Sobre o Empreendedor

Pedro Conrade

Pedro Conrade não é um empreendedor simples de traduzir. É um misto de humildade e alta capacidade de execução. Simplicidade e ambição. À frente do Neon, enfrentou a complexidade de criar um dos primeiros bancos digitais do Brasil. Já são alguns bilhões de reais transacionados e quase 1 milhão de novas contas abertas todo mês. O gatilho para a criação da scale-up veio com a fatura do seu banco, cinco anos atrás.

Depois de estourar em R$ 1,00 a conta corrente, Pedro tinha levado um choque ao descobrir que seu banco iria cobrar R$ 46,00 de tarifa para início de uso do cheque especial. Quando ele começou a investigar suas faturas, se deu conta de que gastava todo ano um salário mínimo em tarifas do banco quando seu salário era de pouco mais que um salário mínimo ao mês.

A indignação era enorme. Pedro se perguntou quanto dinheiro os brasileiros perdiam todo ano com taxas abusivas dos bancos. Quando fez essa conta, percebeu que ali estava uma motivação forte o suficiente para criar seu novo negócio.

Sobre a Empresa

Nas primeiras 48 horas, o Neon recebeu mais de 5 mil pedidos de abertura de conta. Ali estava o indício de que o problema que ele viveu também era uma dor de outros brasileiros. Durante os últimos quatro anos, o Neon foi pioneiro em diversas inovações relacionadas à digitalização dos serviços financeiros. A abertura da conta digital 100% remota, a biometria facial para contas digitais, transferência de dinheiro pela Siri do iPhone, e até a criação de um sistema inteligente que transfere os centavos restantes de uma transação em investimento, o arredondamento. Em 2019, além do aporte de R$ 400 milhões da sua série C, o Neon adquiriu também a MEI Fácil, startup de gestão para microempreendedores, em um movimento de se posicionar também como banco digital para pequenos negócios. Dessa forma, ele se aproxima da visão de ser uma plataforma one-stop-shop para serviços financeiros digitais a todos os brasileiros. Todos, mesmo. Essa visão é tão clara na mente de Pedro que, para ele, o sucesso do Neon só vai se realizar no dia em que os brasileiros não sofrerem mais com taxas de bancos abusivas. Mesmo com um time tão grande, um negócio de alto crescimento e tendo captado quase R$ 500 milhões com alguns dos maiores fundos do Brasil, como Monashees e General Atlantic, o sonho é ainda maior. É do tamanho do mercado. Gigantesco.

Ano de Fundação
2016
Segmento
Fintech
Ano Apoio Endeavor
2020