facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Desenvolvimento de pessoas: chega de focar pontos fracos

LoadingFavorito
Artigo_Desenvolvimento de pessoas_ chega de focar pontos fracos

Papo de almoço de trabalho:

Rogério, agendei este almoço com você porque estou enroscada…

Demissão, problemas financeiros, divórcio, relações extraconjugais, pensamentos suicidas… Seu olhar estatelado e atarantado só aumentava meu sinal de alerta para uma eventual notícia ruim. Fiquei em silêncio para respirar e esperar sua fala seguinte.

Ontem participei de uma reunião conjunta entre Conselho e Comitê Executivo. Apresentamos nosso Plano Estratégico de Pessoas para 2015. E saí de lá com uma demanda: nosso investimento em desenvolvimento de pessoas somente será aprovado se eu conseguir calcular o ROI desta iniciativa.

“Meu Deus!”, pensei comigo, “o assunto é muito mais grave do que imaginava”. Perguntei:

Querida, responda com franqueza: você está preparada para uma conversa muito corajosa com eles?

Ao perceber que eu daria alguma ideia a respeito, seu olhar agora implorava ajuda. Seu “sim” ficou subentendido.

Será preciso encarar a realidade: o tema de desenvolvimento está comprometido em sua organização pela “praga” dos pontos fracos. Seja sincera: para que serve seu processo de avaliação de desempenho? Para identificar pontos fracos das pessoas. Qual a lógica dos ciclos de feedbacks? Contar para as pessoas sobre seus pontos fracos. E, finalmente, a serviço do que estão os Planos de Desenvolvimento Individual? “Consertar” os pontos fracos da turma.

Sua mastigação paralisara.

O investimento em desenvolvimento parece um gesto “filantrópico” e passa de modo implícito a seguinte mensagem: suas famílias mandaram vocês para cá cheios de defeitos. Como somos muito generosos, investiremos tempo e dinheiro para “desentortá-los”.

– Uf… – ela interrompeu – então deve ser por isso que nosso clima organizacional…

– …está péssimo? – emendei, completando a frase. – Sim, não hesitaria em correlacionar uma coisa com outra.

Seu desconforto naquele instante ocupava todo o restaurante.

– E nós nem chamamos de “pontos fracos”… falamos em “pontos de melhoria”… – ela sussurrou, agora com olhar perdido para um copo vazio em sua mão.

– Mas são pontos fracos! Tanta conversa assim sobre fraquezas leva o clima e o engajamento para o subsolo. Isso é prejuízo financeiro na veia!

– Mas o que faço com o ROI? – perguntou com sorriso nervoso cheio de dentes à mostra.

Aí vem a necessidade da conversa corajosa. É preciso lembrar que indivíduos e organização ganham quando o foco está em falar de talentos. O processo de desenvolvimento deve ser facilitador da ampliação de consciência para aquilo que nos faz únicos, singulares, para as coisas que somos capazes de fazer quase perfeitamente, e de modo recorrente. Os líderes precisam ter esta clareza quanto aos seus times e quanto a si próprios, e assegurar que suas atribuições, responsabilidades e metas sejam convergentes com seus talentos. Parte fundamental do que fazem deve se ancorar naquilo em que são especialmente talentosos. E o esforço de treinar e desenvolver as pessoas deve ter um norte claro: transformar seus talentos em pontos fortes, e apoiar os indivíduos a colocarem-nos a serviço dos valores e propósitos deles e da organização. Resultado? Melhor performance, melhor clima e maior engajamento. Quer retorno sobre investimento melhor do que esse?

Rogério, suicídio não seria uma opção mais fácil do que essa? – perguntou às gargalhadas, encarando um enorme pedaço de pudim.

Veja mais: Gestão de Jovens Talentos com Rogério Chér

, Empreender Vida e Carreira, Sócio
Rogério Chér é sócio da Empreender Vida e Carreira. Na DBM do Brasil atuou como Consultor de Carreira, coordenou o Núcleo de Empreendedores e foi Vice Presidente de Operações para América Latina. Chér foi Diretor Corporativo de RH da Natura e é professor da FAAP nas disciplinas de Formação de Empreendedores e Comportamento Organizacional. Também atua como professor nos cursos da FGV sobre Empreendedorismo e Criação de Novos Negócios. É autor de livros sobre Empreendedorismo e Gestão, cujo último título lançado chama-se "Empreendedorismo na Veia - Um aprendizado constante". Como conferencista participou de eventos, em dezenas de cidades Brasileiras, ministrando palestras em Instituições e empresas de diversos segmentos como: GS&MD - Gouvêa de Souza, ADCOS, Íntegra Medical, DBM, Queiroz  Galvão, Prefeitura de São Paulo - Secretaria da Saúde, Pieracciani, Faex Transportes, BR Construtora, Amcham, UFMG, Sebrae, Blue TreeHotels, Endeavor, FAAP, Insper, FGV, entre outras.

Deixe seu comentário

1 Comentário

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
  1. Márcio Faria - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Boa tarde.
    Se tiver mais vídeos a respeito da palestra acima, gostaria de receber, muito bom, bem esclarecedor.
    marciovf@hotmail.com
    Desde já muito obrigado.
    Atenciosamente;

    Márcio Faria

Parceiros
Criação e desenvolvimento: