Sobre o Empreendedor

Ailton de Assis Queiroga

Ailton de Assis Queiroga é natural de Pombal, uma cidade do norte de um dos estados mais pobres do Brasil. Formado como engenheiro eletrônico, ele recebeu seu Mestrado em Eletrônica da NUFFIC (organização holandesa para cooperação internacional em educação superior), em Eindhoven, Holanda. Ailton passou oito anos trabalhando para a Embraer, a quarta maior fabricante de aviões comerciais do mundo. Na Embraer, ele viu um nicho para sistemas de bordo projetados para a Força Aérea Brasileira. Ele e um sócio, Hélio Ikedo, fundaram a Compsis em 1989 com a missão de fornecer esses sistemas para o governo brasileiro. Ailton aprendeu rapidamente, no entanto, que o governo era um cliente instável e decidiu mudar seu foco. Encontrou, então, a oportunidade de aplicar a expertise da Compsis nas indústrias automobilísticas e de gerenciamento de tráfego pareciam o ajuste perfeito.

Embora a Compsis tenha instalado seu primeiro projeto - um sistema de auditoria de pedágio - em 1991, a empresa experimentou seu primeiro grande boom em 1996, quando o Brasil começou a privatizar suas rodovias. A concorrência súbita e acirrada dos principais participantes - incluindo Tyco, Telvent e CS Route - estimulou a Compsis a lutar por território em estradas brasileiras (o país ostenta a maior quilometragem mundial de rodovias administradas por concessões) aprimorando e otimizando sua tecnologia. Em quatro anos, a Compsis conseguiu e impulsionou seus sistemas para além das fronteiras do Brasil e para a Austrália e a Índia.

Sobre a Empresa

Compsis é uma empresa de tecnologia com mais de 20 anos sediada em São José dos Campos, cidade internacionalmente conhecida como um centro aeroespacial. A Compsis desenvolve e integra soluções de hardware e software para diferentes indústrias - incluindo a automobilística e a aeroespacial -, mas é mais conhecida por ajudar as autoridades de tráfego rodoviário e urbano a aumentarem sua cobrança e melhorar a eficiência do fluxo de tráfego sem a necessidade de investir em nova infraestrutura. A empresa cortejou mais de 40% das agências rodoviárias controladas pelo Estado no Brasil - onde o mercado de sistemas de gerenciamento de tráfego é estimado em US $ 1,5 bilhão em quatro anos. Já implementou seus sistemas na Argentina, Equador, Egito, Austrália e Índia. No ano passado, registrou receita de US $ 4,5 milhões.

Ano de Fundação
1989
Segmento
Tecnologia
Ano Apoio Endeavor
2004