A força do empreendedorismo em São Paulo

Endeavor Brasil
Endeavor Brasil

A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Presente em mais de 30 países, e com 8 escritórios em diversas regiões do Brasil.

A Endeavor acaba de lançar o primeiro Índice de Cidades Empreendedoras (ICE), um estudo inédito que faz uma verdadeira radiografia do ambiente para empreender em 14 capitais brasileiras. Nele, Florianópolis lidera, seguida de perto por São Paulo. A capital paulista tem muitos desafios pela frente, mas aproveita todo o seu potencial econômico para ser um dos principais centros do empreendedorismo do país.

O centro econômico do Brasil

Além de ser o principal mercado do país (e ter o 10º maior PIB do mundo), a cidade é o centro do investimento nacional, concentrando mais de 60% de todas as operações de Venture Capital e Private Equity observadas nas 14 capitais do estudo. Também é responsável por movimentar quase R$ 10 trilhões em operações de crédito, o que representa 20 vezes o PIB paulistano ou 50% a mais do que o total movimentado em todas as outras 13 capitais analisadas no ICE. Além disso, o Governo do Estado investe 4,5% do seu orçamento no fomento à inovação, o maior montante proporcional e absoluto do país. Como se pode ver, o que não falta em São Paulo é dinheiro.

E o tamanho da cidade não reflete apenas nas condições de mercado e acesso a capital. São Paulo também é um dos principais hubs de conexão do Brasil e do mundo: o maior aeroporto da América Latina está na região metropolitana da capital; o Porto de Santos – o mais importante do país – fica a 80 quilômetros de distância e algumas das principais rodovias do Brasil cortam a cidade.

Grandes cidades, grandes oportunidades, grandes desafios

Por outro lado, o estudo revela que as grandes proporções influenciam ora a favor, ora contra. Um dos desafios de São Paulo, por exemplo, é garantir educação de qualidade para grande parte da população. Na cidade estão algumas das melhores instituições de ensino, que formam o maior contingente absoluto de profissionais qualificados do país – e que também por isso recebem altos salários. O desafio aparece quando se relativizam os números: 24% da população têm ensino superior, a pior taxa das capitais do Sul e Sudeste. Como disse o Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, um dos principais agentes nesse cenário é o próprio governo: “faltam universidades públicas em São Paulo. Nós só temos a USP, o que é muito pouco”.

Além dos desafios de capital humano, os empreendedores paulistanos também encaram um ambiente regulatório dos mais complexos. A prefeitura, através da SP Negócios, está promovendo melhorias, especialmente no que se refere à abertura de negócios, mas ainda há muito a se fazer em diversas frentes, como na aprovação de projetos arquitetônicos, por exemplo, em que, em média, são necessários quatro meses para obter as certidões necessárias.

Atacando os desafios

Em 2013, a Prefeitura de São Paulo criou a SP Negócios, uma empresa de economia mista, vinculada à Secretaria Municipal de Finanças, com o objetivo de melhorar o ambiente de negócios na cidade. Uma das primeiras iniciativas conduzidas pela SP Negócios está sendo a redução do tempo de abertura de empresas na capital, que já foi superior a 100 dias e, hoje, após uma série de análises e cortes de processos, é de 36.

A meta é chegar a 5 dias, e outras cidades no Brasil e no mundo mostram que o objetivo é bastante alcançável. E mesmo com todos os desafios, os empreendedores paulistanos já podem se orgulhar: São Paulo é uma das capitais do empreendedorismo nacional.

Para você, quais são os maiores desafios de São Paulo para ser ainda mais empreendedora? Comente abaixo!