Você já se perguntou por que
nosso conteúdo é gratuito?
Somos uma ONG de fomento ao empreendedorismo de alto impacto que capacita
4 MILHÕES
DE EMPREENDEDORES
A CADA ANO
Faça a sua doação e contribua para continuarmos
este trabalho em 2016!

A Arte da orientação ao mercado “futuro”

LoadingFavorito

Para competir no mercado atual, é necessário reconhecer, testar e propor soluções que vão além do lugar-comum.

No mundo atual, as pessoas deparam cada vez mais com antagonismos inconciliáveis entre bons e maus exemplos de serviço, atendimento e desenho de produtos orientados ao mercado. Qual de vocês não brigou recentemente com algum atendente de empresa de telecom, TV a cabo, companhia aérea, e jurou que nunca mais voltaria a trabalhar com essa empresa? Quem também não se impressionou recentemente com um produto de tecnologia que nunca imaginou ser necessário, e hoje não consegue ir para a rua sem ele?

Pois bem, os gurus do passado já discorreram muito sobre o tema orientação ao produto versus orientação ao cliente,e, por mais que isso seja mais do que familiar para executivos e MBAs, outras frentes, de excessiva orientação a custo e terceirizações, têm colocado muito dessa teoria a perder. Ou, então, em certos setores como o de mídia e telecom, uma antiga obsessão pela orientação ao produto mascarada de princípios ‘jornalísticos’ ou ‘engenherísticos’ deixou os “incumbentes” desses setores em cheque contra os attackers de tecnologia.

Porém, se me permitem, acho que o momento é de rediscutir as teorias vigentes e de aprender com empreendedores que têm desenhado o futuro. Como desenhar um produto para um cliente que não sabe ainda o que vai querer? Como surpreender os clientes com atendimento de necessidades que ele nem sabia que tinha? Esse é o padrão para o futuro. Hoje, pesquisa de mercado e avaliação da satisfação dos clientes todo mundo sabe fazer. O problema está em achar que isso basta e circunscrever o seu serviço às limitações que essas ferramentas geram.

Ou seja, para competir no mundo atual, é necessário reconhecer que a orientação ao mercado é uma Arte que envolve: visão, inovação e inteligência para reconhecer, testar, pilotar, experimentar e propor soluções que vão além do lugar-comum do mercado. Hoje, o mundo está em BETA* – o Google, por exemplo, deixou a fase BETA recentemente, enquanto o Bing permanece em BETA – e, de modo geral, esse estado deve ser eterno: o IOS do iPhone é um exemplo de BETA em constante evolução. Portanto, prepare-se para ser ágil em reconhecer e mudar hoje, amanhã, depois e depois… Apenas dessa forma é possível almejar outros estágios de desenvolvimento para a sua empresa, produtos e serviços. Cliente bom não é mais o cliente satisfeito: surpreenda-os e então você começará a entender a Arte da orientação ao mercado do “futuro”.

*Versão BETA é a versão de um produto que ainda se encontra em fase de desenvolvimento e teste.

 

André Bianchi Monte-Raso é especialista em estratégia, start-ups e desenvolvimento de negócio, consultor de grandes grupos de mídia, tecnologia e Telecom.

 

Leia mais:
KPIs de Inovação
O que considerar ao criar sua marca
Incentivando a Inovação: Como Energizar seu Time
Como Acertar na Reunião de Brainstorming
Mentes Criativas: Canais Propícios para Inovação

 

 

 

 

, Mobi9, Fundador e CEO
Especializado em estratégia, start-ups e desenvolvimento de negócios, tem prestado consultoria a grandes grupos de mídia, tecnologia e telecom. Foi responsável pela unidade de negócios digitais do Grupo Estado, por 2 anos onde liderou o relançamento digital do grupo incluindo estadao.com.br, limao, território eldorado, ilocal, zap, aeinvestimentos, paladar.com, diretodafonte.com e link.com. Anteriormente, esteve ligado ao Grupo Oi/Telemar por 5 anos, realizou o start-up da Oi (mobile) como consultor e posteriormente como executivo liderou a área de estratégia e novos negócios, no qual coordenou lançamento do portal Oi Internet (Mundo Oi) e estratégia de conteúdo, mídia e TV do grupo. Antes foi consultor de estratégia por mais de 15 anos, principalmente com a McKinsey, tendo trabalhado nos escritórios de Milão, São Paulo e Tóquio servindo clientes globais nas áreas de Telecom, Consumo, Varejo, Mídia, entre outros. Engenheiro elétrico pela Poli-USP e MBA pelo INSEAD, cidadão global, viveu em vários países e fala 7 idiomas, português, italiano, inglês, espanhol, francês, alemão e japonês.

Deixe seu comentário

Parceiros
Criação e desenvolvimento: