Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Contabilidade de custos: algumas dicas e um ótimo exemplo de como realizar

LoadingFavorito

Conhecer os valores envolvidos na oferta de um serviço ou produto é fundamental para uma gestão eficiente. E é para isso que existe a contabilidade de custos.

Você sabe exatamente quanto vai custar aquilo que pretende produzir? Você tem uma ideia exata ou aproximada das despesas envolvidas no seu processo produtivo? Ou mesmo no varejo; sabe dimensionar com precisão as transações envolvidas na aquisição dos produtos que vai oferecer ao mercado? Consegue mensurar todos os pagamentos realizados pela sua empresa? É para responder a estas e uma série de outras questões que você deve estar sempre atualizado quanto a uma atividade de gestão indispensável: a contabilidade de custos.

O que é exatamente uma contabilidade de custos?

Este artigo do Blog da Zero Paper nos dá uma definição adequada:

A contabilidade de custos é a identificação e a medição dos pagamentos realizados por uma empresa. Envolve o desembolso, o prazo, o consumo de bens e a depreciação de ativos financeiros.

Trata-se, justamente, de contar os valores que seu empreendimento desembolsa para obter o produto ou serviço que comercializa; trata-se de tê-los sempre em vista. E o objetivo disso é fornecer um detalhado panorama das despesas da sua empresa (ou de um produto, ou de uma área específica), para que você, como gestor, possa analisar melhor uma determinada situação financeira.

Este processo está baseado em três funções básicas da contabilidade de custos:

  • Determinar a lucratividade da sua operação, do seu produto ou da sua linha de produção, bem como a rentabilidade do patrimônio ou do investimento;
  • Auxiliar o controle das operações e dos próprios custos, comparando a execução com padrões de orçamentos e valores;
  • Dar suporte ao planejamento e o processo decisório da sua gestão em questões como: produzir ou comprar? investir ou desinvestir?, etc.

Mas qual é a diferença entre contabilidade de custos, financeira e gerencial?

É normal se confundir. A contabilidade financeira é aquela do dia a dia, que se ocupa dos princípios contábeis e se responsabiliza por todas as movimentações mais técnicas.

A gerencial é aquela que se aproxima da gestão, devendo municiar o empreendedor com informações que auxiliem a tomada de decisão.  Neste artigo, falamos sobre como contabilidade gerencial pode proporcionar vantagens competitivas para sua empresa.

E a área de contabilidade de custos, como vimos, é a que registra e apura os valores diretamente relacionados à sua produção.

Como se elabora uma contabilidade de custos?

O ideal, claro, é que você tenha um especialista para te auxiliar em todos os processos contábeis. Mas é importante também que você adquira uma certa familiaridade com os aspectos da contabilidade de custos. Então, relacionamos abaixo, com base neste documento do Sebrae, um passo a passo introdutório:

1. Obtenha todos os dados contábeis (monetários) e físicos sobre os custos envolvidos na obtenção de um produto ou serviço específico;

2. Separe custos e despesas;

3. Relacione os custos diretos deste produto/serviço;

4. Rateie os custos indiretos, seguindo as regras de absorção de custos (por exemplo: valor relativo dos custos diretos, valor relativo da mão-de-obra direta, faturamento relativo etc.);

5. Rateie as despesas (de vendas, de administração e financeiras), seguindo consistentemente regras de absorção, como as do passo 4;

6. Compare custos e despesas totais por produto com o faturamento de cada um, para determinar a lucratividade por produto;

7. Compare custos e despesas totais por produto com os orçamentos, para determinar as variações entre o que foi planejado e executado;

8. Compare custos e despesas totais por produto com os custos-padrão, para determinar as variações entre o normal e o realizado;

9. Procure apontar as causas das variações verificadas nos passos 7 e 8 e, quando necessário, busque implementar ações corretivas.

Algum exemplo prático?

Claro. O mesmo documento do Sebrae fornece um bastante ilustrativo. Suponhamos que sua empresa fabrique móveis, e que tenha registrado os seguintes gastos em determinado período:

• Comissão de vendedores: R$ 100.000

• Salários na fábrica: R$ 250.000

• Matéria-prima consumida: R$ 370.000

• Salário da administração: R$ 130.000

• Depreciação na fábrica: R$ 10.000

• Despesas financeiras: R$ 10.000

• Honorários da Diretoria: R$ 40.000

• Matériais diversos para a fábrica: R$ 5.000

• Energia elétrica: R$ 60.000

• Despesas de entrega: R$ 20.000

• Telefone: R$ 2.000

• Material de escritório: R$ 3.000

• Total de gastos: R$ 1.000.000

Agora, imaginemos que a sua produção para o período foi de 30 estantes, 50 sofás e 20 mesas. O próximo passo é separar custos (gastos diretamente relacionados à produção dos móveis) e despesas (gastos indiretamente relacionados à administração da empresa e à venda dos produtos). Temos:

Custos de produção

• Salários na fábrica: R$ 250.000

• Matéria-prima consumida: R$ 370.000

• Depreciação na fábrica: R$ 10.000

• Materiais diversos para a fábrica: R$ 5.000

• Total de custos de produção :R$ 635.000

Despesas administrativas

• Salário da administração: R$ 130.000

• Energia elétrica: R$ 60.000

• Telefone: R$ 2.000

• Material de escritório: R$ 3.000

• Honorários da Diretoria: R$ 40.000

• Total de despesas administrativas: R$ 235.000

Despesas de venda

• Comissão de vendedores: R$ 100.000

• Despesas de entrega: R$ 20.000

• Total de despesas de venda: R$ 120.000

Despesas financeiras

• Despesas financeiras: R$ 10.000

• Total de despesas financeiras R$ 10.000

Separados custos e gastos, agora será preciso apropriar os custos diretos. Suponha que sua fábrica está dividida em células por produto, e que as matérias-primas foram usadas da seguinte forma:

Matérias-primas

• Estantes (30): R$ 130.000

• Sofás (50): R$ 100.000

• Mesas (20): R$ 140.000

• Total de despesas administrativas R$ 370.000

Da mesma forma, ao acompanhar quais funcionários trabalharam em cada produto no período, você verificou a seguinte divisão da mão-de-obra direta:

Salários de fábrica

• Estantes (30): R$ 70.000

• Sofás (50): R$ 100.000

• Mesas (20): R$ 80.000

• Total de despesas administrativas: R$ 250.000

A análise da depreciação dos equipamentos de fábrica e os materiais diversos para a fábrica, apesar de serem gastos diretos na produção, permitiu identificar a que produtos eles se destinaram. Dessa forma, eles passam a figurar como custos indiretos.

Diante de tudo isso, temos a apuração da contabilidade de custos no quadro abaixo:

contabilidade de custos

Fonte: Sebrae

O próximo passo é relacionar os custos indiretos e as despesas para cada produto, para que você entenda a distribuição do custo total por item. O critério escolhido é o de valor relativo dos custos diretos, isto é, dependendo de qual é a participação de cada produto no total de custos diretos, e ratear as despesas segundo esta participação, como mostra o quadro abaixo:

contabilidade de custos

Fonte: Sebrae 

Por fim, podemos então calcular a lucratividade das linhas de produção, como na tabela abaixo:

contabilidade de custos

Fonte: Sebrae

Fica evidente, por meio deste exemplo, que a linha de sofás é a mais lucrativa. As mesas, apesar de comporem a maior parte do faturamento, resultam em prejuízo.

Com este cenário, sua empresa deveria tentar controlar melhor os custos de produção da linha de mesas – ou, então, aumentar o preço de venda. Caso nenhuma das alternativas seja possível, o ideal seria desativar a célula de produção de mesas e focar os esforços na produção de sofás.

Este foi apenas um exemplo de como a contabilidade de custos pode influenciar as decisões que você toma. O importante é que estes custos estejam sempre sob controle, monitorados, para que a sua gestão jamais saia dos eixos.

Alguma leitura complementar?

Neste artigo, você encontra mais informações sobre contabilidade gerencial.

E este texto traz reflexões sobre terceirizar ou não a contabilidade da sua empresa.

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

2 Comentários

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
  1. janser moura pereira - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    onde consigo um banco de dados de no mínimo 10 anos?

  2. Yuri Alexandre Inez - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    O custo não pertence ao produto. Dr Goldratt, com a Teoria das restrições já provou isto.
    Pesquise sobre contabilidade de ganhos da TOC. Ou o site metaganho.com.br

Parceiros
Criação e desenvolvimento: