Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Como definir o orçamento

LoadingFavorito

Em entrevista ao Portal Endeavor, Sérgio Almeida, sócio da Heartman House, dá dicas eficientes para o orçamento do empreendedor no próximo ano.

Muitos empreendedores têm dificuldades para definir o orçamento no começo do ano. Quais as principais formas de se levar em conta os gastos esperados pela empresa para chegar a dezembro com as previsões batidas?

Para responder essas e outras perguntas frequentes de gestores e empreendedores, conversamos com Sérgio Almeida, sócio da consultoria Heartman House, para descobrir algumas dicas que você tem de levar em consideração.

Conheça o seu negócio

“Primeiro de tudo: é perfeitamente possível fazer um orçamento preciso. As coisas mais importantes são apalavrar com as gerenciais como ele será e ter no seu negócio as informações bem organizadas: como é o seu fluxo de caixa, seu DRE, suas despesas, sua estrutura de custo, tudo isso.

O empreendedor precisa ter uma visão clara de como foi o seu negócio em 2012. Como foi a estrutura de capital de giro, balanço, etc. Porque qualquer orçamento depende fundamentalmente da fixação de metas – no fundo é isso que você estará fazendo.

Por exemplo, em um ano, com os impostos, você teve um lucro de 4%. Caso considere isso um lucro baixo – tinha de dar 8% – então essa é sua meta para o próximo ano: dobrar seu percentual de lucro. Aí você vai buscar formas de fazer isso. Mas, para fixar essas metas, é preciso ter uma visão clara da situação atual do seu negócio. Por isso o estudo é tão importante para um orçamento realista.”

Entenda o padrão de gastos

“Quanto quer vender no ano que vem e quanta margem quer ter e, a partir daí, que lucro quer ter? Respondidas essas questões, você faz um plano comercial – ele é o centro do orçamento. Outro exemplo: quero crescer 20% e o PIB do país vai crescer 4%, o mercado vai crescer 10%. Eu quero o dobro, então tenho de fazer o plano. O que você vai vender e em quais canais – direto, internet, novas lojas, distribuidores, representantes – e o que você vai oferecer em cada produto.

Existe também a geografia de vendas. Se abrir uma empresa de atuação regional, eventualmente pode chegar à conclusão de que ali não dá mais para crescer. Portanto, terá de ampliar a sua atuação geográfica. Ou então lançar novos produtos na região onde você já está. Aí terá de ter um plano comercial.

Você vai tirar os investimentos para realizar esse plano, em termos de gente, marketing e distribuição. Calcule o nível de despesa possível para o lucro, fixando sua meta de despesas. Esse ano gastei 1 milhão, ano que vem preciso analisar folha de pagamento, custos, crescimento da inflação e tudo mais. Tem de ser criativo e encontrar formas de fazer a mesma coisa, fazer mais com a mesma equipe, economizando em alguns pontos específicos. Por isso, é importante você conhecer o seu negócio e fazer um plano com metas para cada despesa.”

Não fechei o caixa ano passado. E agora?

“Você precisa entender três aspectos. O primeiro é resultado operacional: analisar se está gerando resultado suficiente. Se não tiver, você tem que voltar ao plano pra melhorá-lo. A segunda coisa existe apenas nos setores comerciais e industriais: o capital de giro. O empreendedor tem de ficar de olho nele, no seu nível de estoque, e operar com um nível que seja o mínimo possível para garantir as vendas.

Garanta o prazo de entrega e o plano comercial e trabalhe com estoque mais baixo possível. Porque, quando você trabalha com prazos elevados, quanto mais você acelera no curso prazo você perde caixa e tem uma pressão no capital de giro. Outro ponto importante é o prazo com fornecedores. É preciso ter uma parceria declarada, pois, na medida em que está encostando nos seus fornecedores e dizendo que vai crescer suas compras – comprar 20% a mais, por exemplo – é possível esperar que eles ofereçam prazos maiores.

O terceiro aspecto a ser analisado são os investimentos. Quero expandir, mas, muitas vezes, para fazer isso tem de investir e isso pode piorar sua situação de caixa. O empreendedor precisa comparar isso com o ganho no crescimento e buscar fontes de financiamento que não sejam do capital de giro. Ou seja, você não pode colocar dinheiro de curto prazo no investimento que tem longo prazo de retorno. Procure cartão BNDES, investimento bancário… Algo que você pague em 4 anos, que é o tempo em que já vai ter retorno.”

Existe diferença entre o orçamento do pequeno e do médio empreendedor?

“É claro que, quanto mais a sua empresa cresce, mais sofisticado ficam os controles e mais complexas vão ficando as análises necessárias para conhecê-lo. Mas a essência da pequena e da grande empresa são as mesmas. O que vale para o cara que tem um varejo médio na periferia vale também para o dono do Wallmart.”

Por Vinícius Victorino, da equipe de Cultura Empreendedora – Endeavor Brasil.

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 20 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

Acreditamos que a força do exemplo é o caminho para multiplicar empreendedores que transformam o Brasil e por isso trazemos aprendizados práticos e histórias de superação de grandes nomes do empreendedorismo para que se disseminem e ajudem empreendedores a transformarem seus sonhos grandes e negócios de alto impacto.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: