidate-se! Esse pode ser o primeiro passo para você conhecer a rotina de uma empresa de alto impacto e, quem sabe um dia, criar a sua.

Leia também os outros artigos da série:

Como o Google nos ensinou a definir e alcançar objetivos

Como colocar o time no mesmo barco: a estratégia da Contabilizei para triplicar o time sem perder o foco

Ferramenta OKR

 

, Contabilizei, CEO
Vitor Torres é formado em Administração de Empresas, atual cofundador e CEO da Contabilizei Contabilidade Online e Empreendedor Endeavor. Vitor é empreendedor aventureiro desde sua infância e sua trajetória é repleta de desafios e aprendizados ao promover a maior inovação na tradicional indústria contábil das últimas décadas.

Deixe seu comentário

Criação e desenvolvimento: