Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

Barreiras na Gestão de Pessoas

LoadingFavorito

Há uma escassez de talentos ou ambientes redutores da capacidade de atração e desenvolvimento de pessoas?

Somente se conseguem resultados duradouros se for possível contar com gente motivada e comprometida com a empresa. E para isso o empreendedor tem de valorizar sua gente e cuidar da cadeia de valor da gestão de pessoas.

Em pleno século XXI, entretanto, ainda existem líderes que não sabem como tratar diferentes temas que envolvam seus subordinados, ou não têm coragem de fazê-lo, empurrando uma responsabilidade que lhes compete, para a área de RH. Chefes adoram comunicar um aumento de salário ou uma promoção; entretanto, resolver conflitos, comunicar uma demissão, selecionar pessoas, identificar necessidades de treinamento é “lá com o RH”. E, lamentavelmente, muitas áreas de RH aceitam essa situação.

Os responsáveis pela gestão de pessoas numa organização são os gestores, e não a área de RH. A área de RH deve ser estratégica e parceira de negócios de seus pares – mas não tem de gerir as pessoas das demais áreas.

Fala-se muito no Brasil que corremos um risco de sofrer um “apagão de talentos”. Mas, há realmente essa escassez de talentos ou o que exite são ambientes redutores da capacidade de atração e desenvolvimento de gente? Vi várias vezes organizações cujos gestores diziam que precisavam de pessoas com novos perfis para fazer frente aos seus desafios, enquanto as pessoas estavam dentro da organização, escondidas atrás da incompetência de seus gestores.

Não raro vemos empresas tratando seu pessoal como custo, e não como valor. Gente é o ativo mais importante nas organizações; é quem lhes da vida. Há vários fatores que inibem a formação e manutenção de equipes de alto desempenho:

·      CEOs que não encaram gente como valor, influenciando negativamente a cultura da empresa e a atitude de seus gestores com relação à gestão de pessoas;

·      Executivos despreparados para gerir seu pessoal, não entendendo que compete a eles a real responsabilidade de gerir seus subordinados, e muitas vezes servindo de mau exemplo a eles;

·      Posicionamento não estratégico, falta de valorização e juniorização das áreas de RH nas empresas, que assumem postura burocrática e não querem correr riscos saindo de suas zonas de conforto;

·      Falta de abordagem desse tema como matéria relevante nos cursos superiores; nos cursos de administração encontramos vários semestres de diferentes matérias, mas um só sobre gestão de pessoas e mesmo assim enfocando processos e não a estratégia ou o papel do gestor.

Se o CEO adotar atitude proativa com respeito à gestão de pessoal, caberá à área de RH ser a consciência crítica instalada dentro da organização, com coragem e iniciativa para colocar o assunto na agenda dos executivos. E caberá aos executivos serem os verdadeiros gestores de gente. Se o CEO não tiver essa atitude, o dirigente de uma área de RH pode insistir em mudar o status quo de baixo para cima e frustrar-se, ou buscar alternativa no mercado de trabalho.

José Luiz Bichuetti é sócio da Valuepoint Consultoria de Gestão Empresarial e autor do livro “Gestão de pessoas não é com o RH”.


 

José Luiz Bichuetti é sócio da Valuepoint Consultoria de Gestão Empresarial e autor do livro “Gestão de pessoas não é com o RH”, lançado pela Editora Larousse em abril 2011. Foi CEO de empresas nacionais e multinacionais em diferentes segmentos econômicos, e também responsável pelo desenvolvimento de negócios a nível latino-americano. Foi sócio da Booz & Co. e da Arthur D. Little. Viveu e trabalhou em países da América Latina, da Europa e Japão. É membro do Global Board da Harvard Business School Alumni Association. É instrutor nos cursos de capacitação de conselheiros do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: