Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Desconstruindo a Missão

LoadingFavorito

Primeiro elemento da Identidade Corporativa, ela tem de reunir oferta, competência, valor e produtividade.

A construção da Missão não é um ponto de partida, mas sim uma síntese, elaborada a partir das propostas de valor que decidimos oferecer ao mercado, baseados em nossa avaliação das oportunidades existentes e das competências que acreditamos possuir.

O desafio é encontrar um conjunto coerente de: 1. Ofertas poderosas que conseguimos entregar com eficácia e rentabilidade; 2. Que sejam ancoradas em competências superiores; 3. Que tenham alto valor para um número suficiente de clientes; 4. Conseguir aumentar mais rápido que os competidores a produtividade com que conseguimos entregar, a partir do aprendizado contínuo.

Você pode ter quantas ofertas quiser, mas todas devem ter estas características.

1. Entregar uma oferta poderosa

Tudo começa com uma oferta poderosa. A do Ipod era “1000 músicas no seu bolso”. Normalmente não somos tão brilhantes ou sintéticos, mas o princípio se aplica. Você tem que encontrar ofertas que façam muito sentido no contexto em que opera.

Como saber se uma oferta é poderosa? Segundo Steve Jobs, a partir da sua intuição. Mas você pode ser mais humilde e testar suas ideias com potenciais clientes…

2. Ancorada em competências superiores

Suas ofertas têm que ser ancoradas em competências que você tenha em grau superior à média do mercado. Se não forem, dificilmente terão um preço competitivo. Certamente, nunca obterão preço premium.

Quando a entrega é a partir de competências superiores, você surpreende. Em tempo relativamente curto e com esforço relativamente baixo, você cria um alto grau de satisfação no cliente. Sua produtividade é alta.

Mas, o mais importante, é que suas competências superiores são uma expressão da sua identidade. Nos anos 90, Prahalad e Hamel definiram o conceito de Core Competences, e defenderam que uma empresa deveria manter apenas aquelas competências que fossem essenciais para sua competitividade, aquelas que pudesse executar com maestria, que fossem difíceis de serem copiadas. A proposição deles é que a empresa deveria ser construída ao redor dessas competências. Todas as outras deveriam ser terceirizadas de quem as executasse com maestria… Pois esse arranjo geraria a cadeia de valor mais competitiva.

3. Que tenha alto valor para um número suficiente de clientes

Alguma dúvida de que não adianta investir tempo desenvolvendo uma oferta que não tenha mercado? Não adianta desenvolvê-las antes de o mercado estar pronto para comprá-las. O que não significa que não deva arriscar com ofertas inovadoras, inusitadas, ousadas… Faça-as, teste-as e, se não tiver resposta, guarde-as na gaveta mais algum tempo… Ou mude a forma de comunicar.

4. Conseguir aprender mais rápido

Este ponto é essencial. Quando você atua, a partir de suas competências superiores, inova com mais naturalidade, aprende com menos esforço. Você já está na frente. O desenvolvimento é good to best. Você se torna um alvo móvel para seus competidores e referência para o mercado.

Quando tiver terminado de definir as ofertas, escrever a Missão e só um exercício de síntese e redação criativa… Experimente… Compartilhe algo aqui para olharmos juntos!

 

Daniel Castello é Diretor de Consultoria do Grupo Holomática.

 

Leia mais:
Como Construir a Identidade da Empresa?

 

 

 

 

 

, Consultor
Consultor e Palestrante nas áreas de Estratégia e Gestão de Pessoas. Começou sua carreira na área de TI, fundando em 1989 a startup Iris do Brasil, vendida em 1997 para a ADP Systems. Foi Diretor da Gestech Consultoria Empresarial, Diretor Corporativo de RH da Gazeta Mercantil, Diretor de Tecnologia da ADP Brasil e Vice-Presidente Executivo da ABRH Nacional. Como consultor liderou dezenas de projetos de transformação, tendo entre seus clientes: Syngenta, Baxter, GRSA, Gruppo Campari, Grupo Santander, AON Affinity, Banco Daimler-Chrysler, Mapfre Seguros, Grupo Telefónica, Martin-Brower, McLane, Termomecânica, UAB Motors e FIEP. Consultor Associado na Tempo Zero e na Galunion. Consultor Certificado DISC eTalent. Membro do CORHALE, na ABRH Nacional. Conselheiro da ABRH-SP e da Sobratt.
http://daniel.castello.com.br

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: