facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Design Thinking: de que inovação seu consumidor final precisa?

LoadingFavorito
Design Thinking: de que inovação seu consumidor final precisa?

Imagine uma abordagem que permita olhar para a ponta antes de inovar. Ela existe e tem nome: conheça o Design Thinking.

Todo trabalho de design exige reflexão e a livre expressão do pensamento. Seguindo esse raciocínio, não seria uma certa redundância nomear uma abordagem da área de criação de Design “Thinking”? Não, não seria. E nas linhas abaixo você irá descobrir o por que e, mais além, a razão pela qual essa expressão vem sendo utilizada, não somente na área de Desenvolvimento de Produtos, mas em diversas áreas empresariais de todos os segmentos.

Criatividade X Pressão por resultados

Raul Seixas dizia que a desobediência é uma virtude necessária à criatividade. E faz todo o sentido. A liberdade subversiva de apontar para o desconhecido, de trilhar um caminho nunca antes desbravado, de buscar materializar o que ninguém jamais deu vida, essa inquietude de alma e coração típica das mentes inventivas é condição para aflorar a capacidade criativa do ser humano na solução de problemas. E é aqui que o design thinking, uma perspectiva que mudará por completo sua maneira de encontrar os caminhos corretos em sua trajetória de sucesso.

Um dos grandes desafios enfrentados pelos profissionais em suas carreiras, nos dias de hoje, é suportar pressão por resultados cada vez mais imediatos (e dotados de nível máximo de eficiência), exigências que têm feito com que se opte sempre pelo caminho mais seguro e de menos riscos: é a velha história de ganhar o jogo por 1 X 0, ao invés de se arriscar a jogar bonito e acabar derrotado. 

O conceito de design thinking veio para revolucionar a maneira de encontrar soluções inovadoras para os problemas, soluções criativas focadas nas necessidades reais do mercado e não em pressuposições estatísticas.

O que significa design thinking? Quais são suas etapas?

A primeira informação que deve ficar clara é que design thinking não é uma metodologia, e sim uma abordagem. Isso porque, quando pensamos em método, criamos a expectativa de ter às mãos uma fórmula matemática que se aplique indistintamente em qualquer situação. Não é o caso.

Design thinking é uma abordagem que busca a solução de problemas de forma coletiva e colaborativa, em uma perspectiva de empatia máxima com seus stakeholders (interessados): as pessoas são colocadas no centro de desenvolvimento do produto – não somente o consumidor final, mas todos os envolvidos na ideia (trabalhos em equipes multidisciplinares são comuns nesse conceito).

O processo consiste em tentar mapear e mesclar a experiência cultural, a visão de mundo e os processos inseridos na vida dos indivíduos, no intuito de obter uma visão mais completa na solução de problemas e, dessa forma, melhor identificar as barreiras e gerar alternativas viáveis para transpô-las. Não parte de premissas matemáticas, parte do levantamento das reais necessidades de seu consumidor; trata-se de uma abordagem preponderantemente “humana” e que pode ser usada em qualquer área de negócio.

A razão de sua existência é a satisfação do cliente (interno ou externo), dádiva que só pode ser alcançada quando conhecemos em profundidade suas necessidades, desejos e percepções de mundo.

As etapas do design thinking podem, em geral, ser resumidas pelos seguintes passos:

1- Identificar onde encontrar oportunidades de inovação

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas”. Este é um trecho de “A Arte da Guerra”, do filósofo chinês Sun Tzu, e que diz muito sobre o ponto que estamos abordando.

Descobrir onde encontrar caminhos para inovar envolve conhecer a si mesmo e ao ambiente externo. Conhecer seus pontos fortes, as fragilidades da concorrência, as condições macroeconômicas, etc. Análise SWOTbenchmarking, pesquisas de mercado e reuniões multidisciplinares te conduzirão às respostas para esse ponto.

2- Descobrir a Oportunidade de Inovação

Consequência direta do ponto anterior, aqui, pesquisas qualitativas e trabalho com soluções de Big Social Data podem indicar, muito além do setor, qual é, de fato, a oportunidade que o mercado desenha ao seu negócio.

3- Desenvolver a Oportunidade de Inovação (Produto ou Serviço)

O design thinking começa a tomar corpo nessa etapa. Aqui, iremos desenvolver o produto ou serviço partindo, não de pressuposições ou análises estatísticas frias (algo comum no mercado), mas a partir das necessidades e percepção de valor do cliente. Nesta etapa, poderemos lançar mão do Processo Heurístico para descobrir o diagnóstico e o Processo Criativo para gerar as possibilidades de produtos.

4- Testar as ideias — protótipos

Um MVP – Minimum Viable Product é uma bela dica do que se pode fazer nesse item. Para quem não sabe, MVP (muito usado em startups) é a versão mais simples de um produto, que pode ser lançada em período de testes, para verificar, sem grandes gastos, se sua ideia realmente atinge as necessidades do seu consumidor final.

5- Implementar a solução

Após testes com respostas positivas acerca de seu produto, ele já está pronto para ser lançado “aos leões”. É importante entender que o processo de desenvolvimento do produto é contínuo e incremental, ou seja, sua ideia irá ser melhorada permanente através um processo de copartipação entre todos os seus stakeholders (clientes, fornecedores, colaboradores internos, etc.).

Como aplicar as práticas de design thinking na minha empresa?

O design, em suas concepções primárias, era focado muito mais na arte do que na razão pela qual esta havia sido criada. Ocorre que, muitas vezes, o desenho não solucionava o problema do produto. Pior do que isso, às vezes, nem o produto solucionava o problema do cliente.

O design thinking entra nesse vácuo de eficiência para enxergar novos caminhos através da perspectiva do consumidor final.

Exemplos práticos de como usar essa perspectiva nas diversas áreas e tarefas de sua empresa:

  • Equipe de vendas: os times comerciais podem utilizar técnicas de design thinking para desenvolver uma capacidade superior de enxergarem “com os olhos dos clientes” e, por meio disso, criarem estratégias mais poderosas de persuasão;
  • Núcleo estratégico: a análise preditiva consiste em encontrar padrões no passado que possam ser repetidos no futuro. Ao invés de buscar o retrovisor para definir o caminho a ser seguido, o design thinkling pode auxiliar os gestores a encontrarem soluções totalmente inovadoras, sem voltar os olhos para o passado, mas para as expectativas e desejos atuais do consumidor final;
  • Brainstorm: etapas de interrogatório, ideação e prototipação podem auxiliar no processo criativo

Para saber mais sobre o passo a passo dessa aplicação, baixe gratuitamente nossa FERRAMENTA DE DESIGN THINKING PARA EMPREENDEDORES clicando aqui

Design Thinking é só para os gigantes do mercado, com núcleos publicitários de grande estrutura?

Não! Tem sido cada vez mais comum observar pequenas e médias empresas utilizando essa perspectiva colaborativa, prática e multidisciplinar na transposição dos desafios de seu negócio.

Onde posso fazer um curso sobre design thinking?

Com pôde ser observado, design thinking é uma ferramenta de inovação na solução de problemas, uma poderosa estratégia de gestão criada a partir das salas de reuniões de agências de publicidade no intuito de promover uma experiência mais completa para as pessoas, seja de ordem emocional, estética ou cognitiva. Sua perspectiva pragmática e humana tira o processo criativo da esfera puramente artística e o leva para um cenário funcional, o que torna possível aplicá-lo em diversas áreas corporativas com resultados muito mais sólidos e assertivos. Afinal, o objetivo máximo de uma empresa é alcançar o coração do cliente da forma mais profunda possível… ou como dizia um tal de Steve Jobs, “design is not just what it looks like and feels like. Design is how it works!”

mini curso formando times para projetos inovadores

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

2 Comentários

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
  1. Ysmar Silva Filho - says:

    2 curtidas
     
    Curtir

    Baixe gratuitamente
    o livro mais lido de Design Thinking no Brasil:

    http://www.livrodesignthinking.com.br

    Ysmar Vianna
    Autor

  2. Ysmar Silva Filho - says:

    1 curtidas
     
    Curtir

    Baixe gratuitamente o livro :
    DESIGN THINKING INOVAÇÃO EM NEGÓCIOS
    (www.livrodesignthinking.com.br).

    Ysmar Vianna
    (um dos autores)

Parceiros
Criação e desenvolvimento: