facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Como planejar um grande 2017

LoadingFavorito
Saiba como se planejar para 2017 com as dicas de Vitor Torres, CEO da Contabilizei

O que eu fiz e como estou me preparando para que 2017 seja um dos melhores anos da minha vida

Para mim, 2017 será um grande ano. E não estou querendo ser simplesmente otimista. Aliás, era mais ou menos assim que eu fazia, no passado, com as minhas resoluções de ano novo: simplesmente acreditava que as minhas ideias e desejos iriam acontecer no ano seguinte, na força e na esperança. Ao longo dos últimos anos aprendi que a execução é muito mais importante que ideias, desejos ou aspirações.

Não adianta ter uma ideia que irá mudar o mundo, mas não saber como colocá-la em prática.

A execução é fator-chave para o sucesso de tudo o que queremos alcançar

Quer um exemplo? Desde a fundação da Contabilizei em 2012, e até hoje, recebo muitas mensagens de colegas contadores contando que tiveram a mesma ideia, de realizar uma contabilidade online, mas que não conseguiram viabilizar a ideia (leia-se: executar). Felizmente, a minha equipe e eu conseguimos tornar a contabilidade online uma realidade no país, inclusive sendo objeto de estudo em universidades.

Olhando para trás, o que nos diferenciou dos demais, foi que investimos tempo em planejar como chegaríamos lá (execução) e não na definição de onde queríamos chegar (objetivo).

Ao entender que objetivos são definidos facilmente, o grande pulo está em planejar a execução.

Não quero reinventar a roda, apenas mostrar que a importância do sucesso para a conquista de um objetivo está na estratégia (como executar) e não na definição do objetivo em si.

Nas minhas resoluções de ano novo anteriores, eu não contemplava esse aprendizado. Definia os meus objetivos e entrava o ano simplesmente com o desejo de alcançá-los. Assim, 2017 será um grande ano, pois estou mudando a forma de planejar. Este ano, não vou parar minhas resoluções nos objetivos, vou dar um passo a mais e definir como chegarei lá.

Revisão do ano de 2016

Para começar meu planejamento de 2017, foi super importante analisar, em detalhes, meu 2016. Para fazer isso, peguei uma folha em branco e dividi em 3 partes: conquistas, falhas e objetivos não alcançados. Durante uns 20 minutos, fiz um brainstorm listando tudo o que me vinha em mente. Em seguida, iniciei uma análise de cada uma das 3 partes, identificando os motivos pelos quais aquilo aconteceu, seja positivo ou negativo. Não poupei elogios, muito menos críticas.

Após uma hora analisando, consegui identificar padrões de ações e comportamentos tanto para as conquistas, quanto para as falhas e objetivos não alcançados. Assim, ficou muito mais fácil tirar os aprendizados sobre meu ano e, principalmente, sobre a forma como eu planejava meus objetivos.

Para o planejamento do meu 2017, percebi a necessidade de definir objetivos e, sobretudo, os meios de execução. Por isso, resolvi adicionar dois grandes ingredientes: técnicas de definição de objetivos e o formato de execução do plano.

O que estou mudando no meu planejamento

Um dos principais aprendizados que tive é que objetivos traçados só são alcançados com execução. Nos meus planejamentos anteriores, eu despendia pouco tempo identificando como e o que eu teria que fazer para alcançar os objetivos. Objetivos são conquistados se estiverem constantemente na sua mente.

Para cada objetivo que alcancei, sempre tive atividades diárias ou semanais relacionadas, ou seja, ele estavam frequentemente na timeline da minha cabeça. No entanto, como a agenda do dia a dia acaba nos consumindo e muitas vezes terminamos a semana sem ter feito nada que nos aproxime dos nossos objetivos, estou bloqueando espaços na minha agenda semanal para ações específicas que me levem rumo às metas:

Revisões periódicas

Diferente de 2016, quando a revisão só ocorria esporadicamente, farei check-ups periódicos para identificar se estou no caminho certo ou se preciso corrigir a rota em algum objetivo. Dessa forma, evito executar, por muito tempo, ações que não me levarão aos meus objetivos. Nessa revisão também espero planejar melhor meu tempo para as próximas semanas, garantindo que estou dedicando tempo suficiente para o que pretendo atingir.

Revisão Semanal: quero ter um olhar semanal do progresso que tive nos objetivos que escolhi trabalhar e conciliar agenda da semana seguinte com as ações específicas dos objetivos que tenho. Meu checklist de revisão para cada objetivo incluem perguntas como: “O quanto progredi neste objetivo? O que fiz bem? O que faltou? Baseado no meu objetivo do mês, qual é a única coisa que eu preciso conquistar semana que vem? Como eu vou conquistar isso e quais são os próximos passos?”

Escolhi realizar as revisões toda a sexta-feira no final de tarde, e reservei minha agenda por uma hora. Geralmente, nesse período, não tenho reuniões, as principais questões da semana já foram endereçadas e não sou mais procurado pela equipe.

Revisão mensal: como semanalmente trabalho com as ações no nível operacional, mensalmente irei dedicar 1 hora para uma análise mais estratégica dos objetivos. Quero ter certeza se estou no caminho certo e que meu progresso está sendo traduzido em resultados. Meu checklist de revisão para cada objetivo incluem perguntas como: “O quanto progredi este mês? Quais foram meus aprendizados? Baseado no meu objetivo do trimestre, qual é a única coisa que eu preciso conquistar no mês seguinte?

Para cada objetivo, um propósito

Quando coloquei como objetivo conciliar minhas 3 paixões (família, Contabilizei e corrida), alterei minha rotina para acordar às 4:30 da manhã todo o dia. Acordar nesse horário não foi nada fácil, muito menos tornar isso um hábito, inclusive aos finais de semana. Entretanto, eu tinha um propósito muito grande que era conciliar melhor meu tempo para minha família, a Contabilizei e a corrida.

Nos dias em que o cansaço ou preguiça pegava, era justamente esse propósito que me fazia seguir em diante e levantar da cama. Assim, todos os objetivos que me propus a alcançar em 2017, tem claramente um propósito, e eu acredito que eles me proporcionarão foco e energia para enfrentar o dia a dia.

Crie sistemas que me levarão aos objetivos

Na minha revisão do planejamento de 2016, percebi que uma das grandes diferenças está em separar o que são objetivos do que são sistemas (conjunto de processos). Deixe-me exemplificar a diferença entre objetivos e sistemas:

  • Se você é um empreendedor, seu objetivo é construir um negócio bem sucedido. Seu sistema é o conjunto dos processos de vendas, marketing, operações, finanças, entre outros;
  • Se você é um corredor, seu objetivo é correr uma maratona. O seu sistema é seu calendário de treino para o mês;
  • Se você é um treinador de futebol, seu objetivo é ganhar um campeonato. Seu sistema é o que sua equipe faz no treino todos os dias;
  • Se você é um escritor, seu objetivo é escrever um livro. Seu sistema é a programação de escrita que você segue cada semana.

Objetivos são bons para planejar o meu progresso, enquanto os sistemas são bons para realmente fazer progresso. Ou seja, objetivos te dizem em que você irá progredir e sistemas dizem como você irá progredir.

Para cada objetivo, já defini os sistemas que ajudarão com meus progressos. Por exemplo, nos meus objetivos mais ligados à saúde e à família que exigem tarefas rotineiras, criei uma programação de cada ação com agenda definida como sistema.

A diversão está na jornada e não no destino

Todos já ouvimos que a vida não é um destino e sim uma jornada, que a graça da vida está em se dedicar a encontrar o caminho e ser feliz durante a jornada. Estou aplicando isso para o meu planejamento.

Em experiências anteriores, eu traçava uma meta e acreditava que só seria feliz ou me sentiria melhor quando estivesse chegado lá. Esse comportamento me frustrava, pois a recompensa só viria muito tempo depois do esforço. Definir as metas é definir o destino mas, o mais importante, é descobrir como e de que forma será jornada até lá.

Por isso, estou muito entusiasmado em concentrar meus esforços no processo e encontrar felicidade na busca pelo objetivo e na implementação das ações diárias e semanais. O alcance do objetivo (destino) será um bônus, mas não vou deixar de viver antes disso. Afinal, a vida é o que acontece conosco enquanto estamos ocupados fazendo planos, não é, John Lennon?

À seguir, compartilho as técnicas que utilizei para definir meus objetivos em 2017, espero que também sejam úteis para você:

Técnicas para definição de Objetivos

Durante meus anos em consultoria, aprendi que cada problema tinha uma ferramenta para apoiar a solução. A seguir, um compilado das principais técnicas (ferramentas) para definição de objetivos que utilizei durante o meu planejamento de 2017.

1. BHAG (Big, Hairy, Audacius Goal) — Objetivos Grandes, Audaciosos e Cabeludos

Um dos melhores livros de gestão que li foi o Feitas para Durar de Jim Collins. Aprendi o conceito de Objetivos Grandes, Audaciosos e Cabeludos (BHAG, “Bi-Reg” em inglês), que explica que os objetivos devem ser bem audaciosos (aqueles que dão um frio na barriga) e cabeludos (são difíceis de resolver) mas, acima de tudo, devem ser possíveis de conquistar. Mesmo que a técnica tenha sido desenvolvida mais voltada ao mundo corporativo, eu também a utilizo na minha vida pessoal.

2. Defina objetivos de forma S.M.A.R.T. (inteligente)

Acredito que a técnica mais comum que estou compartilhando seja o de traçar objetivos SMART (“de forma inteligente”). SMART corresponde a uma sigla para nos lembrar que um objetivo deve ter as seguintes características: Specific (específico), Measurable (mensurável), Attainable (alcançável), Relevant (relevante) e Time-bound (temporal).

  • Específico :  seu objetivo deve descrever claramente o que é esperado, por que é importante, quem está envolvido, onde vai acontecer e quais são as restrições;
  • Mensurável: seu objetivo deve ter critérios concretos para medir o progresso e atingir a meta;
  • Alcançável : seu objetivo deve ser realista e possível de ser alcançado;
  • Relevante :  seu objetivo deve ser importante e no momento certo para você;
  • Temporal :  seu objetivo deve ter data prevista para ser alcançado.

3. Escreva objetivos como se já os tivesse alcançado

Recentemente, li o livro With Winning in Mind (não encontrei versão em Português), no qual o autor, e medalhista de ouro Olímpico, Lanny Bassham sugere que você escreva seus objetivos como se você já os tivesse alcançado. Ele argumenta que a nossa capacidade de visualizar o resultado nos inspira a chegar lá. Então, em vez de escrever “vou publicar um livro em 2017”, escreva “Em 2017, publiquei meu 1º livro”. Isso irá ajudá-lo a superar o maior obstáculo para o seu sucesso na realização de seu objetivo:  o mental.

4.  Defina a única coisa  importante para atingir seu objetivo

Outro livro muito bacana sobre definição de objetivos e foco em execução é o “A Única Coisa”, de Gary Keller. O autor descreve um formato único para quebrar os objetivos em períodos. Muitas vezes, traçamos um objetivo BHAG, mas não sabemos o que devemos estar fazendo neste momento para caminhar em direção ao objetivo. Gary aborda esse problema da seguinte forma:

Supondo que você traçou um objetivo e espera conquistá-lo em até 1 ano. Para entender quais são os objetivos por período, faça as seguintes perguntas:

Objetivo do SEMESTRE: “Baseado no meu objetivo de UM ANO, qual é a ÚNICA COISA que eu preciso conquistar este semestre?”

Objetivo do TRIMESTRE: “Baseado no meu objetivo do SEMESTRE, qual é a ÚNICA COISA que eu preciso conquistar este trimestre?”

Objetivo do MÊS: “Baseado no meu objetivo do TRIMESTRE, qual é a ÚNICA COISA que eu preciso conquistar este mês?”

Objetivo da SEMANA: “Baseado no meu objetivo do MÊS, qual é a ÚNICA COISA que eu preciso conquistar esta semana?”

Objetivo do DIA: “Baseado no meu objetivo da SEMANA, qual é a ÚNICA COISA que eu preciso conquistar HOJE?”

Essa abordagem traz um foco muito grande para o alcance do objetivo.

De acordo com a pesquisadora Dra. Gail Matthews em sua pesquisa sobre objetivos, se você escreve seus objetivos, você aumenta a chance de alcançá-los em 44%. É ainda melhor se você os compartilhar com seus amigos, familiares e colegas de trabalho; suas chances de sucesso sobem para 78%.

Com tantos aprendizados e metodologia de planejamento mais refinada, estou muito mais confiante em buscar meus objetivos para 2017. Independentemente do resultado, chegarei em dezembro de 2017 mais maduro ao vivenciar a jornada e, principalmente, com a consciência de que me planejei com o que eu tinha de melhor.

O conteúdo original você encontra aqui.

Este artigo é uma parceria de produção entre Endeavor e Sebrae

Correalização:

Logo-Sebrae-SITE (1)

, Contabilizei, CEO
Vitor Torres é formado em Administração de Empresas, atual cofundador e CEO da Contabilizei Contabilidade Online e Empreendedor Endeavor. Vitor é empreendedor aventureiro desde sua infância e sua trajetória é repleta de desafios e aprendizados ao promover a maior inovação na tradicional indústria contábil das últimas décadas.

Deixe seu comentário

2 Comentários

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
ordernar por: mais votados mais recentes
  1. Gustavo Woltmann - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Interessante post, colocado a mesma ideia de outros posts mas de maneira diferente, mas específica, vou provar desta forma

  2. Erilton Marques - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    Bacana! Parabéns pelo post.
    Uma sugestão de ferramenta para gerenciamento de metas gratuito: Meta8D http://www.meta8d.com.br

Criação e desenvolvimento: