facebook
Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Como é o planejamento estratégico de uma empresa que cresce 30% ao mês?

LoadingFavorito
Mockup Ferramenta - Tiago

Entenda como o empreendedor Tiago Dalvi usa o planejamento trimestral e o método de OKRs para impulsionar o crescimento da sua empresa, o e-commerce Olist.

Quando seu negócio não está crescendo, é mais fácil propor uma mudança de caminho. Os números de cada mês te forçam a repensar a rota e experimentar uma nova estratégia.

Porém, o pior que pode acontecer é sua empresa desacelerar o crescimento lentamente. Você acaba se acostumando com os números menores, culpa a crise, um cliente ou um acontecimento externo e vai parando de sonhar. Todos os seus recursos, se usados na máxima potência, poderiam fazer sua empresa voar alto, mas o seu voo hoje é de galinha.

No segundo artigo da série especial de Planejamento Estratégico para empresas de alto crescimento, Tiago Dalvi, empreendedor do Olist, conta como encurtou o ciclo de planejamento para ganhar velocidade na tomada de decisão.

Planejamento é guia para ser consultado todos os dias

Empreendedor: Tiago Dalvi
Empresa: Olist
Setor: E-commerce
Número de funcionários: 96
Cresce 6 vezes ao ano

No Olist, nós não tínhamos ideia de como a velocidade de crescimento muda a perspectiva sobre a estratégia. Mas, na prática, muda completamente. Nas Scale-Ups, a velocidade é tão alta que o planejamento não pode ser algo escrito em pedra. Ele se parece mais com riscos na areia que estamos dispostos a mudar quando for preciso.

Se uma empresa cresce de 8 a 10% por semana, como é o nosso caso, é quase impossível saber o que vai acontecer no fim da semana, imagine no final do ano?

Por isso, nosso ciclo é mais curto e o acompanhamento do plano acontece mais de perto. Definimos uma meta anual bastante agressiva, assim quebramos em trimestre e depois em semana para acompanhar dia a dia.

Meta do Ano

A meta é como um tiro na lua para inspirar o time a ir além!

Quando determinamos a meta, não significa que sabemos exatamente o que é preciso para chegar lá, mas, em geral, temos uma ideia de estratégia e vamos descobrindo os detalhes ao longo do caminho.

Isso porque a inércia tem velocidade. Se dependermos só dela, crescemos 5% ao mês.

Nosso desafio é confrontar a inércia para crescer mais rápido.

Por isso, nos provocamos a crescer 25% ou 30% todo mês. Não que esse número tenha surgido do nada. Não damos espaço para o achismo. Mesmo a meta mais agressiva tem um racional por trás.

Planejamento Trimestral

A cada trimestre definimos quais são os objetivos a serem conquistados nos próximos 90 dias. Normalmente, 20 dias antes de terminar um trimestre, já começamos as discussões para entender o que fez sentido e quais são as prioridades do trimestre seguinte.

Esses objetivos são divididos por área e por squad. Com isso em mente, envolvemos cada área para que o próprio time pense o que será feito para atingir esse objetivo, por meio dos OKRs.

Por exemplo:

Objetivo: Melhorar a experiência dos usuários na plataforma
Resultado-chave: Diminuir o tempo de carregamento da página para 2 segundos

Em geral, trabalhamos com o Conselho do Olist para validar os objetivos estratégicos e, em seguida, levar para a equipe definir seus resultados-chave. Quando o time nos devolve esse exercício, nós fazemos uma provocação para sonharem maior.

Ninguém nunca fica confortável com os OKRs definidos, e isso é proposital. Esse é o momento de sair da zona de conforto e pensar em todas as maneiras possíveis de estressar os resultados-chave para atingir o objetivo.

Orçamento

Para desenhar o orçamento envolvemos também todas as áreas, entendemos as dificuldades do último ano e de cada trimestre, o que foi legal e o que faltou, e colocamos tudo isso na proposta seguinte.

No primeiro trimestre, sabemos que vamos seguir mais à risca o que foi projetado, mas, a partir daí, é uma loucura. Em 2017, por exemplo, já estamos experimentando a 14ª versão do orçamento.

Se você não adaptar o orçamento, pode limitar o crescimento.

Todo dia, o gestor financeiro olha esse orçamento confrontando o resultado com o planejado. Como nós dependemos de entregar resultado para crescer com base no caixa e não apenas em investimento, esse exercício é fundamental. Não podemos confiar que vamos ter dinheiro indefinidamente e que tudo vai dar certo no final. Todas as nossas projeções de orçamento são bastante conservadoras.

Métricas

No Olist, nós somos agressivos com as metas, mas muito pé no chão com as métricas.

Todas as áreas têm acesso à ferramenta de Business Intelligence, sendo que 70% do time sabe fazer uma Query e mexer com banco de dados. No total, temos 250 métricas monitoradas, juntando todas as áreas. Temos cerca de 5 métricas globais que todos na companhia devem saber e acompanhar diariamente. As demais são métricas operacionais e de cada área.

Rotinas

Na prática, nossa agenda tem alguns checkpoints semanais que podem servir de inspiração para você também implementar:

Reunião Gerencial
Toda segunda-feira (1 hora)
Foco: operação, resultados e momento de recalibrar a rota da semana

Reunião de Área
Uma vez por semana (1 hora)
Foco: manter o time atualizado das prioridades

Town Hall Meeting
Toda sexta-feira (45 minutos)
Foco: inspirar e fortalecer o time, compartilhar ansiedades e falar de possíveis ajustes de rota.

Reunião com Conselho
Toda terça-feira (30 minutos)
Foco: manter o Conselho atualizado, discutir rotas, negociações e burning questions (prioridades e principais desafios).

Somos muito focados em operação e foi isso nos trouxe até aqui. Por isso, seja qual for o método de planejamento que você escolha utilizar, tem um aprendizado que levo comigo: não existe mágica, nem sorte. Existe sempre um planejamento bem executado.

O que dizem os mentores?
Por Cassio Casseb

Os achismos podem levar a caminhos errados. Quando a empresa está crescendo, o empreendedor está eufórico. Ele se sente no topo, o que, muitas vezes, faz com que simplesmente passe a ‘achar as coisas’. Sem perguntar para alguém com mais experiência, sem fundamentar, sem testar ou embasar suas decisões em dados do ambiente.

Nesse momento, o empreendedor começa a errar por falta de humildade.

O planejamento obriga o empreendedor a ver o que é importante e a hierarquizar, assim como o Olist tem feito, baixando o grau de achismo. Com essa perspectiva, mesmo que o dono ‘ache’ alguma coisa, se não está nas prioridades, nem previsto no orçamento, o time se sente mais encorajado a questionar a decisão.

O achismo por si só é imprevisível. Ele pode ser a melhor coisa da empresa e, ao mesmo tempo, a pior. Porque o empreendedor, por feeling, pode acertar durante cinco anos, mas errar dois seguidos – e isso pode levar ao fim da empresa.

Conheça os outros artigos da série especial de Planejamento Estratégico para 2018 clicando aqui e aprofunde-se no tema com o novo curso gratuito de Planejamento Estratégico, apresentado pelo mentor Daniel Castello.

Ead Planejamento Estratégico - slider para portal 1920x249

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

1 Comentário

Faça login para deixar seu comentário sobre este conteúdo
ordernar por: mais votados mais recentes
  1. james barros - says:

    0 curtidas
     
    Curtir

    http://www.participa.br/plano-3×4

Criação e desenvolvimento: